Gestão de pessoas e a construção da inovação organizacional: uma análise do pensamento gerencial

Janice Janissek de Souza, Antônio Virgílio Bittencourt Bastos

Abstract


O trabalho tem como objetivo analisar como as concepções de gestores organizacionais sobre a gestão de pessoas podem ajudar a explicar desempenhos diferenciados em termos de inovação. Para atingir o objetivo proposto, selecionaram-se duas empresas do ramo da indústria química que possuem padrões diferenciados de inovação, ou seja, são consideradas muito e pouco inovadoras. As informações foram coletadas por meio de entrevista semi-estruturada, realizada com dez gestores das organizações pesquisadas. Análise de conteúdo, com definição de categorias e subcategorias que sistematizam os conteúdos evocados pelos participantes foi o procedimento utilizado para analisar os dados. Como resultado do estudo, encontrou-se que gestores inseridos no contexto mais inovador entendem que a inovação é alcançada por meio de uma gestão de pessoas que estimule a diversidade entre as pessoas; identifique e desenvolva talentos inatos e que possua um perfil comportamental baseado na busca de desafios e da aversão à rotina. Por outro lado, os gestores de empresas consideradas menos inovadoras concebem a inovação a partir de uma prática de gestão de pessoas que consiga reter pessoas com um perfil apropriado, tais como: não ter medo de errar, ser empreendedor, ser competente e possuir auto-estima.



DOI: https://doi.org/10.5902/19834659587


Creative Commons License
This work is licensed under a Creative Commons Attribution 4.0 International License.

  

   

       

 

------

Revista de Administração da UFSM. Brazilian Journal of Management

Universidade Federal de Santa Maria, Santa Maria, Rio Grande do Sul, Brasil, eISSN 1983-4659