Governança cooperativa: as práticas de governança consideram os princípios cooperativistas? Uma análise acerca de manuais de boas práticas

Alessandra Hocayen da Silva, Silvia Morales de Queiroz Caleman, Antônio João Hocayen-da-Silva

Resumo


O estudo teve como objetivo analisar em que medida os Manuais de Boas Práticas de Governança Cooperativa consideram os Princípios e os Valores Cooperativistas, historicamente constituídos. A pesquisa pode ser classificada descritiva e explicativa. Quanto a sua natureza trata-se de uma investigação qualitativa. A análise de conteúdo foi a técnica escolhida para conduzir a análise nos dois documentos. Para tanto, foram delimitadas as seguintes categorias analíticas: i) Contexto institucional e histórico de construção do Manual; ii) Objetivos e Propósitos declarados para o Manual; iii) Estrutura, Conteúdo e Propostas de gestão e organização do Manual. Concluiu-se por meio desse estudo, que os documentos que recomendam as práticas de GC ainda carecem de revisões, buscando a representatividade de todo o sistema, para que as ações contemplem, de fato, os ideias e os valores cooperativistas, e estejam alinhados às necessidades do público a que foram designados.


Palavras-chave


Princípios Cooperativistas; Governança Corporativa; Boas Práticas de Gestão.

Texto completo:

PDF

Referências


ANDRADE, A.; ROSSETTI, J. P. Governança corporativa: fundamentos, desenvolvimento e tendências. 6. ed. São Paulo: Atlas, 2012.

ANTONIALLI, L. M.; SOUKI, G. Q. Princípios cooperativistas e modelo de gestão: um estudo sobre conflitos de interesses entre grupos de produtores rurais. XLIII CONGRESSO DA SOBER, Ribeirão Preto, 2005.

BARDIN, L. Análise de conteúdo. São Paulo: Edições 70, 2011.

BCB – Banco Central do Brasil. Governança Corporativa: Diretrizes e mecanismos para fortalecimento da governança em cooperativas de crédito. Brasília: BCB, 2009.

BEGNIS, H. S. M.; AREND, S. C.; ESTIVALETE, V. F. B. Em Frente ao Espelho: a produção do conhecimento em cooperativas. Revista de Economia e Sociologia Rural, Vol. 52, Nº 01, p. 099-116, 2014.

BERLE, A. A.; MEANS, G. C. A moderna sociedade anônima e a propriedade privada. São Paulo: Nova Cultural, 1984.

BIALOSKORSKI NETO, S.; MARQUES, P. V. Agroindústria Cooperativa: Um Ensaio Sobre Crescimento e Estrutura de Capital. Revista Gestão e Produção, São Paulo, v.5, n.1, p. 60-68, abr. 1998.

BRASIL. Lei 5.764, de 16 de dezembro de 1971. Define a Política Nacional de Cooperativismo, institui o regime jurídico das sociedades cooperativas, e dá outras providências. Disponível em: . Acesso em: 13 jun. 2017.

CANÇADO, A. C.; RIGO, A. S.; PEREIRA, J. R.; GONTIJO, M. C. H. Movimento e Princípios Cooperativistas: Evolução e Reflexões para Novos Estudos. Gestão Social: aspectos teóricos e aplicações. Ijuí, 2012.

CAPPELLESSO, G.; FIGUEIREDO, L. M.; LIMA, D. V. A contribuição dos novos padrões contábeis para a governança corporativa do setor público brasileiro. RACEF – Revista de Administração, Contabilidade e Economia da Fundace, v. 7, n. 3, p.77-90, 2016.

CARMONA, P.; FUENTES, C.; RUIZ, C. Risk disclosure analysis in the Corporate governance annual report using fuzzy-set qualitative comparative analysis. RAE, v. 56, n. 3, p. 342-352, 2016.

CERVO, A. L.; BERVIAN, P. A. Metodologia cientifica para uso dos estudantes universitários. São Paulo: McGraw-Hill, 2002.

COSTA, D. R. M.; CHADDAD, F. R.; AZEVEDO, P. F. Separação Entre Propriedade e Decisão de Gestão nas Cooperativas Agropecuárias Brasileiras. Revista de Economia e Sociologia Rural, Piracicaba-SP, Vol. 50, Nº 2, p. 285-300, 2012.

CRÚZIO, H. de O. Como organizar e administrar uma cooperativa. 2. ed. Rio de Janeiro, Editora FGV, 2002, 156 p.

