A Rede Mercocidades na integração sul-americana: a paradiplomacia no MERCOSUL e na UNASUL

Joséli Fiorin Fiorin Gomes

Resumo


Verificam-se no cenário contemporâneo das relações internacionais duas realidades irreversíveis: a integração regional e a paradiplomacia. Estes dois fenômenos encontram um ponto de conexão na atuação da Rede Mercocidades, formada, inicialmente, para viabilizar a participação dos governos locais no processo de integração do MERCOSUL. Mas, com o incremento da relevância das cidades no plano internacional, visualiza-se a possibilidade de a Rede contribuir para inseri-las também no processo mais amplo da UNASUL. Nesse passo, o estudo visa a examinar duas questões. A primeira aborda a atuação da Rede Mercocidades junto ao MERCOSUL. A partir disso, a segunda questão refere-se a averiguar a possibilidade de expansão da atuação da Rede em direção à UNASUL, bloco com o qual o MERCOSUL estabelece relações de complementaridade.


Palavras-chave


Integração; Paradiplomacia; Mercocidades; Mercosul; Unasul

Texto completo:

PDF

Referências


ANDRADE E BARROS, Marinana. Atuação internacional dos governos subnacionais. Belo Horizonte: Del Rey, 2010.

BERMUDEZ TORRES, César Augusto. MERCOSUR Y UNASUR: Una mirada a la integración regional a comienzos del siglo XXI. Analisis Político, Bogotá, v.24, n. 72, p. 115-131, mai/ago. 2011.

CASTELO BRANCO, Álvaro Chagas. A paradiplomacia como forma de inserção internacional de unidades subnacionais. Prismas: Dir., Pol.Pub. e Mundial., Brasília, v.4, n, 1, p. 48-67, jan/jul. 2007.

CERVO, Amado Luiz; BUENO, Clodoaldo. História da Política Exterior do Brasil. Brasília: UNB, 2008.

DE MATOS, Giovanna Arjonilla; STEFFEN, Nathalie Padovani. A rede Mercocidades e o Mercosul: atuação em rede através do FCCR. Conjuntura Internacional, Belo Horizonte, v.9, n. 5, p. 31 - 39, 2o sem. 2012.

DUCHACEK, Ivo D. Perforated sovereignties: toward a typology of new actors in international relations. In: MICHELMANN, H. J; SOLDATOS, P. Federalism and international relations: the role of subnational units. Nova York: Oxford University Press, 1990, p. 16-27.

FRONZAGLIA, M. L. Unidades Subnacionais: um estudo de caso sobre a cidade de São Paulo – de 2001 a 2004. Dissertação de Mestrado. Instituto de Filosofia e Ciências Humanas. Universidade de Campinas. Campinas, 2005.

HAFTECK, Pierre. An Introduction to Decentralized Cooperation: Definitions, Origens, and Conceptual Mapping. Public Administration and Development, n. 4, p. 333-345, Out./2003.

KLEIMAN, Alberto. Processo de Institucionalização de Mercocidades. Da REMI ao FCCR. In: MERCOCIDADES. 15 Años de Mercociudades. Rosario: Aquatint, 2010, p. 61-64.

MERCOCIDADES. Estatuto y Reglamento de Mercociudades. Disponível em: http://www.mercociudades.org/node/2273. Acesso em: 22 ago. 2014a.

______. Autoridades. Consejo. Disponível em: http://www.mercociudades.org/node/2275#consejo. Acesso em: 22 ago. 2014b.

______. Unidades Temáticas. Disponível em: http://www.mercociudades.org/node/2286. Acesso em: 22 ago. 2014c.

______. Avanços e Proposta de Trabalho da Unidade de Participação Social do MERCOSUL. Disponível em: http://www.mercociudades.org/pt-br/node/4666. Acesso em: 22 ago. 2014d.

______; ISM. Convênio Marco de Cooperação entre o Instituto Social do MERCOSUL e a Rede Mercocidades. Disponível em: http://mercociudades.org/sites/portal.mercociudades.net/files/Convenio%20de%20Cooperaci%C3%B3n_Mercociudades_ISM_firmado%205%20nov_2012.pdf. Acesso em: 22 ago. 2014e.

MERCOSUL. CMC/Decisão n. 41/2004. Disponível em: http://www.mercosur.int/innovaportal/v/580/1/secretaria/decisiones_2004. Acesso em: 22 ago. 2014.

______. Em poucas palavras. Disponível em: http://www.mercosur.int/t_generic.jsp?contentid=3862&site=1&channel=secretaria&seccion=2. Acesso em: 22 ago. 2014b.

______. CMC/Decisão n. 24/2012. Disponível em: http://www.mercosur.int/innovaportal/v/580/1/secretaria/decisiones_2012. Acesso em: 05 out. 2012.

______; FCCR. Regimento Interno do FCCR. Disponível em: https://www.mrecic.gov.ar/userfiles/regimento_fccr_port.pdf. Acesso em: 22 ago. 2014.

______; FOCEM. O que é o FOCEM? Disponível em: http://www.mercosur.int/focem/index.php?id=que-es-el-focem. Acesso em: 22 ago. 2014.

______; ISM. Institucional. Disponível em: http://ismercosur.org/pt-br/institucional/. Acesso em: 22 ago. 2014.

PRAZERES, Tatiana Lacerda. Por uma atuação constitucionalmente viável das unidades federadas brasileira. In: VIGEVANI, Tullo (Org.). A dimensão subnacional e as reações internacionais. São Paulo: Unesp, 2004, p. 283-312.

RODRIGUES, Gilberto Marcos Antonio. Política Externa Federativa. Análise de Ações Internacionais de Estados e Municípios Brasileiros. Tese de doutorado. PUC-SP. São Paulo, 2004.

TAUNAY FILHO, Jorge. Comunidade Sul-americana de Nações – CASA. In: CONFERÊNCIA NACIONAL DE POLÍTICA EXTERNA E POLÍTICA INTERNACIONAL. Seminário América do Sul. Brasília: FUNAG, 2008, p. 11-32.

UNASUL. Tratado Constitutivo da UNASUL. Disponível em: http://www.itamaraty.gov.br/temas/america-do-sul-e-integracao-regional/unasul/tratado-constitutivo-da-unasul. Acesso em: 22 ago. 2014a.

______. História. Disponível em: http://www.unasursg.org/inicio/organizacion/historia. Acesso em: 22 ago. 2014b.

______. Órgãos. Disponível em: http://www.unasursg.org/inicio/organizacion/organos. Acesso em: 22 ago. 2014c.

VAZ, Alcides Costa. O Relançamento do MERCOSUL. Boletim Meridiano 47, Brasília, n. 1, p. 3-4, jul. 2000.




DOI: http://dx.doi.org/10.5902/2357797516699

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Direitos autorais