Analgesia em pacientes de trauma no serviço de emergência

Maria Carolina Barbosa Teixeira Lopes, Natália dos Santos Santana, Karina Aparecida Lopes da Costa, Meiry Fernanda Pinto Okuno, Ruth Ester Assayag Batista, Cássia Regina Vancini Campanharo

Resumo


Objetivo: avaliar a eficácia da analgesia e a concordância entre as escalas Numérica e de Faces em pacientes de trauma no serviço de emergência. Método: estudo transversal com 173 pacientes, realizado de fevereiro-2013 a setembro-2014. A dor foi avaliada na admissão e uma hora após analgesia, pelas escalas Numérica e de Faces. Para comparar a dor antes e após analgesia, utilizou-se o Coeficiente de Correlação de Spearman e, para analisar a concordância entre as escalas, o Índice Kappa. Resultados: na admissão, a maioria dos pacientes relatou dor moderada e intensa. Houve melhora da dor, porém 36,0% dos pacientes permaneceram com dor leve e 33,7% moderada, necessitando de complementação analgésica. A concordância entre as escalas foi considerável antes da analgesia (Kappa = 0,31; p-valor <0,0001) e moderada após (Kappa = 0,56; p-valor <0,0001). Conclusão: a maioria dos pacientes obteve melhora da dor após analgesia, sendo que houve concordância entre as escalas. 


Palavras-chave


Dor; Analgesia; Ferimentos e lesões; Medição da dor

Referências


Ahmadi A, Bazargan-Hejazi S, Zadie ZH, Euasobhon P, Ketumarn P, Karbasfrushan A, et al. Pain management in trauma: a review study. J Inj Violence Res [Internet]. 2016 [acesso em 2018 set 04];8(2):89–98. Disponível em: https://www.ncbi.nlm.nih.gov/pmc/articles/PMC4967367/pdf/jivr-08-89.pdf doi: 10.5249/jivr.v8i2.707

World Health Organization [Organização Mundial da Saúde]. Global status report on road safety 2013: supporting a decade of action. Genebra: Organização Mundial da Saúde; 2013.

Settervall CHC, Domingues CA, Sousa RMC, Nogueira LS. Preventable trauma deaths. Rev Saúde Pública [Internet]. 2012 [acesso em 2018 ago 28];46(2):367-75. Disponível em: http://www.producao.usp.br/bitstream/handle/BDPI/38255/S0034-89102012000200020.pdf?sequence=1&isAllowed=y

Williams AC, Craig KD. Updating the definition of pain. Pain [Internet]. 2016 [acesso em 2018 ago 28];157(11):2420-3. Disponível em: https://www.aaalac.org/BOD/AdhocNewsletter/Updating_the_definition_of_pain_Pain2016.pdf doi: 10.1097/j.pain.0000000000000613

Berben SAA, Meijs THJM, van Grunsven PM, Schoonhoven L, van Achterberg T. Facilitators and barriers in pain management for trauma patients in the chain of emergency care. Injury [Internet]. 2012 [acesso em 2018 ago 28];43(9):1397–402. Disponível em: https://doi.org/10.1016/j.injury.2011.01.029

Scholten AC, Berben SAA, Westmaas AH, van Grunsven PM, de Vaal ET, Rood PPM, et al.; Emergency Pain Study Group. Pain management in trauma patients in (pre)hospital based emergency care: current practice versus new guideline. Injury [Internet]. 2015 [acesso em 2018 ago 28];46:798–806. Disponível em: https://doi.org/10.1016/j.injury.2014.10.045

Blasi DG, Candido LK, MTGM Tacla, Ferrari RAP. Avaliação e manejo da dor na criança: percepção da equipe de enfermagem. Semina Cienc Biol Saude [Internet]. 2015 [acesso em 2018 ago 28];36(1):301-10. Disponível em: http://dx.doi.org/10.5433/1679-0367.2015v36n1Suplp301

