A reinvenção de práticas do ver: o arqueólogo como ficção verossímil no cinema

Margarida do Amaral Silva

Resumo


Temas relacionados ao trabalho arqueológico são constantemente abordados no cinema, que utiliza a figura do arqueólogo a partir de práticas diversificadas “do ver”. Por isso, o presente estudo, lançando mão de exemplos práticos – os filmes hollywoodianos – tende a dimensionar abordagens sobre as relações ressignificadas entre Arqueologia/arqueólogo e o Cinema, considerando as premissas sócio-culturais implícitas em tal conteúdo informacional.


Palavras-chave


Cinema; Práticas do Ver; Arqueólogo-herói; Mito do realismo integral

Texto completo:

PDF

Referências


A LENDA do Tesouro Perdido. Diretor: Stiven Spielberg. Produção: Michael Bay. Intérpretes: Nicolas Cage e outros. Roterio: Morris Spencer. Los Angeles: Walt Disney Pictures. 1DVD (131 min). Produzido por Walt Disney Home Entertainment, 2004

ALMEIDA, M. B. O público e o patrimônio arqueológico: reflexões para a arqueologia pública no Brasil. Revista Habitus – Instituto Goiano de Pré-História e Antropologia/Universidade Católica de Goiás, v. 1, n. 2, jul./dez., p. 275-296, 2003

ANDRADE, R. Fotografia e Antropologia – olhares fora-dentro. São Paulo: Estação Liberdade; EDUC, 2002

AUMONT, J. A imagem. Campinas, SP: Papirus, 1993.

AUMONT, J. et al. A estética do filme. Campinas, SP: Papirus, 1995.

AZEVEDO NETTO, C. X. A preservação do patrimônio arqueológico: a interseção com o meio ambiente e a identidade cultural. Revista Habitus – Instituto Goiano de Pré-História e Antropologia/Universidade Católica de Goiás, v. 3, n. 1, jan./jun., p. 145-169, 2005.

BACHELARD, G. A poética do espaço. São Paulo: Martins Fontes, 2005.

BAZIN, A. O Cinema – ensaios. São Paulo: Brasiliense, 1991.

BERNARDET, J. C.; RAMOS, A. R. Repensando a história: cinema e história do Brasil e a produção da história no cinema. São Paulo: Contexto, 1988.

BOURDIEU, P. O poder simbólico. Rio de Janeiro: Bertrand Brasil, 2004.

BURKE, P. Testemunha ocular: história e imagem. Bauru, SP: EDUSC, 2004.

CASSIRER, E. Linguagem e mito. São Paulo: Perspectiva, 2003.

FRANCASTEL, P. A realidade figurativa. São Paulo: Perspectiva, 1993.

FUNARI, P. P. A.; CARVALHO, A. V. O patrimônio em uma perspectiva crítica: o caso do Quilombo dos Palmares. In: Diálogos, DHI/PPH/UEM, v. 9, nº 1, p. 33-47, 2005.

GEERTZ, C. O saber local: novos ensaios em antropologia interpretativa. Petrópolis: Vozes, 1997.

GONÇALVES, J. R. S. O patrimônio e a matéria: o patrimônio como categoria de pensamento.In: Habitus, Goiânia, v. 1, nº 2, jul/dez., p. 459-468, 2003.

______. Ressonância, materialidade e subjetividade: as culturas como patrimônios. In: Horizontes Antropológicos, Porto Alegre, Ano 11, nº 23, jan/jul, p. 16-36, 2005.

HALBWACHS, M. A memória coletiva. São Paulo: Centauro, 2006.

INDIANA JONES e os Caçadores da Arca Perdida. (2006). Direção: Steven Spielberg. Produção: George Lucas. Intérpretes: Harrison Ford; Karen Allen; Paul Freema; Ronald Lacey; John Rhys Daves; Denholm Elliot e outros. Roteiro: Lawrence Kasdan. Música: John Williams. Los Angeles: Lucas Film Ltd. c2006. 1 DVD (115 min). Produzido por Paramount Pictures.

