Características demográficas, sociais e clínicas de mulheres em idade fértil atingidas pela Hanseníase

Clodis Maria Tavares, Tâmyssa Simões Santos, Nataly Mayara Cavalcante Gomes, Reinaldo Antônio Silva-Sobrinho, Fernanda Silva Goes, Ana Maria de Almeida

Resumo


Objetivo: descrever as características demográficas, sociais e clínicas de mulheres em idade fértil atingidas pela hanseníase em uma capital do nordeste brasileiro. Método: estudo descritivo de corte transversal, com abordagem quantitativa. A população do estudo foi composta por 217 mulheres, e resultou em uma amostra intencional de 60, que atenderam aos critérios de inclusão. Resultados: os dados revelaram que 95,0% do conjunto amostral, encontrava-se na faixa de 20 a 49 anos. O modo de detecção que apresentaram uma maior porcentagem foram: o encaminhamento e a demanda espontânea, constituindo 60,0% dos casos. Identificou-se que 30,0% foram diagnosticadas na forma dimorfa, o que afirma os dados referente à classificação multibacilar. Conclusão: as características demográficas, sociais e clínicas foram: mulheres economicamente ativas, predominantemente analfabetas, que possuem companheiros e desempenham ocupações remuneradas e domésticas.

Palavras-chave


Hanseníase; Doenças negligenciadas; Características da população; Saúde da mulher

Texto completo:

PDF


DOI: https://doi.org/10.5902/2179769230173



Licença Creative Commons
Este site está licenciado com uma Licença Creative Commons Atribuição-NãoComercial-CompartilhaIgual 4.0 Internacional.