PROSPECTIVAS PARA O ENSINO DE GEOGRAFIA

Claudio Jose Bertazzo

Resumo


Pesquisamos o ensino de Geografia nas redes escolares da cidade de Catalão (GO). Analisamos procedimentos, metodologias estratégias de aulas. Os objetivos consistiram em apreender a realidade escolar e compreender como os professores de Geografia estão a ensinar seus conteúdos. A metodologia escolhida foi a de observação participante em que interagimos e convivemos com professores e alunos das Escolas pesquisadas. O encontro com a realidade escolar abasteceu e ressignificou algumas diretrizes das disciplinas de estágio supervisionado e, por fim, deu esteio ao subprojeto da Área de Geografia do Programa de Iniciação á Docência financiado pela Fundação CAPES.

 

Palavras-chave: Educação básica; escolhas didáticas; processos pedagógicos; aprendizagem pela pesquisa.

 

DOI: 10.5902/223649948960

 

Referências

 

ARROYO, Miguel G. Ofício de mestre: imagens e auto-imagens. 10 ed. Petrópolis: Vozes, 2008.

BORDENAVE, Juan Maria; PEREIRA, Adair Martins. Estratégias de ensino-aprendizagem. Petrópolis: 12 ed. Vozes, 1991.

CALLAI, Helena; CASTROGIOVANNI, Antônio C.; KAERCHER, Nestor. Ensino de Geografia: práticas e contextualizações do cotidiano. Porto Alegre: Mediação, 2000.

CAVALCANTI, Lana de Souza. Ensino de Geografia e diversidade: construção de conhecimentos geográficos escolares e atribuição de significados pelos diversos sujeitos do processo de ensino. In: CASTELLAR, Sonia. Educação geográfica: teorias e práticas docentes. São Paulo: Contexto, 2006.

GUERRERO, Ana Lúcia de Araújo. Contribuições da teoria da atividade para a formação continuada de professores de Geografia. In:

CASTELLAR, Sonia. Educação geográfica: teorias e práticas docentes. São Paulo: Contexto, 2006.

FOURNY, Marie-Christine; DENIZOT, Damien. A prospectiva local, um modo de produção e governança, Confins [Online], 9 | 2010, posto online em 22 jul. 2010, Disponível em: http://confins.revues.org/6502. . DOI : 10.4000/confins.6502. Acesso em 5 set. 2011.

KAERCHER, Nestor A. Quando a Geografia Crítica é um pastel de vento  e nós, seus professores, Midas. In: Anais... COLOQUIO INTERNACIONAL DE GEOCRÍTICA, 9. 2007. Porto Alegre.

LACOSTE, Yves. Geografia isso serve, em primeiro lugar, para fazer a guerra. 2. ed. Campinas: Papirus, 1989.Metodologia: Prospectiva Estratégica. Disponível em: http://www.fiepr.org.br/observatorios/FreeComponent2264content87568.shtml;acesso em 05 de set. de 2011.

MORETTO, Vasco Pedro. Prova um momento privilegiado de estudo – não um acerto de contas. 7 ed. Rio de Janeiro, DP&A, 2007.

OLIVEIRA, A.U. (Org.). Para onde vai o ensino da geografia? São Paulo: Contexto, 1989.

PERRENAUD, Philippe. 10 Novas Competências para Ensinar. Porto Alegre: Artemed, 2000.

PONTUSCHKA, Nídia Nacib; OLIVEIRA, Ariovaldo Umbelino de. (orgs). Geografia em perspectiva. São Paulo: Contexto, 2002.

 


Texto completo:

PDF

Referências


ARROYO, Miguel G. Ofício de mestre: imagens e auto-imagens. 10 ed. Petrópolis: Vozes, 2008.

CALLAI, Helena; CASTROGIOVANNI, Antônio C.; KAERCHER, Nestor. Ensino de Geografia: práticas e contextualizações do cotidiano. Porto Alegre: Mediação, 2000.

FOURNY, Marie-Christine; DENIZOT, Damien.A prospectiva local, um modo de produção e governança, Confins [Online], 9 | 2010, posto online em 22 jul. 2010, Disponível em: http://confins.revues.org/6502. Acesso em 5 set. 2011.

Metodologia: Prospectiva Estratégica. Disponível em: http://www.fiepr.org.br/observatorios/FreeComponent2264content87568.shtml;acesso em 05 de set. de 2011.

OLIVEIRA, A.U. (Org.). Para onde vai o ensino da geografia? São Paulo: Contexto, 1989.

PERRENAUD, Philippe. 10 Novas Competências para Ensinar Porto Alegre: Artemed, 2000.

PONTUSCHKA, NídiaNacib; OLIVEIRA, Ariovaldo Umbelino de. (orgs). Geografia em perspectiva. São Paulo: Contexto, 2002.




DOI: https://doi.org/10.5902/223649948960

Apontamentos

  • Não há apontamentos.




Indexações e Bases Bibliográficas