Práticas de biossegurança de profissionais de saúde nos cuidados ao indivíduo com HIV

Rebeca Coelho de Moura Angelim, Fátima Maria da Silva Abrão, Brígida Maria Gonçalves de Melo Brandão, Daniela de Aquino Freire, Sérgio Corrêa Marques, Denize Cristina de Oliveira

Resumo


Objetivo: identificar as práticas profissionais de biossegurança nos cuidados às pessoas que vivem com o Vírus da Imunodeficiência Humana (HIV) e a Síndrome da Imunodeficiência Adquirida (aids). Método: estudo descritivo, exploratório com abordagem qualitativa, realizado com 46 profissionais de saúde. Foi utilizada uma entrevista semiestruturada e a análise ocorreu por meio da técnica de análise de conteúdo de Bardin. Resultados: os profissionais demonstraram ter conhecimento sobre a utilização dos Equipamentos de Proteção Individual (EPI), evidenciando uma frequência no uso de acordo com a categoria profissional, tipo de contato e procedimento. Frente à necessidade ambulatorial, os equipamentos mais utilizados e citados foram máscara, luva, gorro e capote. Conclusão: ficou evidente que os profissionais realizam a biossegurança de forma consciente e isto pode ser refletido positivamente no cuidado realizado, tanto na proteção dos pacientes quanto dos profissionais, ou seja, no cuidado do outro e de si.

Palavras-chave


Exposição a agentes biológicos; Síndrome da imunodeficiência adquirida; HIV; Prática profissional

Texto completo:

PDF


DOI: https://doi.org/10.5902/2179769225677



Licença Creative Commons
Este site está licenciado com uma Licença Creative Commons Atribuição-NãoComercial-CompartilhaIgual 4.0 Internacional.