Estabelecimento e crescimento in vitro de plântulas de louro-pardo.

Tiago Antonio Fick, Dilson Antônio Bisognin, Kenia Michele de Quadros, Micheli Horbach, Lia Rejane S. Reiniger

Resumo


Os objetivos deste trabalho foram desenvolver um protocolo de estabelecimento e quantificar o crescimento in vitro de plântulas de louro-pardo (Cordia trichotoma (Vell.) Arráb. Ex Steud.) oriundas de sementes, para a produção de explantes assépticos. Para o estabelecimento in vitro, estudou-se o efeito do tempo de embebição e de diferentes protocolos de desinfestação das sementes. A embebiçao fez-se em água destilada e autoclavada por 0, 24, 48, 72, 96 ou 120 horas. Para a desinfestação de sementes sem tegumento, testou-se a imersão em álcool etílico 70% por 30 segundos, seguida da imersão em solução de hipoclorito de sódio a 2% ou 5% por 0, 5, 10, 15 ou 20 minutos. Foram avaliadas as percentagens de desinfestação e germinação e o tempo médio de germinação. O crescimento de explantes de louro-pardo foi quantificado nos meios de cultura 1/2MS e WPM, através do número de folhas e raízes emitidas e do comprimento da parte aérea e da raiz primária aos 7, 14, 21 e 28 dias após a inoculação. A embebição das sementes de louro-pardo por até 24 horas favoreceu a retirada do tegumento sem afetar a desinfestação e germinação. A retirada do tegumento e a imersão das sementes em solução de álcool etílico 70% por 30 segundos foram suficientes para a produção in vitro de plântulas assépticas. Plântulas de louro-pardo apresentaram melhor crescimento em meio de cultura WPM, sem a adição de reguladores de crescimento.


Palavras-chave


<i>Cordia trichotoma</i>; cultura de tecidos; micropropagação

Texto completo:

PDF

Referências


ANDRADE, M.W.; LUZ, J.M.Q.; LACERDA, A.S. et al. Micropropagação da aroeira (Myracrodruon urundeuva Allemão). Ciência Agrotécnica, Lavras, v. 24, n. 1, p. 174-180, 2000.

BEWLEY, J.D.; BLACK, M. Seeds: physiology of development and germination. 2.ed. New York : Plenum, 1994. 445p.

BHOJWANI, S.S.; RAZDAN, M.K. Plant tissue culture: theory and practice. Amsterdan: Elsevier, 1983. 512p.

CALDAS, L.S.; HARIDASAN, P.; FERREIRA, M.E. Meios nutritivos. In: TORRES, A.C.; CALDAS, L.S.; BUSO, J.A. Cultura de tecidos e transformação genética de plantas. Brasília: EMBRAPA-SPI/EMBRAPA-CNPH, 1998. p. 87-132.

CARVALHO, P.E.R. Espécies arbóreas brasileiras. Brasília: Embrapa Informação tecnológica, 2003. 1039p.

COUTO, J.M.F.; OTONI, W.C.O.; PINHEIRO, A.L. et al. Desinfestação e germinação in vitro de sementes de mogno (Swietenia macrophylla King). Revista Árvore, v. 28, p. 633-642, 2004.

FERREIRA, C.A.; GALVÃO, A.P.M. Importância da atividade florestal do Brasil. In: GALVÃO, A.P.M. (Ed.). Reflorestamento de propriedades rurais para fins produtivos e ambientais/um guia para ações municipais e regionais. 3 ed. Colombo: Embrapa Florestas, 2000. p. 15-18.

GRATTAPAGLIA, D.; MACHADO, M.A. Micropropagação. In: CALDAS, L.S.; TORRES, A.C.; BUSO, J.A. Cultura de tecidos e transformação genética de plantas. Brasília: EMBRAPA-SPI/EMBRAPA-CNPH, 1998. p. 183-260.

HANDA, L.; SAMPAIO, P.T.B.; QUISEN, R.C. Cultura in vitro de embriões e de mudas de pau-rosa (Aniba rosaeodora Ducke). Acta Amazônica, v. 35, n. 1, p. 29-33, 2005.

HARRINGTON, J.F. Seed storage longevity. In: KOZLOSKI, T.T. (Ed.).Seed biology. New York : Academic, 1972. v. 3, p. 145-245.