CUFFA, D.; ZAGO, C.; ZARELLI, P. R.; MELLO, G. R. O Impacto da Governança Corporativa Eletrônica na Gestão do Conhecimento. Navus, v. 6, n. 4, p. 98-107, 2016.

CVM. Relações com Investidores da Pequena Empresa ao Mercado de Capitais. 2 ed. Rio De Janeiro, Editora Ibri: CVM, p. 72, 2015.

DENZIN, N. K.; LINCOLN, Y. S. O planejamento da pesquisa qualitativa: teorias e abordagens. Porto Alegre, RS: Artmed, 2006.

DOMINGUES, L. M.; MURITIBA, P. M.; MURITIBA, S. N. Boa governança corporativa em micro e pequenas empresas leva à internacionalização? CONTEXTUS - Revista Contemporânea de Economia e Gestão, v. 14, n. 3, p. 53-78, 2016.

ECODA - The European Confederation of Directors Associations. Corporate Governance Guidance and Principles for Unlisted Companies in Europe.1 ed. Belgium: Editora ecoDa, 2010.

FAMA, E. F.; JENSEN, M. C. Separation of ownership and control. Journal of Law and Economics, 26(2), 301–325, 1983.

FILHO, J. R. F.; MARUCCI, J. C.; OLIVEIRA, M. J. Governança cooperativa: participação e representatividade em cooperativas de crédito no Brasil. RCO – Revista de Contabilidade e Organizações, v. 2, n. 4, p. 107-125, 2008.

GIBSON, R.; KOBLUK, D.; GOULD, L. A Historical Overview and Relevance to Northern & Aboriginal Communities. Rural Development Institute, Canada, 2005.

GIL, A. C. Métodos e técnicas de pesquisa social. São Paulo: Atlas, 1999.

HANSMANN, H. Ownership of the firm. Journal of Law, Economics and Organization, Oxford, v. 4, n. 2, p. 267- 304, 1988.

HOBSBAWM, E. J. A era do capital: 1848-1875. Rio de Janeiro: Paz e Terra, 1996.

HOLYOAKE, G. J. Os 28 tecelões de Rochdale. Tradução Archimedes Taborda. Rio de Janeiro, 1933.

IBGC – Instituto Brasileiro de Governança Corporativa. Governança Corporativa. Disponível em: . Acesso em: 06 Jun. 2017.

IBGC – Instituto Brasileiro de Governança Corporativa. Guia das melhores práticas de governança para cooperativas. 1. ed. São Paulo, IBGC, 2015, p.13.

ICA – International Cooperative Alliance. History Co-operative movement. Disponível em: . Acesso em: 08 Jun. 2017.

JACOMETTI, M. Considerações sobre a evolução da governança corporativa no contexto brasileiro: uma análise a partir da perspectiva weberiana. RAP, v. 46, n. 3, p.753-773, 2012.

JENSEN, M. C.; MECKILING, W. H. Theory of the firm: Managerial behavior, agency costs and ownership structure. Journal of Financial Economics, vol. 3, p. 305-360, 1976.

LEAL, R. P. C. Governance practices and corporate value: a recent literature survey. Revista de Administração, v. 39, p. 327-337, 2004.

LEITE, D. A.; MELO, H. C.; NUNES, S.; MORILHA, P. Pesquisa em governança corporativa no Brasil: análise teórica e agenda de pesquisa à luz da dimensão holística da governança corporativa de 1998 a 2010. Revista Tecer, v. 6, n. 10, p. 62-79, 2013.

LIMA, J. B. Cooperativismo – aula inaugural do ano letivo de 1944. Anais da E.S.A, 1944.

MAESTRI, C. O. N. M.; TERUEL, R. L. H.; RIBEIRO, K. C. S. Governança corporativa e o impacto no custo de capital próprio. Revista de Finanças Aplicadas, v. 7, n.4, p. 1-17, 2016.

MARANHO, F. S.; FONSECA, M. W.; FREGA, J. R. Governança corporativa e desempenho das empresas diante da crise econômica global de 2008: uma análise de dados em painel. Rev. Adm., v. 9, n. 2, p. 293-311, 2016.

MAZZIONI, S.; FOLLETTO, E. P.; GUBIANI, C. A.; KRUGER, S. D. Governança Corporativa: Análise Bibliométrica do Período de 2000 a 2012. REUNIR – Revista de Administração, Contabilidade e Sustentabilidade, v. 5, n. 1, p. 1-21, 2015.

