Dinâmica do desmatamento na Amazônia e seus impactos na hidrologia: bacia do Rio Machadinho – Rondônia/Brasil

Vinicius Alexandre Sikora de Souza, Otto Corrêa Rotunno Filho, Daniel Medeiros Moreira, Anderson Paulo Rudke, Marcela Rocha Tortureli de Sá

Resumo


A bacia hidrográfica do rio Machadinho é um exemplo de ocupação desordenada presente na região amazônica, na qual foram desmatadas grandes áreas com consequente conversão da floresta em pastagens e em núcleos urbanos. O presente trabalho tem o objetivo de analisar os impactos na hidrologia (vazão, precipitação e evapotranspiração) da bacia do rio Machadinho diante de sua dinâmica de ocupação antrópica. Primeiramente, analisaram-se mudanças na cobertura da terra usando imagens do sensor Landsat 5-TM para os anos 1984, 1997 e 2011. A variável vazão foi avaliada quanto a sua sensibilidade mediante o emprego do modelo SWAT para determinar a descarga líquida fixando-se os padrões climáticos e variando-se os cenários históricos de cobertura da terra. A precipitação, obtida por meio de dados do CHIRPS para o período de 1981 a 2017, e a evapotranspiração, estimada via dados do SSEBop entre os anos de 2002 a 2017, foram tratadas como variáveis geoespaciais distribuídas na bacia, com tendências de comportamento de suas séries históricas aferidas por meio do teste Mann-Kendal. Os resultados obtidos mostraram que a ocupação da bacia deu-se de maneira desordenada, cuja área com pastagem passou de 2,6% no ano de 1984 para 45,9% no ano de 2011, sendo a maior conversão observada na nascente do corpo hídrico principal, o que evidenciou uma maior produção de vazão pelo modelo SWAT, que adequadamente captou a variação dessa variável. Adicionalmente, observou-se tendência de redução pluviométrica nos meses mais chuvosos, enquanto detectou-se elevação da evapotranspiração nos meses mais quentes. Nesse sentido, é importante ressaltar que o desmatamento da região tende a reduzir a disponibilidade hídrica para a bacia.


Palavras-chave


Impactos antrópicos; Região Amazônica; Hidrologia; Modelagem hidrológica

Texto completo:

PDF

Referências


ARANCIBIA, J. L. P. Impacts of land use change on dry season flows across the tropics. 2013. 128f. Tese (Doutorado), Universidade de Londres, Londres, 2013.

BALDISSERA, G. C. Aplicabilidade do modelo de simulação hidrológica SWAT (Soil and Water Assessment Tool), para a bacia hidrográfica do rio Cuiabá/MT. 2005. 178f. Dissertação (Mestrado em Física e Meio Ambiente), Universidade Federal do Mato Grosso, Cuiabá, Mato Grosso, 2005.

CORREA, S. W. et al. Multi-decadal Hydrological Retrospective: Case study of Amazon floods and droughts. Journal of Hydrology, [s.l], v. 549, p.667–684, 2017.

DINKU, T. et al. Validation of the CHIRPS satellite rainfall estimates over eastern Africa. Quarterly Journal of the Royal Meteorological Society, [s.l.], p.1–21, 2018.

FUNK, C. et al. The climate hazards infrared precipitation with stations—a new environmental record for monitoring extremes. Scientific Data, [s.l.], v. 2, n.15, 2015.

GOMES, F. B. Modos de ocupação no município de Machadinho D'Oeste /RO e suas relações com equilíbrio natural da paisagem e ajustes morfodinâmicos. 2009. 103f. Dissertação (Mestrado em geografia), Fundação Universidade Federal de Rondônia – UNIR, Porto Velho, 2009.

GREEN, C. H.; VAN GRIENSVEN, A. Autocalibration in hydrologic modeling: Using SWAT2005 in small-scale watersheds, Environmental Modelling & Software, [s.l], v.23, p.422 – 434, 2008.

IBGE. Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística. Cidades por Unidades Federativas. Disponível em: . Acesso em: 20 jun. 2014.

KENDALL, M. G. Rank Correlation Methods. Londres: Charles Griffin, 234p., 1975.

KENNEDY, J.; EBERHART, R. C. Proceedings of IEEE International Conference on Neural Networks., Nova Iorque: Piscataway, 1948p., 1995.

