A DISCURSIVIDADE DO CLIQUE NA PRODUÇÃO DE SENTIDOS E SUJEITOS

Paula Chiaretti

Resumo


Apoiado na perspectiva teórico-metodológica da Análise de Discurso de filiação a Pêcheux, este trabalho busca analisar uma propaganda de um banco (“Corte os cliques da sua empresa”), que se apoia no uso de recursos tecnológicos para propor diferentes “soluções”. Buscou-se compreender de que modo a discursividade do “clique” funciona produzindo sentidos de imediato, literalidade, exatidão, precisão, correspondência, enfim, efeitos de sentido que apelam à completude (de sujeito e de sentido). Ao mesmo tempo, tentou-se mostrar os deslocamentos de sentido de liberdade e flexibilidade para os de codificação e prescrição.

Palavras-chave


Discurso digital; Clique; Subjetividade

Texto completo:

PDF

Referências


ALTHUSSER, L. Ideologia e aparelhos ideológicos do Estado. Lisboa: Presença, [1970] 1980.

ALTHUSSER, L. Posições I. Rio de Janeiro: Graal, [1973] 1978.

CHUN, W. H. K. Programmed visions: sofware and memory. Cambridge: MIT Press, 2011.

COURTINE, J.-J. Intericonicidade – Entre(vista) com Jean-Jacques Courtine. Entrevistador: Nilton Milanez. Grudiocorpo. Out. de 2005. Disponível em: http://grudiocorpo.blogspot.com/2009/06/intericonicidade-entrevista-com-jean.html. Acesso em: 20 jul. 2016.

CRAVEIRO, J. Comercial do Itaú se inspira em Jerry Lewis. 2015. Disponível em: http://jura.com.br/itau-se-inspira-em-jerry-lewis/. Acesso em: 20 jul. 2016.

DIAS, C. Sujeito digital: sentidos de um novo paradigma. In: GUIMARAES, E. (Org.) Cidade, Linguagem e Tecnologia: 20 anos de História. Campinas: LABEURB, 2013. p. 51-64. Disponível em: http://www.labeurb.unicamp.br/labeurb20anos/labeurb20anosPDF.pdf. Acesso em: 20 ago. 2016.

DIAS, C. e-Urbano: a forma material do eletrônico no urbano. In. DIAS, Cristiane. E-urbano: Sentidos do espaço urbano/digital [online]. 2011. Consultada no Portal Labeurb - Laboratório de Estudos Urbanos. Disponível em: http://www.labeurb.unicamp.br/livroEurbano/. Acesso em: 20 ago. 2016.

DIAS, C. A escrita como tecnologia de linguagem. Coleção HiperS@beres. Santa Maria, Universidade Federal de Santa Maria, v. II, dez. 2009. p. 7-17. Disponível em: http://w3.ufsm.br/hipersaberes/volumeII/textos_pdf/TXTS_PDF/cristiane_dias.pdf. Acesso em: 20 ago. 2016.

DM9DDB. Itaú amplia modelo de relacionamento 100% digital para os clientes Itaú Class. 2015a. Disponível em: http://www.dm9ddb.com.br/?p=4189. Acesso em 17 de julho de 2016.

DM9DDB. Itaú apresenta soluções digitais para empresas em nova campanha. 2015b. Disponível em: http://www.dm9ddb.com.br/?p=4229. Acesso em: 19 jul. 2016.

FREUD, S. O mal-estar na civilização. In: ______. Obras psicológicas completas de Sigmund Freud: Edição Standard Brasileira, v. XX. Rio de Janeiro: Imago, [1930] 2011.

HAROCHE, C. O comportamento de deferência: do cortesão à personalidade democrática. História: Questões e debates. Curitiba, Editora UFPR, n. 42, p. 115-139. 2005.

NEGROPONTE, N. A vida digital. São Paulo: Companhia das Letras, 1995.

NUNES, S. R. O discurso do infográfico e a produção de uma posiçãosujeito leitor de informação infografada. Revista Ecos, v. 15, Ano X, n. 02. p. 323-342. 2013. Disponível em: http://periodicos.unemat.br/index.php/ecos/article/view/643. Acesso em: 15 mai. 2016.

NUNES, S. R. A injunção clique-link como forma material no infográfico eletrônico: trajetos de leitura. In: Anais do V SEAD – Seminário de Estudos em Análise do Discurso [recurso eletrônico] – Porto Alegre: Instituto de Letras da UFRGS, 2011. Disponível em: http://www.ufrgs.br/analisedodiscurso/anaisdosead/5SEAD/SIMPOSIOS/SilviaReginaNunes.pdf. Acesso em: 20 ago. 2016.

ORLANDI, E. P. Análise de discurso: princípios e procedimentos. Campinas: Pontes, 2013a.

ORLANDI, E. P. A materialidade do gesto de interpretação e o discurso eletrônico. In. DIAS, Cristiane. Formas de mobilidade no espaço e-urbano: sentido e materialidade digital [online]. Série e-urbano. v. 2, 2013b. Consultada no Portal Labeurb - Laboratório de Estudos Urbanos. Disponível em: http://www.labeurb.unicamp.br/livroEurbano/. Acesso em: 20 ago. 2016.

ORLANDI, E. P. Discurso e texto: formulação e circulação dos sentidos. Campinas: Pontes, 2001.

ORLANDI, E. P. Interpretação: autoria, leitura e efeitos do trabalho simbólico. Petrópolis: Vozes, 1996.

PECHEUX, M.; FUCHS, C. A propósito da análise automática do discurso: atualização e perspectivas. In: GADET, F; HAK, T. (Orgs.) Por uma análise automática do discurso: uma introdução à obra de Michel Pêcheux. Campinas: Editora da Unicamp, 2010. p. 159-249.

PEREIRA, B. F. A interface gráfica como lugar de constituição subjetiva. Revista DisSoL – Discurso, Sociedade e Linguagem. Pouso Alegre, ano II, n. 2, out., p. 28-46. 2015. Disponível em: http://ojs.univas.edu.br/index.php?journal=revistadissol&page=article&op=view&path%5B%5D=40&path%5B%5D=44. Acesso em: 17 nov. 2016.

TOCQUEVILLE, A. de. De la démocratie en Amérique. Paris: Vrin, 1990.




DOI: https://doi.org/10.5902/fragmentum.v0i48.23309



ISSN Versão Impressa: 1519-9894
ISSN Versão Digital: 2179-2194
DOI 10.5902/21792194
Endereço Eletrônico: www.ufsm.br/fragmentum

Fragmentum possui caráter público e gratuito, dessa forma, NÃO são cobrados custos ou taxas para submissão, processamento, publicação e leitura dos artigos.

Todo o conteúdo do periódico Fragmentum está licenciado com uma Licença Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada com uma Licença Creative Commons Atribuição-NãoComercial 4.0 Internacional.

REDES SOCIAIS
Página da Revista no Facebook