Desempenho dos indicadores de liquidez das maiores cooperativas agroindustriais brasileiras entre 2011 e 2015

William Sbrama Perressim, Mário Otávio Batalha

Resumo


Este estudo tem como objetivo apresentar e analisar os indicadores de liquidez das maiores cooperativas nacionais de produção agroindustrial, sendo estes: liquidez geral, liquidez corrente e liquidez seca, entre os anos de 2011 e 2015. Para tal, oito cooperativas foram analisadas a partir da lista das quinze maiores organizações agroindustriais classificadas por faturamento líquido no Ranking Valor 1000 para o ano de 2016. Os resultados permitem concluir que as cooperativas agroindustriais nacionais têm, segundo os indicadores estudados, boa capacidade para pagarem suas dívidas de curto e longo prazo. Além disso, em alguns casos as cooperativas souberam reverter o quadro de deterioração de alguns indicadores, o que pode ser o resultado de uma gestão financeira eficiente. Cabe colocar e sugerir atenção ao comportamento dos próximos anos, visto a deterioração constante dos índices na maioria das cooperativas, com exceção do ótimo desempenho da Lar, a qual apresentou evolução em todos os indicadores observados.

Palavras-chave


Cooperativas agroindustriais; Indicadores de liquidez; Desempenho econômico-financeiro

Texto completo:

PDF

Referências


ACI – ALIANÇA COOPERATIVA INTERNACIONAL . What is a Co-operative?. Disponível em: http://ica.coop/en/what-co-operative. Acesso em: 13/06/2016.

ASSAF NETO, A. Estrutura e Análise de Balanços: Um enfoque econômico. 10. Ed. São Paulo: Atlas, 2012.

ASSAF NETO, A. Finanças Corporativas e Valor. 5. Edição. São Paulo: Atlas, 2010.

BATALHA, M. O.; SILVA, A. L. Gerenciamento de sistemas agroindustriais: definições e correntes metodológicas (capítulo 1). In: BATALHA, Mário O. (coord.)

BENTO, M. H. Dos Santos et al. Análise Econômica-Financeira em Cooperativas: um estudo de caso na CAMSUL. Revista de Gestão e Organizações Cooperativas, [S.l.], v. 3, n. 6, p. 15-30, mar. 2017.

BIALOSKORSKI NETO, S. Agronegócio cooperativo. In: BATALHA, M. O. (Coord.). Gestão agroindustrial. São Paulo: Atlas, 2009.

BIALOSKORSKI NETO, S. Economia e Gestão de Organizações Cooperativas. 2. ed. São Paulo: Atlas, 2012.

BRIGGEMAN, B. C; KERI, L. J; KENKEL, P. GREGORY, M. Currentt rends in cooperative finance", Agricultural Finance Review, Vol. 76 Issue: 3, p.402-410, 2016.

BRIGHAM, F. E. ; EHRHARDT, C. M. Administração financeira:teoria e prática. 1. ed. São Paulo: Cengage Learning, 2010.

CARVALHO, L. C.; BIALOSKORSKI NETO, S.; Indicadores de avaliação de desempenho econômicos em cooperativas agropecuárias: um estudo em cooperativas paulistas. Organizações Rurais e Agroindústrias, Lavras, v. 10, n.3, 2008.

CHADDAD, F. COOK, M. Understanding New CooperativeModels: AnOwnership-Control Rights Typology’, Review of Agricultural Economics, v. 26, n. 3, p. 348–360, 2014.

COOK, M. The future of U.S. agricultural cooperatives: a neo-institutional approach. American Journal of Agricultural Economics, v. 77, p. 1153–1159, 1995.

FRANCESCONI, G. N; WOUTERSE, F. Promoting the role of farmer-based organizations for value chain integration: the tension between a program'stargeting and an organization'sinvestment strategy. Agric. Econ., 46, pp. 527-536, 2015

GITMAN, Lawrence J. Princípios da administração financeira. 12 ed. São Paulo: Pearson Prentice Hall, 2010.