KRYSANOVA, V.; MULLER-WOHLFEIL. D.; BECKER, A. Development and test of spatially distributed hydrological water quality model for mesoscale watersheds. Ecological Modeling, [s.l], v.106, n.2, p.261-289, 1998.

LANDS, J. R.; KOCH, G. G. The measurement of observer agreement for categorial data. Biometrics, Washington, v. 33, p. 159-154, 1977.

Lillesand, T.M. et al. Remote sensing and interpretation. 5ed. Madison: Wiley, 2004. 763p., 2004.

LINHARES, C.A. Influência do desflorestamento na dinâmica da resposta hidrológica na bacia do Rio Ji-paraná/RO. 2005. 220f. Tese (Doutorado em Sensoriamento Remoto), INPE, São José dos Campos, 2005.

LU, E. et al. The Relationships between Climatic and Hydrological Changes in the Upper Mississippi River Basin: A SWAT and Multi-GCM Study, Journal of Hydrometeor, [s.l.], v. 11, p. 437–451, 2010.

MANN, H.B. Nonparametric tests against trend. Econometrica, [s.l.], v.13, p.245-259. 1945.

NEETI, N; EASTMAN, J.R. A Contextual Mann-Kendall Approach for the Assessment of Trend Significance. Transactions in GIS, [s.l], v.15, n.5, p.599-611. 2011.

PEDLOWSKI, M. A., DALE, V. H., MATRICARDI, E. A. T., SILVA, E. P. Patterns and impacts of deforestation in Rondonia, Brazil. Landscape and Urban Planning, [s.l.], v. 38, n. 3–4, p. 149–157, 1997.

ROBERTS, D. A. et al. Large area mapping of land-cover change in Rondônia using multitemporal spectral mixture analysis and decision tree classifiers. Journal of Geophysical Research, [s.l], v. 107, n. 20, p. 40–48, 1997.

RODRIGUEZ, D. A., TOMASELLA, J., LINHARES, C. Is the forest conversion to pasture affecting the hydrological response of Amazonian catchments? Signals in the Ji-Parana Catchment, Hydrological Processes, [s.l], v. 24, n. 10, p. 1254–1269, 2010.

SWANN, A. L. S. et al. Future deforestation in the Amazon and consequences for South American climate. Agricultural and Forest Meteorology, [s.l.], v. 214, p. 12–24, 2015.

SENAY, G.B. et al. Evaluating the SSEBop approach for evapotranspiration mapping with Landsat data using lysimetric observations. Hydrol. Earth Syst. Sci. Discuss, [s.l.], v. 11, p. 723–756, 2014.

SENAY, G. B. et al. A coupled remote sensing and simplified surface energy balance approach to estimate actual evapotranspiration from irrigated fields. Sensors, [s.l], v. 7, p. 979-1000, 2007.

SENAY, G. B. et al. Operational evapotranspiration mapping using remote sensing and weather datasets: a new parameterization for the SSEB approach. Journal of the American Water Resources Association, [s.l.], v. 49, p. 577- 591, 2013.

SOUZA, V. A. S. Avaliação Hidrossedimentológica Com Suporte Do Modelo SWAT Na Amazônia Ocidental – Bacia Do Rio Machadinho/RO. 2015. 210f. Dissertação (Mestrado em Engenharia Civil), Departamento de Engenharia Civil, Universidade Federal do Rio de Janeiro, Rio de Janeiro, 2015.

SOLER, L. S., VERBURG, P. H.. Combining remote sensing and household level data for regional scale analysis of land cover change in the Brazilian Amazon. Regional Environmental Change, [s.l], v. 10, n. 4, p. 371–386, 2010.

VU, M. T.; RAGHAVAN, S. V.; LIONG, S. Y. SWAT use of gridded observations for simulating runoff – a Vietnam river basin study, Hydrology and Earth System Sciences Discussions, [s.l.], v. 8, n. 6, 2011.

ZSEE - Rondônia. Governo do Estado, 2007, Zoneamento Socioeconômico-Ecológico do Estado de Rondônia: Um Instrumento de Gestão Ambiental a Serviço do Desenvolvimento Sustentável de Rondônia. Porto Velho: SEDAM, 2007.




DOI: http://dx.doi.org/10.5902/1980509835333

Licença Creative Commons