A profissão de fé no Reino Visigodo: um estudo comparado sobre os Flavius visigodos, Recaredo e Recesvinto

Rodrigo dos Santos Rainha

Resumo


Os séculos VI e VII são marcados pelo estabelecimento da transação entre as elites episcopais, principais representantes das populações hispano-romanas, e visigodas, que então governavam a maior parte dos territórios na península Hispânica. Neste texto, sublinharemos dois momentos em que a relação de aproximação entre esses grupos fica evidenciada – quando acontecem as reuniões conciliares, especialmente aquelas em que suas atas são marcadas pelo discurso do monarca em sua introdução, prática que podemos identificar, por exemplo, nas atas do III e VIII Concílios de Toledo. Nossa comunicação, então, visa identificar semelhanças e diferenças no processo de ascensão ao poder dos reis indicados, nas atas anteriormente mencionadas, como os autores dos discursos: Flavius Recaredo e Flavius Recesvinto. Os dois monarcas têm em comum o fato de serem filhos de governantes que enfrentaram grande oposição por parte de setores o episcopado – no caso Leovigildo e Chindasvinto, respectivamente –, assumiram o trono de maneira hereditária e direcionaram suas políticas no sentido de constituir uma aliança entre episcopado e monarquia.


Palavras-chave


Reino Visigodo; profissão de fé; monarcas.

Texto completo:

PDF

Referências


ANDRADE FILHO, Ruy de Oliveira. “A Tirania de Um Santo na Antiguidade Tardia (século VI)”. In: I Simpósio de sobre História das Religiões. Assis, 1999. Disponível em: http://members.tripod.com/bmgil/ afro20.htm. Acesso em: 08 de junho de 2007.

BOURDIEU, P. “Gênese e Estrutura do Campo Religioso”. In: BOURDIEU, P. A Economia das Trocas Simbólicas. São Paulo: Perspectiva, 2003.

COUTROT, A. “Religião e Política”. In: REMOND, R. Para uma História Política. Rio de Janeiro: UFRJ, 1998.

FRIGUETO, R. Cultura e Poder na Antigüidade Tardia Ocidental. São Paulo: ABDR, 2000.

__________. “A imagem do rei nas fontes hispano-visigodas: aspectos teóricos”. In: Anais da XXI Reunião da Sociedade Brasileira de Pesquisa Histórica. Curitiba, 2002, pp. 81-96.

__________. “O problema da legitimidade e a limitação do poder régio na Hispania visigoda: o reinado de Ervígio (680-687)”. In: Gerión, Madrid, v. 22, n. 1. 2004, pp. 421–435.

GARCIA MORENO, Luis A. Historia de España Visigoda. Madrid: Cátedra, 1989.

ORLANDIS, J. História Del Reino Visigodo Español. Madrid: Rialp, 1990.

RAINHA, R. S. A Educação no Reino Visigodo: as relações de poder e o epistolário do bispo Bráulio de Saragoça. Rio de Janeiro: HP Comunicações, 2007.

SANTIAGO CASTELLANOS. “La Hagiografia Visigoda”. In: Dominio social y proycción cultural. Logroño: Fundación San Millán de la Cogolla, 2004. pp. 163–302.

THOMPSON, E. A. Los Godos en España. Madrid: Alianza, 1971. pp. 299-342.

VELASQUEZ SORIANO, Isabel. “Ámbitos y ambientes de la cultura escrita em Hispania (s. VI): De Martín de Braga a Leandro de Sevilla”. In: Studia Ephemeridis Augustinianum, Roma, n. 46, 1994, pp. 329-351.




DOI: https://doi.org/10.5902/2357797512724

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Direitos autorais



ISSN 2357-7975

Redes Sociais: Twitter | Facebook 

Universidade Federal de Santa Maria