MONTEIRO, P. da V. E a Governança Corporativa?. Jornal Valor Econômico. São Paulo, Caderno Eu & Meu Dinheiro, 25 março 2003.

MORAIS, E. E.; LANZA, F.; SANTOS, L. M. L.; PELANDA, S. S. Propriedades coletivas, cooperativismo e economia solidária no Brasil. Serviço Social e Sociedade, [online], n. 105, pp. 67-88, 2011.

MORENO, G. C. L.; LOPES, J. E.; PEDERNEIRAS, M. M. M.; FILHO, J. F. R. Uma análise bibliométrica da pesquisa científica em governança corporativa: uma investigação nos trabalhos apresentados nos congressos da ANPCONT e da USP 2007- 2010. Estudo & Debate, v. 20, n. 2, p. 75-95, 2013.

MOTA, S. L.; PINTO, S. K. M. A utilização do twitter na análise do disclosure voluntário das empresas brasileiras com níveis diferenciados de governança corporativa. Revista Evidenciação Contábil & Finanças, v. 5, n. 1, p. 22-38, 2017.

MURITIBA, S. N.; MURITIBA, P. M.; DOMINGUES, L. M. DI DIO, G.; FERNANDO ZAVARIZZI, F. Governança corporativa e sucessão em empresas familiares. ReCaPe Revista de Carreiras e Pessoas, v. VI, n. 3, p. 346-357, 2016.

NASCIMENTO, J. P. B.; LEITE FILHO, G. A.; SILVA, I. C.; MORAES, A. F. O.; BERNARDO, D. C. R.; BORGES, G. F. Governança Corporativa em Foco: Uma Análise na Produção Científica dos Anais e Periódicos da Universidade de São Paulo. VI Simpósio de Excelência em Gestão e Tecnologia – SEGET ... Anais, Resende/RJ. 2009.

NETO, S. B.; BARROSO, M. F. G.; REZENDE, A. J. Governança cooperativa e sistemas de controle gerencial: uma abordagem teórica de custos da agência. Brasilian Business Review, v. 9, n. 2, p. 72-92, 2012.

NEUMAN, W. L. Social research methods, qualitative and quantitative approaches. Boston: Allyn and Bacon, 1997.

OCB – Organização das Cooperativas Brasileiras. Manual de boas práticas de governança cooperativa. 1.ed, OCB, 2016.

OCB – Organização das Cooperativas Brasileiras. O que é cooperativismo? Disponível em: . Acesso em: 05 Jun. 2017.

OECD – Organisation for Economic Co-Operation And Development. G20/OECD Principles of Corporate Governance. Turkey, 2015.

OLIVEIRA, D. de P. R. Manual de gestão das cooperativas: uma abordagem prática. São Paulo: Atlas, 2001.

OLIVEIRA, I. G. S.; RODRIGUES, H. S.; SOBRINHO, W. B. R.; ALMEIDA, J. E. F. Caso de Ensino: Abertura de Capital e Implantação de Sistema de Governança Corporativa em uma Empresa Familiar. REPeC – Revista de Educação e Pesquisa em Contabilidade, v. 9, n. 4, p. 453-468, 2015.

OSINSKI, M.; ROMAN, D. J.; PEREIRA, M. F. Responsabilidade social e governança corporativa em uma construtora. Revista Eletrônica de Estratégia & Negócios, v. 9, n. 1, p. 180-203, 2016.

PINHO, D. B. A empresa cooperativa. Administração de cooperativas. São Paulo: CNPq, 1982b. p.15-40.

RAMOS, S. S.; VIEIRA, K. M.; PARABONI, A. L. Governança Corporativa em Organizações Públicas: Aplicação do Limpe na Mesorregião Centro-Ocidental Rio-Grandense. RAD, v. 19, n. 1, p. 1-31, 2017.

REYNOLDS, A. Defining the value of the cooperative business model: an introduction. Madison: CHS Center for Cooperative Growth, 2013.

RIBEIRO, H. C. M.; JUNIOR, C. M.; SOUZA, M. T. S., CAMPANÁRIO, M. A.; CORRÊA, R. Governança Corporativa: Um Estudo Bibliométrico da Produção Científica das Dissertações e Teses Brasileiras. Contabilidade, Gestão e Governança, v. 15, n. 3, p. 52-70, 2012.

RIBEIRO, H. C. M.; MURITIBA, S. N.; MURITIBA, P. M.; DOMINGUES, L. M. Entender para progredir: análise da pesquisa em governança corporativa no Brasil. Gestão Contemporânea, ano. 9, n. 12, p. 11-42, 2012.