JODELET, D. (Org.) As representações sociais. Rio de Janeiro: EdUERJ, 2001.

LARA CROFT. Tomb Raider – A origem da vida. Direção: Simon West. Produção: Lawrence Gordon. Intérpretes: Angelina Jolie; Gerard Buther; Ciaran Hinds e outros. Roteiro: Sara Coorped. Música: Dallas Feet. Los Angeles: Paramound Pictures. 1DVD (117 min.). Produzido por A Universal Pictures, 2003.

LARAIA, R. B. Cultura: um conceito antropológico. Rio de Janeiro: Jorge Zahar, 2005.

LATOUR, B. Reflexão sobre o culto moderno dos deuses fe(i)tiches. Tradução de Sandra Moreira. Bauru: EDUSC, 2001.

LEROI-GOURHAN, A. O gesto e a palavra: memória e ritmos. Lisboa: Perspectivas do Homem/Edições 70, 2002.

LÉVI-STRAUSS, C. El hombre desnudo. Tradução de Juan Almela. México: Siglo Veintiuno, 1983.

______. Olhar, escutar, ler. São Paulo: Companhia das Letras, 1997.

LIMA FILHO, M. F. Cidades patrimoniais e identidades nacionais: questões antropológicas na perspectiva comparativa entre o Brasil e os Estados Unidos. In: LIMA FILHO, M. F.; BEZERRA, M. (Orgs.). Os caminhos do patrimônio no Brasil. Goiânia: Alternativa, 2006.

MARCONI, M. A.; PRESOTTO, Z. N. Antropologia: uma introdução. São Paulo: Atlas, 2007.

MARTINS, Raimundo. A Cultura Visual e a Construção Social da Arte: da imagem e das práticas do ver. In: OLIVEIRA, Marilda Oliveira de (Org.). Arte, Educação e Cultura. Santa Maria: UFSM, 2007.

METZ, C. A significação no cinema. São Paulo: Perspectiva, 1972.

NAJJAR, J.; NAJJAR, R. Reflexões sobre a relação entre Educação e Arqueologia: uma análise do papel do Iphan como educador coletivo. In: LIMA FILHO, M. F.; BEZERRA, M. Os caminhos do patrimônio no Brasil. Goiânia: Alternativa, 2006.

NUNES, H. P. F. Filmes norte-americanos: as imagens estereotipadas dos árabes no Brasil (1945-1987). In: SANTOS, D. O. A.; TURCHI, M. Z. (Orgs.). Encruzilhadas do imaginário: ensaios de literatura e história. Goiânia: Cânone Editorial, 2003.

SAID, E. W. Cultura e imperialismo. Tradução de Denise Bottman. São Paulo: Companhia das Letras, 2005.

SKINNER, B. F. Ciência e comportamento humano. São Paulo: Martins Fontes, 2003.

TODOROV, J. C.; DE-FARIAS, A. K. C. R. Desenvolvimento e modificação de práticas culturais. (Conferência de Abertura da II Jornada Mineira de Análise do Comportamento). Governador Valadares, MG: Universidade Vale do Rio Doce, 2007.

TRIGO, L. G. G. Entretenimento: uma crítica aberta. São Paulo: Editora SENAC-SP, 2003.

VELOSO, M. O fetiche do patrimônio. In: ABREU, R.; CHAGAS, M. S.; SANTOS, M. S. (Orgs.). Museus, coleções e patrimônios: narrativas polifônicas. Rio de Janeiro: Garamond, MinC/IPHAN/DEMU, p. 229-245, 2007.

XAVIER, I. O discurso cinematográfico: a opacidade e a transparência. Rio de Janeiro: Paz e Terra, 1984.




DOI: https://doi.org/10.5902/198373482196

 
 
 
DOI: Digital Object Identifier 10.5902/19837348

Qualis B1

Este trabalho está licenciado sob uma Licença Creative Commons Attribution 4.0 (CC BY 4.0).

This work is licensed under a Creative Commons Attribution 4.0 (CC BY 4.0).

Acessos a partir de 17/09/2015

CopySpider - Software Anti-plagio