ESTIMATIVA DE POTENCIAL ENERGÉTICO DE BIOGÁS PROVENIENTE DO ATERRO SANITÁRIO TIJUQUINHAS (MUNICÍPIO DE BIGUAÇU/SC)

Alice César Fassoni-Andrade, Rafael Basílio Medeiros, Henrique de Melo Lisboa

Resumo


A maior parte dos resíduos sólidos urbanos (RSU) no Brasil é disposta de maneira inadequada, provocando impactos ambientais, sociais e de saúde pública. O metano, produto da degradação anaeróbia dos RSU, é considerado impactante por ser um gás de efeito estufa. Este gás, queimado ou aproveitado corretamente em aterros sanitários, para geração de energia, pode trazer retorno financeiro para a empresa administradora, além de minimizar impactos ambientais.  O objetivo deste trabalho foi analisar o potencial energético do aterro sanitário de Biguaçu/SC utilizando as metodologias propostas pelo IPCC para estimativa teórica de produção de biogás. Constatou-se que o aterro de Biguaçu possui alta capacidade de geração de energia através do aproveitamento de metano, com potencial máximo de 5,26 MW em 2019, um ano após o encerramento do aterro.


Palavras-chave


Aproveitamento energético, aterro sanitário, resíduos sólidos, metano.

Texto completo:

PDF


DOI: http://dx.doi.org/10.5902/2236130819170

Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada com uma Licença Creative Commons Atribuição-NãoComercial-CompartilhaIgual 4.0 Internacional.