Avaliação das perdas de colheita de madeira em floresta comercial/industrial.

Odilon Oliveira Ferreira, Maurem Kayna Lima Alves, Nirlene Fernandes dos Santos

Resumo


O objetivo deste trabalho foi quantificar o volume de madeira perdida na colheita florestal. Os dados para a avaliação foram coletados diretamente no campo, em florestas de Pinus taeda. A mensuração do volume de madeira perdida foi feita com suta dendromética e trena, de acordo com o método de cubagem por Smalian, onde determinou-se o volume em metros cúbicos de cada porção de madeira deixada no talhão após encerrada a operação de arraste e transporte na área. Tais condições foram feitas em unidades amostrais alocadas aleatoriamente, sendo que cada tinha área de 400 m2. Foi feita e extrapolação dos volumes obtidos nas unidades amostrais para metros cúbicos estéreis por hectare. Os resultados encontrados evidenciam que 62,9% dos toretes desperdiçados possuem diâmetro entre 10 e 14 centímetros e 84,95% destes toretes apresentam comprimento entre 1,5 e 2,5 metros. Tais dimensões permitem perfeitamente sua utilização na indústria de celulose, lembrando que esses intervalos de diâmetro e comprimento apresentados foram os menores encontrados, ou seja, os demais toretes desperdiçados apresentavam dimensões maiores e, portanto, poderiam ter sido completamente aproveitados. Os reflexos dessas perdas em termos econômicos são bastante significativos, justificando um estudo no sistema produtivo em questão, visando o melhor aproveitamento possível da madeira colhida nas florestas, tanto por questões econômicas quanto pelos aspectos da qualidade total.


Palavras-chave


Wood, costs, wuality, Pinus teada

Texto completo:

PDF

Referências


CAMPOS, V.F. Controle de qualidade total. Rio de Janeiro: Bloch, 1992.

FINGER, C.A.G. Fundamentos de biometria florestal. Santa Maria: UFSM/CEPEF/FATEC, 1992. 269p.

JOHNSTON, D.R.; GRAYSON, A.J.; BRADLEY, R.T. Planeamento florestal. Lisboa: Fundação Calouste Gulbenkian, 1977. 798 p.

LOBOS, J. Qualidade! através das pessoas. São Paulo: J. Lobos, 1991.




DOI: https://doi.org/10.5902/19805098316

Licença Creative Commons