The reverse logistics and national policy of solid waste: a challenges to the brazilian reality

Authors

DOI:

https://doi.org/10.5902/2236117019322

Keywords:

Solid waste, Reverse logistics, National policy of solid waste (PNRS)

Abstract

This paper aims to present the problem experienced by large urban centers and Brazil as a whole, as the huge amount of waste generated and it ́s improper disposal. Pointing out that there was an increase in activities related to recycling, but considering the waste generation growth, the effective participation of these initiatives is still irrelevant. The article brought the role and evolution of reverse logistics practices and parallel implementation of the National Policy of Solid Waste (PNRS). This legislation that defines reverse logistics as the way that society and businesses will lead to proper disposal of solid waste, being relevant to note that the full effectiveness of the legislation (PNRS) depends on a chain of actors, technical planning and human and environmental resources for their achievement. The proposed study provided descriptions and analyzes based on information gathered through a qualitative methodology structured around the secondary sources reading technique. This work indicates an evolution in the use of reverse logistics and consequently the adaptation of the law 12,305 (PNRS), but concluded that such growth was not relevant towards the constant evolution of consumption and waste generation bythe Brazilian population. Leaving room for further studies on reverse logistics issues and PNRS are realized and new proposals arise, giving sequence to the current study.

Downloads

Download data is not yet available.

Author Biographies

Sergio Thode Filho, Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Rio de Janeiro, Rio de Janeiro, RJ

Administrador de Empresas, Especialista em Logística e Gestão da Qualidade, Mestre em Engenharia de Produção, Doutorando em Ciências Ambientais. Atualmente, Professor do Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Rio de Janeiro - IFRJ, Campus Duque de Caxias e Coordenador de Pesquisa e Inovação. Atua com desenvolvimento de Tecnologias Ambientais e Bioprodutos no Laboratório Multidisciplinar de Gerenciamento de Resíduos (LMGR) em projetos de Reuso de Óleo Vegetal Residual, Prospecção de Novas Fontes de Biocombustíveis, Reuso da Borra de Café, Reuso de Resíduos de Poda de Árvores Urbanas, Valoração Econômica de Danos Ambientais, Obtenção de Bioplástico a partir do resíduo do soro de leite e derivados UFRJ-IMA / IFRJ-LMGR e Ações de Educação Ambiental.

Carlos José Saldanha Machado, Fundação Oswaldo Cruz e da Universidade do Estado do Rio de Janeiro, Rio de Janeiro, RJ

Rodrigo Machado Vilani, Universidade Federal do Estado do Rio de Janeiro, Rio de Janeiro, RJ

Julieta Laudelina Paiva, Universidade do Estado do Rio de Janeiro, Rio de Janeiro, RS

Mônica Regina da Costa Marques, Universidade do Estado do Rio de Janeiro, Rio de Janeiro, RJ

References

ABRELPE. Panorama dos Resíduos Sólidos no Brasil, 2013. Associação Brasileira de Empresas de Limpeza Pública e Resíduos Especiais. Disponível em: <http://www.abrelpe.org.br/>. Acesso em 20 de Novembro de 2014.

ABNT. Associação Brasileira de Normas Técnicas. NBR ISO 14001:2004 – Sistema de gestão ambiental – Requisitos com orientação para uso. Rio de Janeiro, 2004.

BRASIL, Decreto N° 7.404/2010 - Casa Civil da Presidência da República do. (23 de 12 de 2010). Planalto. Acesso em 07 de 2013, disponível em Planato.gov.br.

BRASIL. Lei nº 12.305, de 2 de agosto de 2010. Institui a Política Nacional de Resíduos Sólidos; altera a Lei no 9.605, de 12 de fevereiro de 1998; e dá outras providências.

BRASIL. Ministério do Meio Ambiente. Logística reversa. Disponível em: <http://bit.ly/Ls7LM9>. Acesso em: 30 jan. 2014.

BALLOU, R. H. (1999). Businesss Logistics Management. New Jersey: Prentice Hall.

BARBIERI, Jose Carlos. (2004). Gestão Ambiental Empresarial: conceitos, modelos e instrumentos. São Paulo: Saraiva.

BARBIERI, J. C.; DIAS, M. Logística reversa como instrumento de programas de produção e consumo sustentáveis. Tecnologística, v. 1, n. 77, p. 58-69, 2002.

CAMPOS, H. K. T. Renda e evolução da geração per capita de resíduos sólidos no Brasil. Eng. Sanitária. Ambiental, v. 17, n. 2, p. 171-180, 2012.

CHAVES, G. L. D.; BATALHA, M. O. Os consumidores valorizam a coleta de embalagens recicláveis? Um estudo de caso da logística reversa em uma rede de hipermercados. Gestão & Produção, v. 13, n. 3, p. 423-434, 2006.

DAHER, C. E; SILVA, E. P. S.; FONSECA, A. P. Logística Reversa: Oportunidade para Redução de Custos através do Gerenciamento da Cadeia Integrada de Valor. Brazilian Business Review, v. 3, n. 1, p. 58-73, 2005.

Dornier, P.-P. (2000). Logística e Operações Globais. São Paulo: Atlas.

ETHOS, I. (2012). ETHOS. Acesso em 07 de 2013, disponível em http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/_ato2007-2010/2010/Decreto/D7404.htm

GONÇALVES, P. Gestão de Resíduos Sólidos: Conceitos, Experiências e Alternativas. In: Seminário Cadeia Produtiva da Reciclagem e Legislação Cooperativista, Juiz de Fora, MG, 2006.