Cross R. Time to analgesia and pain score documentation best practice standards for the Emergency Department: a literature review. Australas Emerg Nurs J [Internet]. 2016 [acesso em 2018 set 24];19(1):26-36. Disponível em: https://doi.org/10.1016/j.aenj.2015.11.001

Bertoncello KCG, Cavalcanti CDK, Ilha P. Diagnósticos reais e proposta de intervenções de enfermagem para os pacientes vítimas de múltiplos traumas. Rev Eletrônica Enf [Internet]. 2013 [acesso em 2018 set 24];15(4):905-14. Disponível em: http://dx.doi.org/10.5216/ree.v15i4.19497

American College of Surgeons. The committee on trauma: advanced trauma life support manual. 10th ed. Chicago: ACS; 2018.

Fortunato JGS, Furtado MS, Hirabae LFA, Oliveira JA. Escalas de dor no paciente crítico: uma revisão integrativa. Rev HUPE [Internet]. 2013 [acesso em 2018 set 24];12(3):110-7. Disponível em: http://revista.hupe.uerj.br/detalhe_artigo.asp?id=426 doi:10.12957/rhupe.2013.7538

Calil AM, Pimenta CAM. Gravidade da lesão e analgesia em pacientes que sofreram acidentes de transporte. Acta Paul Enferm [Internet]. 2008 [acesso em 2018 set 24];21(3):398-403. Disponível em: http://dx.doi.org/10.1590/S0103-21002008000300003

Parker M, Rodgers A. Management of pain in pre-hospital settings. Emergency Nurse [Internet]. 2015 [acesso em 2018 set 24];23(3):16–21. Disponível em: https://doi.org/10.7748/en.23.3.16.e1445

World Health Organization [Organização Mundial da Saúde]. Alivio del dolor y tratamiento paliativo en el cáncer infantil. Genebra: Organização Mundial da Saúde; 1999.

Alavi N M, Aboutalebi M S, Sadat Z. Pain management of trauma patients in the emergency department: a study in a public hospital in Iran. Int Emerg Nurs [Internet]. 2017 [acesso em 2018 set 24];33:53–8. Disponível em: https://doi.org/10.1016/j.ienj.2016.10.005

Rahman NHNA, Ananthanosamy C. The display effects of patients´ self-assessment on traumatic acute pain on the proportion and timing of analgesics administration in the emergency department. Int J Emerg Med [Internet]. 2014 [acesso em 2018 set 24];7:36. Disponível em: https://www.ncbi.nlm.nih.gov/pmc/articles/PMC4306068/pdf/s12245-014-0036-1.pdf doi: 10.1186/s12245-014-0036-1

Dadalt GT, Eizerik DP. Trauma físico: nível de dor relatado e analgésico prescrito. Rev Bras Farm [Internet]. 2013 [acesso em 2018 set 24];94(2):89-93. Disponível em: http://www.rbfarma.org.br/files/rbf-94-2-1-2013.pdf

Ciena AP, Gatto R, Pacini VC, Picanço VV, Magno IMN, Loth EA. Influência da intensidade da dor sobre as respostas nas escalas unidimensionais de mensuração da dor em uma população de idosos e de adultos jovens. Semina Cienc Biol Saude [Internet]. 2008 [acesso em 2018 set 24];29(2):201-12. Disponível em: http://dx.doi.org/10.5433/1679-0367.2008v29n2p201

Oliveira PEP, Pereira LV, Santos NR, Souza LAF. A enfermagem no manejo da dor em unidades de atendimento de urgência e emergência. Rev Eletronica Enf [Internet]. 2016 [acesso em 2018 set 24];18:e1171. Disponível em: http://dx.doi.org/10.5216/ree.v18.37309




DOI: https://doi.org/10.5902/2179769234502

Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição - Não comercial - Compartilhar igual 4.0 Internacional.

Licença Creative Commons
Este site está licenciado com uma Licença Creative Commons Atribuição-NãoComercial-CompartilhaIgual 4.0 Internacional.