PROCESSOS COGNITIVOS ENVOLVIDOS NA PERCEPÇÃO DO RISCO NA PAISAGEM: O CASO DOS MORADORES DA BARRAGEM DO DEPARTAMENTO NACIONAL DE SANEAMENTO E OBRAS (DNOS), NA CIDADE DE SANTA MARIA – RS.

Rafael Silveira da Silva, Maria da Graça Barros Sartori, Cássio Arthur Wollmann

Resumo


http://dx.doi.org/10.5902/2236130811378

O objetivo principal da pesquisa foi diagnosticar os aspectos relacionados à percepção do risco na paisagem pela população do entorno da Barragem do DNOS, localizada na cidade de Santa Maria - RS. Foram entrevistados 47 pessoas, ambos os sexos, acima de 21 anos de idade. Os entrevistados foram aleatoriamente convidados a apresentarem suas percepções individuais sobre a identidade, por meio de preenchimento de um formulário de entrevista, com perguntas abertas e fechadas, composto por duas partes. A metodologia utilizada foi a sugerida por Whyte (1977) e igualmente utilizada por Sartori (2000), que consiste em um triângulo metodológico de pesquisa formado pela tríade observando, perguntando e ouvindo e registrando. Na análise e tabulação dos dados, constatou-se que dos 47 entrevistados 75% são mulheres e 25% homens, com predomínio de idades entre 21 e 60 anos ou mais e tempo de residência de 6 meses a 50 anos. Em relação à questão que aborda o sentido afetivo (topofilia) se o entrevistado gostaria de morar em outro lugar. 72% dos entrevistados responderam que não gostariam de morar em outro lugar; 10%. Os estudos futuros nessa área devem considerar populações mais amplas, de vários níveis socioeconômicos e educacionais.


Palavras-chave


Percepção; Paisagem; Riscos Ambientais; Barragem DNOS; Santa Maria/RS.

Texto completo:

PDF


DOI: http://dx.doi.org/10.5902/2236130811378

Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada com uma Licença Creative Commons Atribuição-NãoComercial-CompartilhaIgual 4.0 Internacional.