A crise hídrica no Vale do Sambito: uma perspectiva de desenvolvimento socioambiental

Marcos Vinícius Machado de Araújo, Adonys Roney Muniz da Silva, Antônio Felipe da Silva Souza

Resumo


A crise hídrica no Piauí é um dos fatores que mais castigam a região, repercutindo em várias esferas, como a social e econômica. Os reservatórios estaduais, em grande maioria, são superficiais e em épocas de verão entram em criticidade hídrica, expondo os habitantes a situações críticas de subsistência. Estudos hidrogeológicos, porém, revelam que o Piauí situa-se sobre a bacia de maior potência hídrica subterrânea do nordeste. O presente trabalho objetiva analisar as relações que se estabelecem na sociedade acerca das questões de propriedades ambientais referentes aos recursos hídricos e a sua preservação para compreender o fenômeno de crise hídrica regional, para tal. O estudo revelou que os fatores climáticos exercem menor influência que os políticos e socioambientais, a população encontra-se carente de informação independentemente do seu status social e acesso a educação, enquanto o governo em suas diversas esferas encontra-se pouco ou nada mobilizado, desta forma, espera-se que com o presente trabalho tanto a comunidade científica quanto a social e política despertem para se articularem e introduzirem novos hábitos e práticas de consumo do recurso e a sua preservação disponibilizando acesso ao básico de uma vida digna.


Palavras-chave


Crise hídrica; Desenvolvimento socioeconômico; Socioambiental

Texto completo:

HTML PDF

Referências


ABAS – Agência Brasileira de Águas Subterrâneas. Distrito Federal, BR. Águas subterrâneas – minimização das consequências da seca no nordeste. Junho de 2003.

ANA – Agência Nacional de Águas. Superintendência de Planejamento de Recursos Hídricos

– SPR (Brasília, DF). Encarte Sobre a Crise Hídrica – Conjuntura dos Recursos Hídricos no Brasil. 2015.

BRASIL. Decreto 17.304 de 07 de agosto de 2017, que dispõe dos municípios em estado de emergência devido à seca. Diário Oficial [do] Estado do Piauí, Poder Executivo.

BRASIL. Decreto-Lei n° 63.778 de 11 de dezembro de 1968, que dispõe sobre a regulamentação da inclusão de municípios no Polígono das Secas. Diário Oficial [da] República Federativa do Brasil, Poder Executivo.

BRASIL. Lei n° 9.433 de 08 de janeiro de 1997, que dispõe Institui a Política Nacional de Recursos Hídricos, cria o Sistema Nacional de Gerenciamento de Recursos Hídricos, regulamenta o inciso XIX do art. 21 da Constituição Federal, e altera o art. 1º da Lei nº 8.001, de 13 de março de 1990, que modificou a Lei nº 7.990, de 28 de dezembro de 1989. Diário Oficial [da] República Federativa do Brasil, Poder Executivo.

FURTADO, C. O mito do desenvolvimento econômico. Rio de Janeiro: Paz e Terra, 1973.

CPRM - Companhia de Pesquisa de Recursos Minerais. Coord. Belo Horizonte, MG. Mickaelon B. Vasconcelos, Carlos Antônio da Luz, Maria Antonieta Alcântara Mourão. Projeto rede integrada de monitoramento das águas subterrâneas: relatório diagnóstico aquífero serra grande, bacia sedimentar do parnaíba. 2012.

DALY, Herman. Sustentabilidade em um mundo lotado. SCIENTIFIC AMERICAN BRASIL.

Disponível em: http://www2.uol.com.br/sciam/reportagens/sustentabilidade_em_um_mundo_lotado.html.

FAO. Irrigation practice and water management, irrigation and drainage. Paper 1, 1988.

FEITOSA, F. A. C.; Vidal, C.; Estudos hidrogeológicos de bacias sedimentares da região semiárida do nordeste brasileiro. CPRM-Serviço Geológico do Brasil, Brasília: 2004, pág. 84.

FERREIRA, D. F. Sisvar: a computer statistical analysis system. Ciência e Agrotecnologia (UFLA), v. 35, n.6, p. 1039-1042, 2011.

HORN, Geraldo Balduíno; DIEZ, Carmem Lúcia F. Metodologia de pesquisa. Curitiba: IESDE, 2005.

INSTITUTO BRASILEIRO DE GEOGRAFIA E ESTATÍSTICA (IBGE). População e

domicílios em grade estatística. 2010. Disponível em: http://censo2010.ibge.gov.br.

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO E CULTURA – MEC. Diretrizes curriculares nacionais da educação básica. Brasília: MEC, SEB, DICEI, 562p. 2013.

RAMOS, Graciliano. Vidas secas. 137 ed. Brasil: Record, 2003.

REBOUÇAS, A. C.; Água na região nordeste: desperdício e escassez. Estudos Avançados, São Paulo, vol.11, no.29, Jan./Apr. 1997.

SECRETARIA ESTADUAL DO MEIO AMBIENTE E RECURSOS HÍDRICOS - SEMAR.

Plano estadual dos recursos hídricos. Governo Estadual do Piauí, poder executivo: 2010.

VASCONCELOS, M. B; Sousa, N. G; Genaro, D. T; Luz, C. A.; Tupinambá, M. K. F.; Histórico de perfurações de poços tubulares no estado do piauí. Revista de Geologia, Ceará, Vol. 27, n 2, 111 – 126, 2014.

SACHS, I. Rumo à ecossocioeconomia: teoria e prática do desenvolvimento. São Paulo: Cortez, 2007.




DOI: http://dx.doi.org/10.5902/2236130840707

Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada com uma Licença Creative Commons Atribuição-NãoComercial-CompartilhaIgual 4.0 Internacional.