Gestão de organizações cooperativas: o problema do portfólio em cooperativas agropecuárias do Rio Grande do Sul

Dieisson Pivoto, Paulo Dabdab Waquil, Carlos Alberto Oliveira de Oliveira, Giana de Vargas Mores, Vitor Francisco Dalla Corte

Resumo


Este trabalho objetivou analisar o problema do portfólio e identificar as estratégias empregadas pelas cooperativas agropecuárias do Rio Grande do Sul (RS), a fim de minimizar esse problema decorrente dos direitos de propriedade difusos. A ferramenta para coleta dos dados consistiu em um roteiro semiestruturado e foram amostradas 10% das cooperativas agropecuárias do RS, estratificadas com base no porte e na atividade produtiva. O problema do portfólio apresentou maior incidência nas cooperativas que processam ou transformam a matéria-prima. Visando à redução do problema do portfólio, identificaram-se diferentes estratégias nas cooperativas analisadas: a escolha dos projetos de investimentos com base no mercado, a avaliação técnica dos projetos e investimentos, a opção pelo não crescimento da cooperativa, a composição do conselho de administração para evitar problemas de portfólio lateral.

Palavras-chave


Agronegócios. Economia rural. Cooperativismo agropecuário. Estratégias em cooperativas.

Texto completo:

PDF

Referências


BIALOSKORSKI NETO, S. Cooperativas: economia, crescimento e estrutura de capital. 1998. Tese (Doutorado em Economia Aplicada) - Universidade de São Paulo, São Paulo, 1998.

__________. Economia e gestão de organizações cooperativas. São Paulo: Atlas, 2012.

BRASIL. Lei nº 5.764, de 16 de dezembro de 1971. Define a Política Nacional de Cooperativismo, institui o regime jurídico das sociedades cooperativas, e dá outras providências. Brasília, DOU, 1971. Disponível em:

ccivil_03/leis/L5764.htm>. Acesso em: 23 set. 2014.

COASE, R. H. The nature of the firm. Economica, v. 4, n. 16, pp. 386-405, 1937.

COMMONS, J. R. Institutional economics. American Economic Review, v. 21, n. 4, pp. 648-657, 1931.

COOK, M. L. The future of US agricultural cooperatives: a neo-institucional approach. American Journal of Agricultural Economics, v. 77, pp. 1153-1159, 1995.

COOK, M. L.; ILIOPOULOS, C. Solutions to property rights constraints in producer-owned and controlled organizations: prerequisite for agri-chain leadership?. In: ZIGGERS, G. W.; TRIENEKENS, J. H.; ZUURBIER, P. J. P. (Eds.). Proceedings of the third international conference on chain management in agribusiness and the food industry. Wageningen: Wageningen Agricultural University, 1998. p. 541-553.

PLUNKETT, B. The portfolio problem in agricultural cooperatives: an integrated framework. 2005. Tese (Doutorado em Economia Agrícola) - Universidade de Missouri, Columbia, Estados Unidos da América, 2005.

PINDYCK, R. S.; RUBINFELD, D. L. Microeconomia. São Paulo: Prentice Hall, 2006.

PIVOTO, D. et al. Análise do perfil financeiro e estrutural das cooperativas agropecuárias do Estado do Rio Grande do Sul. Ensaios FEE, v. 35, n. 1, p. 249-266, 2014.

STAATZ, J. M. The structural characteristics of farmers cooperatives and their behavioral consequences. Washington: USDA, 1987.

SYKUTA, M. E.; COOK, M. L. A new institutional economics approach to contracts and cooperatives. American Journal of Agricultural Economics, v. 83, n. 5, 2001.

VALADARES, J. H. A moderna administração de cooperativas: curso de preparação para os futuros dirigentes da Unimed-RO. Porto Velho: FGV, 2001.




DOI: https://doi.org/10.5902/2359043216365

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Este obra está licenciado com uma Licença Creative Commons Atribuição-NãoComercial-SemDerivações 4.0 Internacional. 

     

   

   

 

ISSN Eletrônico: 2359-0432

ISSN Impresso: 2446-7103