Oficinas de estimulação cognitiva para idosos com queixa subjetiva de memória e humor

Rosimere Ferreira Santana, Shardelle Araújo Alexandrino, Thais da Silva Soares, George Luiz Alves Santos, Elisa Monteiro Magalhães Bamberg, Thais de Medeiros Oliveira

Resumo


Objetivo: analisar um programa de oficinas de estimulação cognitiva para idosos com queixas subjetivas de memória e humor e associá-lo ao desempenho da capacidade funcional. Método: estudo quase-experimental, quantitativo, realizado em um programa para idosos. Utilizaram-se como testes de seguimento: Mini Exame de Estado Mental (MEEM), Escala de Depressão Geriátrica (EDG), Escala de Atividades Instrumentais de Vida Diária (Lawton), Teste de Fluência Verbal (EVP) e Teste do Relógio. Análise dos dados descritiva e inferencial com a utilização do software R. Resultados: após as oficinas de estimulação cognitiva notou-se discreto aumento nos escores do MEEM e diminuição na EDG. Já nos escores dos testes Lawton, Teste do Relógio e EVP houveram manutenção nos valores, o que pode ser um indicativo de preservação da capacidade funcional. Conclusão: recomenda-se investir em programas para a terceira idade com protocolos de intervenção sistematizadas, que garantam atendimento especifico e seguimento de sua performance.

Palavras-chave


Oficina de memória; Oficina para idosos

Texto completo:

PDF


DOI: http://dx.doi.org/10.5902/2179769231200

Licença Creative Commons
Este obra está licenciado com uma Licença Creative Commons Atribuição-NãoComercial-CompartilhaIgual 4.0 Internacional.

Licença Creative Commons
Este site está licenciado com uma Licença Creative Commons Atribuição-NãoComercial-CompartilhaIgual 4.0 Internacional.