O IMPACTO DA (IN)COMUNICAÇÃO PARA AS RELAÇÕES PERVERSAS NAS ORGANIZAÇÕES

Fernanda Luz Moraes, Renata Andreoni, Fernando Carara Lemos

Resumo


Ao compreendermos as relações enquanto práticas comunicacionais, entendemos a necessidade de revisitar as práticas de (in)comunicação nas organizações e seus impactos nas relações de trabalho. Este artigo parte do cenário de esgotamento do ser (HAN, 2017a e 2017b), que ganha relevância na sociedade de desempenho, flexível (SENNETT, 2006) e líquida (BAUMAN, 2006), tornando-se terreno fértil para relações perversas nos ambientes organizacionais, podendo resultar na prática do assédio moral organizacional (SILVA, 2016; SOBOLL, 2017). Recorremos ao Pensamento Complexo (MORIN, 2011; 2015) para sustentar a necessidade de refletirmos sobre uma dimensão cooperativa (LEMOS, 2019) e o desenvolvimento da potência vital da comunicação (ANDREONI, 2018), como possibilidade de (re)construir as relações no mundo do trabalho.


Palavras-chave


Comunicação; Comunicação Organizacional; Relações Perversas; Dimensão Cooperativa; Potência Vital da Comunicação

Texto completo:

PDF


DOI: https://doi.org/10.5902/2175497741230 ';



Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição - Não comercial - Compartilhar igual 4.0 Internacional.

 

Apoio

Universidade Federal de Santa Maria

Programa de Pós-graduação em Comunicação

Animus recebe apoio financeiro do edital

PRÓ-REVISTAS 2019 nº 046/2019

 

ANIMUS - Revista Interamericana de Comunicação Midiática

e-mail: revistaanimus@ufsm.br

Classificação Qualis-CAPES: A3

Temática classificada CNPQ: Comunicação: 6.09.00.00-8

DOI: 10.5902/21754977

Creative Commons License

This work is licensed under a Creative Commons Attribution-NonCommercial-ShareAlike 4.0 International License.


Indexada em:

Compartilhe Revista Animus