GOUVEIA, N. Resíduos sólidos urbanos: impactos socioambientais e perspectiva de manejo sustentável com inclusão social. Ciênc. saúde coletiva, v. 17, n. 6, p. 1503-1510, 2012.

ILOS. (2013). Instituto de Logistica e Supply Chain. Fonte: ILOS: http://www.ilos.com.br/web/index.php?searchword=logistica+reversa&ordering=&searchphrase=all&Itemid=200001&option=com_search&lang=br

Instituto Estadual do Ambiente . (2008). INEA. Acesso em 06 de 2013, disponível em INEA:

http://www.inea.rj.gov.br/fma/gerenciamento-residuos-objetivo.asp

IPEA. (2012). Diagnóstico dos Resíduos Sólidos Industrias. Brasília.

LEITE, P. R. (2009). Logistica Reversa: meio ambiente e competitividade. São Paulo: Pearson.

LEITE, P. R. (2011). Conselho de Logistica Reversa do Brasil. Acesso em 05 de 2013, disponível em Conselho de Logistica Reversa do Brasil: http://www.clrb.com.br/site/

LISSANDRO O, P., Toledo, P. F., Furtado O, N., & Victer, W. (06 de 10 de 2012). Meio Ambiente não é um problema. XXII ENBRA. Rio de Janeiro, Brasil: CRA-RJ.

MACHADO, P. A. L. Direito ambiental brasileiro. São Paulo: Malheiros, 2013.

MACHADO, C. J. S.; TEIXEIRA, B. M.; VILANI, R. M. O processo de licenciamento ambiental e a fase do descomissionamento da indústria do petróleo no Brasil. In: IX CNEG Congresso Nacional de Excelência em Gestão. Anais eletrônicos... Niterói: UFF, 2013. Disponível em: <http://www.excelenciaemgestao.org/Portals/2/documents/cneg9/anais/T13_0602_3544.pdf>. Acesso em: 04 jan. 2014.

MEIRELES, M. E. F.; ALVES, J. C. M. Gestão de resíduos: As possibilidades de construção de uma rede solidária entre associações de catadores de materiais recicláveis. In. VII Congresso Nacional de Excelência em Gestão, 2011.

MILARÉ, É. Direito do ambiente. São Paulo: Revista dos Tribunais, 2000.

MONTEIRO, J. H. P.; ZVEIBIL, V. Z. Manual de gerenciamento integrado de resíduos sólidos. Rio de Janeiro: IBAM, 2001.

NETO, T. J. P. A Política Nacional de Resíduos Sólidos: Os Reflexos nas Cooperativas de Catadores e a Logística Reversa. Revista Diálogo, v. 18, p. 77-96, 2011.

ORGANIZAÇÃO DAS NAÇÕES UNIDAS - ONU. Declaração do Rio sobre Meio Ambiente e Desenvolvimento. Rio de Janeiro: ONU, 1992. Disponível em: . Acesso em: 11 fev. 2014.

PLANO NACIONAL RESÍDUOS SÓLIDOS, M. d. (2012). Plano Nacional de Resíduos Sólidos.Brasília. Professionals, C. o. (s.d.). Council of Supply Chain Management Professionals. Fonte: CSCMP: http://cscmp.org/

REVLOG. Grupo de Estudos de Logística Reversa. Disponível em: <http://www.fbk.eur.nl >. Acessoem: 20 jul. 2012.

ROGERS, D. S., & Tibben- Lembke, R. (1999). Going Backwards: Reverse Logistics Trends and Practices.

SECRETARIA DE ESTADO DO AMBIENTE. (06 de 2013). Secretaria de Estado do Ambiente - RJ. Acesso em 06 de 2013, disponível em http://www.rj.gov.br/web/informacaopublica/listaconteudo?search-type=busca&group-id=1034622&search-params=lixao&search-location=0

SILVA, E. R.; CARMO, E. C. L.; GONÇALVES, P.; BENTO, R. F. P.; MATTOS, U. A. O. Planejamento participativo para a implantação da coleta seletiva solidária no estado do Rio de Janeiro, RJ: Ações e resultados. In. VI Congresso Nacional de Excelência em Gestão, 2010.

SOUZA, M. T. S.; PAULA, M. B.; SOUZA-PINTO, H. O papel das cooperativas de reciclagem nos canais reversos pós-consumo. Revista de Administração de Empresas, v. 52, n. 2, p. 246-262, 2012.

UNIVERSITY, Y. (2012). Environmental Perfomance Index - EPI.Acesso em 20 de 02 de 2013, disponível em Environmental Perfomance Index - EPI: http://epi.yale.edu/epi2012/rankings

VERDE, P. (06 de 2013). Blog do Partido Verde. Acesso em 06 de 2013, disponível em Partido Verde: http://pv.org.br/2013/06/05/dia-mundial-do-meio-ambiente-64-milhoes-de-toneladas-de-lixo-foram-produzidos-no-brasil-em-2012-24-milhoes-nao-tiveram-descarte-adequado/

Published

2015-09-22

How to Cite

Thode Filho, S., Machado, C. J. S., Vilani, R. M., Paiva, J. L., & Marques, M. R. da C. (2015). The reverse logistics and national policy of solid waste: a challenges to the brazilian reality. Revista Eletrônica Em Gestão, Educação E Tecnologia Ambiental, 19(3), 529–538. https://doi.org/10.5902/2236117019322

Issue

Section

ENVIRONMENTAL MANAGEMENT

Most read articles by the same author(s)

> >>