PROJETO DE JUVENTUDE RURAL, CAMPO DE POSSIBILIDADES E MIGRAÇÃO: UM ESTUDO DOCUMENTAL DO CENTRO DE DESENVOLVIMENTO DO JOVEM RURAL (CEDEJOR)

Laila Mayara Drebes

Resumo


A juventude consiste na categoria social rural mais vulnerável a ocorrência de migrações. Essa vulnerabilidade se traduz na infinidade de estudos desenvolvidos no âmbito da pesquisa e até mesmo na criação de instituições específicas para o trabalho com jovens rurais no âmbito da extensão. Exemplo disso é o Centro de Desenvolvimento do Jovem Rural (CEDEJOR). Ao pressupor que o CEDEJOR é dotado de um projeto de juventude rural com finalidades próprias capaz de causar transformações sobre o campo de possibilidades dos jovens rurais, o presente estudo teve por objetivo analisar se as alterações provocadas por esse projeto sobre o campo de possibilidades dos jovens rurais favorecem a permanência destes no meio rural ou a partida destes para o meio urbano. Para isso foi desenvolvida uma pesquisa documental fundamentada sobre os relatórios anuais do Instituto Souza Cruz, mantenedor do CEDEJOR. Percebeu-se a existência de dois momentos distintos do projeto de juventude rural do CEDEJOR balizados sob duas concepções distintas de meio rural: de 2001 a 2004 constatou-se um projeto de juventude rural sucessora fundamentado sobre a relação dicotômica entre meio rural e meio urbano, a qual restringiu o campo de possibilidades dos jovens rurais e favoreceu a sucessão familiar; e de 2006 a 2012 identificou-se um projeto de nova juventude rural erigido sobre a concepção de continuum rural-urbano, que ampliou o campo de possibilidades dos jovens rurais e favoreceu a migração para o meio urbano.

Palavras-chave


rural dicotômico; continuum rural-urbano; territórios rurais; sucessão familiar; extensão rural

Texto completo:

PDF


DOI: http://dx.doi.org/10.5902/2236130815036

Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada com uma Licença Creative Commons Atribuição-NãoComercial-CompartilhaIgual 4.0 Internacional.