Detecção de fungos patogênicos em sementes de acácia-negra (Acacia mearnsii De Wild).

Flávia Elise Meneghini dos Santos, Rita de Cassia Sobrosa, Ivan Francisco D. Costa, Maisa Pimentel Martins Corder

Resumo


A presença de fungos pode reduzir a capacidade germinativa de um lote de sementes, causar a morte de plântulas ou transmitir doenças para plantas adultas. É necessário conhecer os agentes, as causas e as conseqüências decorrentes da contaminação por fungos patogênicos. Desse modo, o presente estudo teve como objetivo identificar os fungos associados às sementes de Acacia mearnsii De Wild, armazenadas a 5°C, por um período de 12 meses. Foram  utilizadas  sementes  de  acácia- -negra oriundas de plantio comercial, aos 4 anos de idade cuja procedência é África do Sul. As sementes foram colhidas em  três  épocas  distintas: (i) quando com frutos verdes e/ou pigmentados;          (ii) quando com frutos negros e início de abertura das vagens; (iii) quando com sementes coletadas no solo, após a dispersão natural, sendo empregadas como testemunha. Os fungos associados às sementes foram: Botryodiplodia sp., Botrytis sp. (família Moniliaceae), Cladosporium sp.(família Dematiaceae), Cylindrocladium sp., Fusarium sp., Penicillium sp., Pestalotia sp., Rhizoctonia sp., Trichoderma sp. e outros fungos não identificados. De maneira geral, a autoclavagem das sementes promoveu maiores taxas de germinação e a eliminação de fungos associados. As sementes, que apresentaram maior contaminação por fungos, foram aquelas oriundas da coleta no solo. Os fungos de solo observados, que poderiam ocasionar danos em plântulas no viveiro e, simultaneamente, estarem associados à gomose em acácia-negra, foram:  Botrytis sp., Cylindrocladium sp.


Palavras-chave


patologia de sementes; fungos de solo; gomose.

Texto completo:

PDF

Referências


ANDERSON, R.L. Check list of micro-oranisms associated with tree seeds in the world, 1985. Washington: USDA, Forest Service, 1986. (Technical Report, SE –39).

BALMER, E.; CARDOSO, C. O. N.; CARVALHO, P. C. T. et al. Manual de Fitopatologia: doença das plantas e seu controle. São Paulo: Agronômica Ceres, 1968. 640p.

BARNETT, H. L. Illustrated genera of imperfect fungi. 2. ed. Burgess Publishing Company, 1960. 225p.

BARNETT, H. L.; HUNTER, B. B. Illustrated genera of imperfect fungi. 3. ed. Minnesota, USA: Burgess, 1982. 242p.

CARNEIRO, J. S. Testes de sanidade de sementes de essências florestais. In: SOAVE, J.; WHETZEL, M.M.V.S. Patologia de sementes. Campinas: Fundação Cargill, 1987. p.386-394.

CARNEIRO, J. S. Qualidade sanitária de sementes de espécies florestais em Paraopeba, MG. Fitopatologia Brasileira, v.15, n.1, p.75-77, 1990.

CARVALHO, W.L.; MUCHOVEJ, J. J. Fungos associados à sementes de essências florestais. Revista Árvore, Viçosa, v.15, n.2, p.173-178, 1991.

CASTELLANI, E. D.; SILVA, A.; BARRETO, M. et al. Influência do tratamento químico na população de fungos e na germinação de sementes de Bauhinia variegata L. VAR. Variegata. Revista Brasileira de Sementes, Brasília, v.8, n.1, p.41-44, 1996.

DHINGRA, O. D.; MUCHOVEJ, J. J.; CRUZ FILHO, J. Tratamento de sementes (Controle de Patógenos). Viçosa: UFV, Imprensa Universitária, 1980. 121p.

DHINGRA, O. D. Prejuízos causados por microrganismos durante o armazenamento de sementes. Revista Brasileira de Sementes, Brasília, v.7, n.1, p.139-145, 1985.

EMBRAPA. Sistema brasileiro de classificação de solos. Brasília, 1999. 412p.

FAIAD, M. G. R.; SALOMÃO, A. N.; CUNHA, R. et al. Efeito do hipoclorito de sódio sobre a qualidade fisiológica e sanitária de sementes de Commiphora lepthopholoeos (Mart.) J. B. Gillet. Revista Brasileira de Sementes, Brasília, v.19, n.1, p.14-17, 1997.

FERREIRA, F. A. Patologia florestal: principais doenças florestais no Brasil. Viçosa: SIF, 1989. 570p.

HIGA, A. R. Seleção de procedência de Acacia mearnsii De Wild para o Estado do Rio Grande do Sul. Curitiba: EMBRAPA, CNPF, 1992. 120p. (Boletim de Pesquisas Florestais)

INTERNATIONAL SEED TESTING ASSOCIATION. Seed health testing. Seed Science and Technology, v.4, p.3-49, 1976.

IPAGRO. Observações meteorológicas no Estado do Rio Grande do Sul. Porto Alegre: IPAGRO, 1989. 180p.

LINK, O.; COSTA, E. C. Alguns problemas fitossanitários em viveiros de essências florestais no Rio Grande do Sul. In: SEMINÁRIO SOBRE ATUALIDADES E PERSPECTIVAS FLORESTAIS, 1982, Curitiba. Anais... Curitiba: EMBRAPA, 1982. 265p.

MACHADO, J. C. Patologia de sementes: fundamentos e aplicações. Brasília: MEC-ESAL-FAEPE, 1988. 106p.

MARCHIORI, J. N. C. Dendrologia das angiospermas: leguminosas. Santa Maria: Ed. UFSM, 1997. 200p.

MARTINS-CORDER, M. P.; BORGES JR., N. Desinfestação e quebra de dormência de sementes de Acacia mearnsii De Wild. Ciência Florestal, Santa Maria, v.9, n.2, p.1-7, 1999.

MEDEIROS, A. C. S.; MENDES, M. A. S.; FERREIRA, M. A. S. V. et al. Avaliação quali-quantitativa de fungos associados a sementes de aroeira (Astronium urundeuva (FR. ALL.) Engl.). Revista Brasileira de Sementes, Brasília, v.14, n.1, p.51-54, 1992.

MORENO, J. A. Clima do Rio Grande do Sul. Porto Alegre: Secretaria da Agricultura, 1961. 41p.

ROUX, J.; WINGFIELD, M. J. Survey and virulence of fungi occurring on diseased Acacia mearnsii De Wild. in South Africa. Forest Ecology and Management, South Africa, p.327-336, 1997.

SANTOS, A. F.; AUER, C.G.; GRIGOLETTI JR., A. Situação atual da etiologia da gomose da acácia-negra (Acacia mearnsii De Wild.) no Estado do Rio Grande do Sul. Fitopatologia Brasileira, v.22, p.305, 1997.

SOTTA, E.D.; AUER, C.G. Patologia de Cylindrocladium candelabrum em acácia-negra (Acacia mearnsii De Wild.) Curitiba: EMBRAPA-CNPF, 1995. p.29-35. (Boletim de Pesquisas Florestais)

WIELEWSKI, P.; BADE, J.H.C.; AUER, C.G. Fungos associados à sementes de acácia-negra (Acacia mearnsii De Wild.). Fitopatologia Brasileira, v.22, p.320, 1997.




DOI: http://dx.doi.org/10.5902/19805098491

Licença Creative Commons