Os determinantes da mortalidade infantil nos municípios paranaenses entre 1991 e 2010

Autores

DOI:

https://doi.org/10.5902/1414650944302

Palavras-chave:

Mortalidade infantil, Determinantes socioeconômicos, Dados em Painel.

Resumo

A taxa de mortalidade infantil vem decrescendo em muitos países nas últimas décadas devido a melhorias não só em termos de renda, mas, principalmente, pelos aspectos sociais, demográficos e de atendimento de serviços básicos. Este estudo visa identificar a relação das variáveis taxa de fecundidade, taxa de analfabetismo, proporção da população servida pela coleta de lixo e rede geral de água, renda e índice de Gini com a taxa de mortalidade infantil. Para tanto, foram coletadas informações do Atlas do Desenvolvimento Humano para os 399 municípios paranaenses, referentes aos anos censitários e estimou-se um modelo econométrico com dados em painel. Em geral, os resultados obtidos vão ao encontro do referencial teórico e bibliográfico. De fato, a estimativa para a proporção da população servida por rede de abastecimento de água foi o único resultado incongruente encontrado, com sinal positivo estatisticamente não-significativo. Assim, pode-se concluir que melhorias nos serviços básicos, no atendimento à saúde, na educação, e o aumento e melhor distribuição da renda têm relação com a redução da taxa de mortalidade infantil e as políticas públicas devem ser direcionadas para tais setores.

Biografia do Autor

Géssica Mathias Diniz, Instituto Federal do Rio Grande do Sul, Campus Erechim, RS, Brasil

Professora substituta no IFRS - Campus Erechim. Bacharel em Ciências Econômicas Universidade Federal de Santa Maria, Mestra em Economia e Desenvolvimento pelo PPGE&D da Universidade Federal de Santa Maria  e Doutora em Desenvolvimento Econômico pelo  PPGDE na Universidade Federal do Paraná

Diego Ferreira, Fundação de Estudos Sociais do Paraná, Curitiba, PR, Brasil

Professor na Fundação de Estudos Sociais do Paraná (FESP/PR). Bacharel em Ciências Econômicas (UFSCAR), Mestre em Desenvolvimento Econômico PPGDE/UFPR pela universidade Federal do Paraná. Doutor em Desenvolvimento Econômico pelo  PPGDE na Universidade Federal do Paraná.

Referências

ATLAS DO DESENVOLVIMENTO HUMANO, 2013. Disponível em: <http://www.atlasbrasil.org.br/2013/pt/consulta/>. Acesso em: 08 ago. 2016.

BARUFI, A.M.B. Dimensões regionais da mortalidade infantil no Brasil. Dissertação (Mestrado em Economia) - Universidade Federal de São Paulo, São Paulo, 2009.

BECK, N; KATZ J. N. What to do (and not to do) with Time-Series and Cross-Section data. The American Political Science Review, v. 89, n. 3, p. 634-647, set/1995.

BECK, N. Time-Series-Cross-Section Data: What Have We Learned in the Last Few Years? San Diego: University of California, jan. 2001.

BREMAEKER, F. E. J. Evolução do quadro municipal brasileiro no período entre 1980 e 2001. Rio de Janeiro: Instituto Brasileiro de Administração Municipal, 2001.

FISCHER, T.K.; LIMA. D.; ROSA, R.; OSÓRIO, D.; BOING, A.F. A mortalidade infantil no Brasil: série histórica entre 1994-2004 e associação com indicadores socioeconômicos em municípios de médio e grande porte. Medicina (Ribeirão Preto) v. 40, n. 4, p. 559-566. out./dez, 2007.

GREENE, W. H. Econometric analysis. 6ª ed. Estados Unidos: Person Prentice Hall. 2008

GUJARATI, D.N.; PORTER, D. C. Econometria Básica. 6º ed. São Paulo: Makron Books. 2011.

INSTITUTO BRASILEIRO DE GEOGRAFIA E ESTATÍSTICA (IBGE). Evolução e perspectivas da mortalidade infantil no Brasil. Série estudos e pesquisas. Informação demográfica e socioeconômica n. 2, 1999.

INSTITUTO BRASILEIRO DE GEOGRAFIA E ESTATÍSTICA (IBGE). Indicadores sociodemográficos e de saúde no Brasil. 2009.

KARRUZ, A.P. Crescimento econômico e desenvolvimento humano: municípios paulistas ao final do século XX. Dissertação (Mestrado em Administração Pública e Governo) - Fundação Getúlio Vargas, São Paulo, 2004.

PAIXÃO, A. N.; FERREIRA, T. Determinantes da Mortalidade Infantil no Brasil. Informe Gepec, v. 16, n. 2, p. 6-20, jul./dez. 2012.

ROBEYNS, I. The Capability Approach: a theoretical survey. Journal of Human Development, v. 6, n. 1, mar. 2005.

SEN, A. K.; KLIKSBERG, B. As pessoas em primeiro lugar: a ética do desenvolvimento e os problemas do mundo globalizado. São Paulo: Companhia das Letras. 2010.

SEN, A. K. Equality of what? The Tanner Lecture on Human Values. Standford University, 1979.

______. Desenvolvimento como liberdade. São Paulo: Companhia das Letras. 2000.

______. Desigualdade Reexaminada. Rio de Janeiro: Record, 2ª ed., 2008.

SILVA, C.C. de L.; JUSTO, W.R. Determinantes da mortalidade infantil no Ceará no período 1991-2000: uma abordagem em dados em painel. Universidade Regional do Cariri, Ceará. 2008.

SOUSA, T. R. V.; LEITE FILHO, P. A. M. Análise por dados em painel do status de saúde no Nordeste Brasileiro. Revista Saúde Pública, São Paulo, v. 42, n. 5, p. 796-804, 2008. Disponível em: <http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0034-89102008000500003&lng=en&nrm=iso>. Acesso em: 12 abr. 2021.

THE WORLD BANK. Data: Mortality rate, infant. Disponível em: <https://data.worldbank.org/indicator/SP.DYN.IMRT.IN?end=2019&start=1991>. Acesso em: 12 jan. 2021.

WORLD HEALTH ORGANIZATION (WHO), 2013. Disponível em: <http://apps.who.int/gho/data/view.main.CM1300R?lang=en>. Acesso em: 08 ago. 2016.

Downloads

Publicado

2021-06-07

Como Citar

Diniz, G. M., & Ferreira, D. (2021). Os determinantes da mortalidade infantil nos municípios paranaenses entre 1991 e 2010. Economia E Desenvolvimento, 33, e3. https://doi.org/10.5902/1414650944302

Edição

Seção

Artigos