LIMA E BORGES, E.E.; PEREZ, S.C.J.G.A.; BORGES, R.C.G. et al. Comportamento fisiológico de sementes osmocondicionadas de Platymiscium pubescens Micheli (tamboril-da-mata). Revista Árvore, v. 26, n. 5, p. 603-613, 2002.

LLOYD, G., McCOWN, B. Commercially feasible micropropagation of montain laurel, Kalmia latifolia, by use of shoot tip culture. Combined Proceedings of the International Plant Propagator’s Society, v. 30, p. 421-327, 1981.

LORENZI, H. Arvores brasileiras: manual de identificação e cultivo de plantas arbóreas nativas do Brasil. Nova Odessa: Plantarum, 1992. 352p.

MANTOVANI, N.C.; FRANCO, E.T.H.; VESTENA, S. Regeneração in vitro de louro-pardo (Cordia trichotoma (Vellozo) Arrábida ex Steudel). Ciência Florestal, v. 11, n. 2, p. 93-101, 2001.

MANTOVANI, N.C.; FRANCO, E.T.H.; GUERRA, M. et al. Micropropagacão de caixeta (Scheffera morototoni). Ciência Florestal, v. 9, n. 1, p. 47-61, 2000.

MANTOVANI, N.C.; FRANCO, E.T.H. Cultura de tecidos de plantas lenhosas. Santa Maria : Centro de Pesquisas Florestais, UFSM, 1998. 132p. (Série técnica ; v. 12)

MANTOVANI, N.C.; FRANCO, E.T.H.; ANGONESI, L. et al. Resultados preliminares da micropropagação de louro-pardo Cordia trichotoma (Vellozo) Arrábida ex Steudel. In: CONGRESSO NACIONAL DE BOTÂNICA, 1996, Nova Friburgo. Anais... Nova Friburgo, 1996. p. 445.

MARTINS-CORDER, M.P.; BORGES JUNIOR, N. Desinfestação e quebra de dormência de sementes de Acacia mearnsii De Wild. Ciência Florestal, v. 9, n. 2, p. 1-7, 1999.

MENDONÇA, E.A.F.; RAMOS, N.P.; PAULA, R.C. Viabilidade de sementes de Cordia trichotoma (Vellozo) Arrabida ex Steudel (louro pardo) pelo teste de tretrazólio. Revista Brasileira de Sementes, v. 23, n. 2, p. 64-71, 2001.

MURASHIGE, T.; SKOOG, F.A. A revised medium for rapid growth and bioassay with tobacco tissue culture. Phisiologia Plantarum, v. 15, p. 473-497, 1962.

NOLETO, L.G.; SILVEIRA, C.E.S. Micropropagação de copaíba. Revista Biotecnologia Ciência & Desenvolvimento, v. 33, p. 109-120, 2004.

OLIVEIRA, L.M.; DAVIDE, A.C.; CARVALHO, L.M. Avaliação de métodos para quebra de dormência e para desinfestação de sementes de canafístula (Peltophorum dubium (Sprengel) Taubert. Revista Árvore, v. 27, p. 597-603, 2003.

REITZ, R.; KLEIN, R.M.; REIZ, A. Projeto madeira do Rio Grande do Sul. Porto Alegre: Governo do Estado do RS, 1988. 525p.

RIBAS, L.L.F.; ZANETTE, F.; KULCHETSCKI, L. et al. Micropropagação de Aspidosperma polyneuron (peroba rosa) a partir de segmentos nodais de mudas juvenis. Revista Arvore, v. 29, n. 4, p. 517-524, 2005.

TACORANTE, M.;. VIELMA, M.; MORA, A. et al. Propagación in vitro de caoba (Swietenia macrophylla King) a partir de yemas axilares. Acta Botánica Venezoelana, v. 55, p. 7-12, 2004.

THORPE, T.A., HARRY, I.S., KUMAR, P.P. Application of micropropagation to forestry. In: DEBERGH, P.C., ZIMMERMAN, R.H. (Ed.). Micropropagation: techonology and aplication. Dordrcht: Kluwer, 1991. p.311-336.

XAVIER, A. Silvicultura clonal I : princípios e técnicas de propagação vegetativa. Viçosa: UFV, 2002. 64p.




DOI: http://dx.doi.org/10.5902/198050981966

Licença Creative Commons