Relação entre força muscular respiratória e funcionalidade em idosos residentes em instituições de longa permanência

Cleide Cristina Firmino Oliveira, Jamine Barros Oliveira Araújo, Luciana Araújo dos Reis

Resumo


No envelhecimento ocorre uma redução gradual da força muscular respiratória e da capacidade funcional, nesta perspectiva, o presente estudo tem por objetivo identificar a relação entre a força muscular respiratória e a funcionalidade em idosos residentes em instituições de longa de permanência. Trata-se de um estudo do tipo analítico com delineamento transversal e abordagem quantitativa, tendo como campo de pesquisa três instituições de longa permanência para idosos nos municípios de Vitória da Conquista e Jequié/BA, com amostra de 62 idosos. O instrumento de pesquisa foi constituído de cinco (5) partes: avaliação cognitiva, informações sociodemográficas, estado de saúde, força muscular respiratória (PImáx e PEmáx) e capacidade funcional (atividades básicas e instrumentais de vida diária). Os dados foram analisados por meio da análise estatística descritiva e aplicação do coeficiente de correlação de Spearman. Verificou-se que houve diferença estatística significativa entre PEmáx e atividades instrumentais de vida diária (p=0,000). Os resultados encontrados no presente estudo sugerem que os valores reduzidos da PEmáx estão associado ao comprometimento das atividades instrumentais de vida diária.


Palavras-chave


Idosos; Funcionalidade; Força muscular respiratória.

Texto completo:

PDF

Referências


Gusmão MFS, Duarte SFP, Lago LS, Nascimento CP, Almeira RFF, Reis LA. Mensuração das pressões respiratórias máximas em idosos participantes de grupos de convivência. InterScientia. 2015;3(2):133-41.

Almeida RFF, Nascimento CP, Lago LS, Gusmão MFS, Duarte SFP, Reis LA. Relação entre força muscular respiratória e faixa etária em idosos participantes de grupos de convivência. Rev Enferm Contempor. 2015;4(1):33-8.

Farrareze M, Piccoli JCJ, Souza RM. Gordura corporal e função pulmonar: um estudo em idosas de Novo Hamburgo, RS, Brasil. Rev Univ Educ Fis Deporte. 2014; 7:69-75.

Reis LA, Moreira JSS, Duarte FP. Risk of falling, respiratory and functional capacity in elderly residents in institutions of long stay. Rev Neurocienc. 2015; 23(3):397-404.

Vasconcello JAC et al. Pressões respiratórias máximas e capacidade funcional em idosas assintomáticas. Fisioterapia em Movimento, 20(3), 2017.

Silva CM, Araujo A, Silva AL, Sousa V, Gomes Neto M, Saquetto M. Avaliação da força muscular respiratória e capacidade funcional em pacientes com fibrose cística. Acta Fisiátrica. 2016; 23(4): 186-190.

Bertolucci PHF et al. O Mini-Exame do Estado Mental em uma população geral: impacto da escolaridade. Arq. Neuropsiquiatr. 1994; 52 (1):1-7.

Black LF, Hyatt RE. Maximal respiratory pressures: normal values and relationship to age and sex. Am Rev Respir Dis. 1969;99(5):696-702.

Shah S, Vanclay F, Cooper B, Improving the sensitivity of the Barthel Index for stroke rehabilitation. J Clin Epidemiol. 1989; 42(8):703-9.

Lawton MP, Brody EM. Assesment of older people: self-maintaining and instrumental activities of daily living. Gerontologist. 1969; (9):179-85

Almeida RFF, Nascimento CP, Lago LS, Gusmão MFS, Duarte SFP, Reis LA. Relação entre força muscular respiratória e faixa etária em idosos participantes de grupos de convivência. Revista Enfermagem Contemporânea. 2015;4(1):33-38.

Abrahin O, Rodrigues RP, Nascimento VC, Silva-Grigoletto MS, Sousa EC, Marçal AC. Single and multiple set resistance training improves skeletal and respiratory muscle strength in elderly women. Dovepress Journal. 2014;9:1775-1782.

Joshua AM, D’Souza V, Unnikrishnan B, Mithra P, Kamath A, Acharya V, et al. Effectiveness of Progressive Resistance Strength Training Versus Traditional Balance Exercise in Improving Balance Among the Elderly: a Randomised Controlled Trial. J ClinDiagn Res. 2014;8(3):98-102.

Monteiro DP, Brito R, Carvalho MLV, Montemezzo D, Parreira VF, Pereira DAG. Shuttle walking test as an instrument for assessment of functional capacity: a literature review. Ciência&Saúde. 2014;7(2):92-97.

Ike D, Bueno CEC, CutlacNeto J, Pessoa-Santos BV, Jamami M. Analysis of agreement between peak expiratory flow meters and comparison of reference values. FisioterMov. 2017;30(3):509-517.

Baltieri L, Dos Santos LA, Furlan GN, Moreno MA. Respiratory muscle strength and thoracoabdominal mobility in sedentary elderly, adults and players of adapted volleyball: a pilot study. FisioterPesq 2014;21(4):314-319.

Nascimento VC, Teixeira RC, Sousa EC, Gomes ELFD, Costa D. Effect of resistance training on physical performance and respiratory functional capacity of elderly women. J. Phys. Educ. 2018; 29, e2943.

Borges et al. Envelhecimento e força muscular respiratória de idosos independentes residentes de uma instituição de longa permanência em regime aberto. JCBS. 2015; 1(2): 61-67.




DOI: https://doi.org/10.5902/2236583442460

Direitos autorais 2020 Saúde (Santa Maria)

______________________________________________________________

Peridiocidade: Fluxo Contínuo.


Qualis:


Interdisciplinar e Educação Física - B3

Ciências Ambientais, Enfermagem, Odontologia e Saúde Coletiva - B4

Medicina Veterinária - B5

Biotecnologia e Ciências Biológias II - C

  

 Licença Creative Commons 

Saúde (Santa Maria) ∴ revistasaude.ufsm@gmail.com

eISSN 2236-5834 ∴ DOI 10592/22365834

 

Acessos desde 08/08/2013.