LAUERMANN, Gerson José et al. Desempenho econômico-financeiro de cooperativas: o caso do programa de monitoramento da autogestão das cooperativas agropecuárias do Paraná. Revista de Gestão e Organizações Cooperativas, [S.l.], v. 3, n. 6, p. 59-72, mar. 2017.

LAZZARINI, S. G.; BIALOSKORSKI NETO, S.; CHADDAD, F. R. Decisões financeiras em cooperativas: fontes de ineficiências e possíveis soluções. Gestão da Produção, São Carlos, v. 6, n. 3, p. 257-268, 1999.

MACIEL, A. C S. et al. Gestão Financeira de uma cooperativa agroindustrial: práticas de gerencamento e análise financeira . Revista de Gestão e Organizações Cooperativas, [S.l.], v. 2, n. 3, p. 71-82, jul. 2015.

MAPA – MINISTÉRIO DA AGRICULTURA PECUÁRIA E ABASTECIMENTO. Disponível em: http://www.agricultura.gov.br/arq_editor/file/camaras_tematicas/Insumos_agropecuarios/71RO/app_ocb. Acesso em: 13 jun. 2017.

OCB – ORGANIZAÇÃO DAS COOPERATIVAS BRASILEIRAS. Cooperativismo. Disponível em: http://www.brasilcooperativo.coop.br/site. Acesso em: 13 jun. 2016.

OCEPAR – ORGANIZAÇÃO DAS COOPERATIVAS DO PARANÁ. Disponível em: http://www.paranacooperativo.coop.br/ppc/index.php/sistema-ocepar/2011-12-05-11-29-42/2011-12-05-11-43-09. Acesso em: 13 jun. 2015.

OCESP – ORGANIZAÇÃO DAS COOPERATIVAS DO ESTADO DE SÃO PAULO. Estatística do cooperativismo. Disponível em: http://ocesp.org.br/default.php?p=texto.php&c=estatistica. Acesso em: 1 nov. 2017

ONU – ORGANIZAÇÃO DAS NAÇÕES UNIDAS. Agências da ONU lançam Ano Internacional das Cooperativas 2012. Disponível em: https://nacoesunidas.org/agencias-da-onu-lancam-ano-internacional-das-cooperativas-2012/. Acesso em: 12 jul.2017.

PERRESSIM, W S.; BATALHA, M. O. Cooperativas Agroindustriais e Margem de Lucro: Uma Investigação Entre 2011 e 2015. In: Congresso da Sociedade Brasileira de Economia, Administração e Sociologia Rural, 55., 2017, Santa Maria-RS. Inovação, Extensão E Cooperação Para o Desenvolvimento. Brasília: SOBER, 2017. v. 1.

RÉGIO TOESCA. Cooperativismo Agropecuário Aspectos Econômicos e Financeiros; 1. ed. São Paulo: Gregory, 2015.

ROSS, S. A et al. Administração financeira. 10. ed. Porto Alegre (RS): Mc Graw Hill, 2015.

SOBOH, R. et al. Performance measurement of the agricultural marketing cooperatives: The gap between theory and practice. Review of Agricultural Economics, v. 31, n. 3, p. 446- 469.

TOESCA, R. M.; GIMENES, F. M. P. Cooperativismo agropecuário os desafios do financiamento das necessidades líquidas de capital de giro. Revista de Economia Contemporânea, Rio de Janeiro, v. 10, n 2, p 389-410, 2006.

WORLD BANK 2016. Agricultural sector risk assessment: methodological guindance for practitioners. Washington DC: The World Bank.

YET, B. at al. A. A Bayesian Network Framework for Project Cost, Benefit and Risk Analysis with an Agricultural Development Case Study. Expert Systems With Applications, v. 60, n 30 p. 141-155, 2016.

ZYLBERSZTAJN, D. Papel dos contratos na coordenação agro-industrial: um olhar além dos mercados. RER, Rio de Janeiro, v. 43, n. 3, p. 385-420, 2005.




DOI: https://doi.org/10.5902/2359043230498

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Este obra está licenciado com uma Licença Creative Commons Atribuição-NãoComercial-SemDerivações 4.0 Internacional. 

     

   

   

 

ISSN Eletrônico: 2359-0432

ISSN Impresso: 2446-7103