REDES DE DESEJOS CONSONANTES: A IMPOSSIBILIDADE DA POLIFASIA COGNITIVA NA ERA DA PÓS-VERDADE

Arthur Walber Viana, Valdir Jose Morigi

Resumo


Reflete sobre como se constroem as versões de verdade diante do fenômeno da pós-verdade. Para tanto, propõe um aprofundamento teórico sobre as maneiras que indivíduos formulam seus pontos de vista e sobre como os seus modos de saber se relacionam, em âmbito individual e social. A partir de perspectivas da Psicologia Social e da Sociologia, situa o fenômeno da pós-verdade historicamente. Vê nas novas formas de socialização da informação e na lógica das redes sociais digitais movimentos que ampliam a busca por consonância cognitiva e, assim, afastam-nos da diversidade de pensamentos. Tal ocorrência dificulta a efetivação da hipótese da polifasia cognitiva (a construção dialética de saberes mais tolerantes a partir da coexistência de diferentes tipos de racionalidade em um mesmo indivíduo ou grupo social), abrindo espaço para discursos de ódio e fascismos.

Palavras-chave


Pós-verdade; Polifasia cognitiva; Teoria da Dissonância Cognitiva

Texto completo:

PDF


DOI: http://dx.doi.org/10.5902/2175497728205 ';





 

Apoio

Universidade Federal de Santa Maria

Programa de Pós-graduação em Comunicação

Animus recebe apoio financeiro do edital

PRÓ-REVISTAS 2017 nº 11/2017

 

ANIMUS - Revista Interamericana de Comunicação Midiática

e-mail: revistaanimus@ufsm.br

Classificação Qualis-CAPES: A3

Temática classificada CNPQ: Comunicação: 6.09.00.00-8

DOI: 10.5902/21754977

Creative Commons License

This work is licensed under a Creative Commons Attribution-NonCommercial-ShareAlike 4.0 International License.


Indexada em:

Compartilhe Revista Animus