As relações Rússia – América-Latina arregimentando processos cooperativos ao âmbito da CEPAL.

Larlecianne Piccolli

Resumo


O presente trabalho objetiva analisar a possibilidade de arregimentar parcerias de cooperação internacional da Rússia com países latino americanos ao âmbito da CEPAL, e até que ponto eles atendem as premissas valorativas da Comissão. Para tanto, busca-se responder se há possiblidade de associar os projetos oriundos do novo impulso de cooperação entre Rússia e os países latino-americano ao escopo cepalino. A hipótese preliminar guia desta pesquisa indica que a Rússia está apta a se apresentar enquanto importante parceira aos países latino-americanos e caribenhos seja em termos econômicos, mas também político-estratégico, e que tal relacionamento possa servir enquanto oportunidade para alavancar projetos de caráter de cooperação técnica internacional que deem suporte ao desenvolvimento, seja econômico, social e/ou ambiental aos países envolvidos. Para desenvolver a pesquisa ponderou-se a análise de três passos analíticos, sucessivos e complementares: i) análise da CEPAL e a estrutura do pensamento cepalino acerca do desenvolvimento econômicos dos países; ii) a visão da CEPAL sobre a cooperação técnica e internacional enquanto alavanca do desenvolvimento; iii) a Rússia enquanto parceira dos países latino-americanos e caribenhos, em perspectiva histórica e na atual conjuntura. Os estudos que vinculam os temas aqui tratados são poucos e instigam a produção de novos conhecimentos. Ver-se-á ao final da pesquisa que os interesses geopolíticos estratégicos russo à região devem ser melhor aproveitados enquanto novas oportunidades para o desenvolvimento da América Latina.

Palavras-chave


CEPAL. América Latina. Rússia. Cooperação Internacional. Desenvolvimento.

Texto completo:

PDF


DOI: http://dx.doi.org/10.5902/2357797525057

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Direitos autorais 2017 Revista InterAção