RIBEIRO, H. C. M.; SANTOS, M. C. Perfil e Evolução da Produção Científica do Tema Governança Corporativa nos periódicos Qualis/Capes Nacionais: Uma Análise Bibliométrica e de Redes Sociais. Contabilidade, Gestão e Governança, v. 18, n. 3, p. 4-27, 2015.

RIBEIRO, H. C. M.; SOUZA, M. T. S.; GOMES, N. Sustentabilidade e governança corporativa: um estudo da evidenciação de emissões de Gee das empresas listadas no Ise Bovespa. REUNA, v. 19, n. 5, p. 89-116, 2014.

RIPAMONTI, A.; KAYO, E. K. Corporate governance and capital structure in Brazil: stock, bonds and substitution. RAM - Rev. Adm. Mackenzie, v. 17, n. 5, p. 85-109, 2016.

SAUNDERS, M. N. K.; LEWIS, P.; THORNHILL, A. Research methods for business students. Harlow: Financial Times/Prentice Hall, 2000.

SCHNEIDER, J. O. Democracia, participação e autonomia cooperativa. 2. ed. São Leopoldo: UNISINOS, 1999.

SCHULZE, E. Estrutura do poder em cooperativas. Perspectiva Econômica, São Leopoldo, v.22, n.59, p.49-76, jun./dez. 1987.

SILVA, F. B.; SANTOS, D. F. L.; RODRIGUES, S. V. Desempenho comparativo das ações de empresas com Governança corporativa entre os setores bancário e Industrial. Revista Raunp., v. 8, n. 2, p. 48-65, 2016.

SILVA, R. F.; SOUZA, A.; SILVA, W. Governança corporativa em cooperativas agropecuárias: um modelo de classificação com aplicação da ferramenta walk. Race, v. 14, n. 1, p. 313-322, 2015.

SOUZA, G. H. S.; LIMA, N. C.; BARBOSA, F. B.; COUTINHO, A. C.; ALBUQUERQUE, A. A. Corporate governance and performance of the stocks of companies from the Brazilian electricity sector listed in Bovespa. Revista de Negócios, v. 20, n. 1, p. 13-28, 2015.

SPELL. Governança Cooperativa. Disponível em: . Acesso em: 09 de setembro de 2017b.

SPELL. Governança Corporativa. Disponível em: . Acesso em: 09 de setembro de 2017a.

TEIXEIRA, M. G.; ROGLIO, K. D.; MARCON. R.; ,Institutional logics and the decision-making process of adopting corporate governance at a cooperative organization, Journal of Management & Governance, 1-29, Springer US, 2016.

TOSINI, M. F. C.; BASTOS, A. M. Governança cooperativa: as funções de fiscalização e Controle em cooperativas de crédito no Brasil. RCO – Revista de Contabilidade e Organizações, v. 2, n. 4, p. 75-89, 2008.

VACCARI, N. A. D.; BEUREN, I. M. Participação feminina na governança corporativa de empresas familiares listadas na BM&FBOVESPA. Revista Evidenciação Contábil & Finanças, v. 5, n. 1, p. 113-131, 2017.

VERGARA, S. C. Métodos de pesquisa em administração. São Paulo: Atlas, 2006.

VERGARA, S. C. Projetos e relatórios de pesquisa em administração. São Paulo: Atlas, 1998.

VILELA, R. H. P.; FERRAZ, S. F. S.; FERRAZ, S. B. Modelo diagnóstico de governança corporativa em cooperativas de saúde. R. Adm. Faces Journal, v. 14, n. 1 p. 28-48, 2015.

ZAGO, C.; MELLO, G. R.; Governança Corporativa Eletrônica e Desempenho Econômico e Financeiro das Empresas Listadas no Índice Bovespa. Organizações em Contexto, v. 12, n. 23, p. 419-453, 2016.

ZEULI, K. A; CROPP, R. Cooperatives: Principles and practices in the 21st century. Madison: Extension Publishing, 2004.

ZYLBERSZTAJN, D. Organização de cooperativas: desafios e tendências. Revista de Administração, São Paulo, v.29, n.3, p.23-32, jul./set. 1994.




DOI: https://doi.org/10.5902/2359043230472

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Este obra está licenciado com uma Licença Creative Commons Atribuição-NãoComercial-SemDerivações 4.0 Internacional. 

     

   

   

 

ISSN Eletrônico: 2359-0432

ISSN Impresso: 2446-7103