Turismo e transporte aéreo: o HUB KLM/AIRFRANCE no aeroporto internacional de Fortaleza

Tiago Estevam Gonçalves, Francisco Elvys Silva Lima, Enos Feitosa de Araújo

Resumo


 

O turismo na cidade de Fortaleza se apresenta como uma das mais importantes atividades econômicas no contexto atual. Para tanto, verificou-se a relevância de investimentos em equipamentos turísticos, principalmente vinculados à infraestrutura, destacando-se a ampliação de voos, fluxos do Aeroporto Internacional de Fortaleza, principal “entrada turística” do Ceará. Assim, neste ensaio, tem como objetivo discutir a influência do fluxo de pessoas relacionadas ao “hub” e suas dinâmicas relacionadas perante ao turismo cearense. Quanto aos procedimentos metodológicos, buscou-se primeiro referenciais teóricos acerca de fluxos turísticos, hub e turismo; segundo, foram trabalhados dados estatísticos secundários do Anuário Estatístico de Turismo, Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística, Instituto de Pesquisa e Estratégia Econômica do Ceará e do Anuário do Transporte Aéreo entre 2015 e 2018, por fim, fez-se uma análise acerca dos dados obtidos. Desta forma, a expansão turística se relaciona à infraestrutura turística, notadamente relacionada ao setor aéreo. Assim, percebe-se a relação entre os fluxos turísticos à expansão do Aeroporto Internacional de Fortaleza, notadamente o novo “hub”.


Palavras-chave


Turismo; fluxo de pessoas; Hub.

Texto completo:

PDF

Referências


AEROPORTO DE FORTALEZA. Página institucional. Disponível em: Acesso em: 16 abr. 2018.

AEROPORTOS DO BRASIL. História do Aeroporto de Fortaleza. Disponível em: Acesso em: 07 jan. 2019.

AGÊNCIA NACIONAL DE AVIAÇÃO CIVIL. Página institucional. Disponível em: Acesso em: 16 abr. 2018.

ALMEIDA, C. R. Aeroportos e turismo residencial: do conhecimento às estratégias. Portugal: Editorial Novembro, 2010.

ASHFORD, Norman J. et al. Operações Aeroportuárias. 3. ed. Porto Alegre: Bookman, 2015. 425 p.

BENI, M. C. Análise estrutural do Turismo. 12. ed. São Paulo: Senac São Paulo, 2007.

BOULLÓN, R. Planejamento do espaço turístico. Porto Alegre: EDUSC, 2002.

BREDOSSIAN, M. L. L. de. Rede urbana e espaços de fluxos: a rede brasileira a partir dos fluxos aeroportuários (Dissertação de Mestrado em Gestão Urbana). Curitiba: PUCPR, 2010.

CORIOLANO, L. N. M. T. O turismo nos discursos, nas políticas e no combate à pobreza. São Paulo: Annablume, 2006.

CRUZ, R. C. A da. Política de turismo e território. São Paulo: Contexto, 2002.

DEMIER, Felipe. Crônicas do caminho do caos: democracia blindada, golpe e facismo no Brasil atual. 1ª ed. – Rio de Janeiro: Mauad X, 2019 136 p.

DENNIS, N. Airline hub operations in Europe. Journal of Transport Geography. Londres: Elsevier, 1994.

FERNANDES, Daniel Marcos Szwec dos S. Itaperaoba: (re) surgimento da Serrinha. (Monografia de Graduação em Arquitetura e Urbanismo), Fortaleza, DAU/UFC, 2004.

INFRAERO. Página institucional. Disponível em: Acesso em: 16 abr. 2018.

Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística - IBGE. Página institucional. Disponível em: Acesso em: 10 jan. 2019.

IPECE. Página institucional. Disponível em: Acesso em: 17 abr. 2018.

IPECE. Anuário Estatístico 2020, Fortaleza.

KNEIB, E. C. Caracterização de Empreendimentos Geradores de Viagens: Contribuição Conceitual à Análise de seus Impactos no Uso, Ocupação e Valorização do Solo Urbano. Dissertação de Mestrado em Transportes, Publicação T. DM – 014A/2004, Departamento de Engenharia Civil e Ambiental, Universidade de Brasília, Brasília, DF, 168p.

KNEIB, E. C. Projeto e Cidade: centralidades e mobilidade urbana. Goiás: UFG, 2014.

KUNZ, J. G.; CÉSAR, P. de A. B. Turismo, espaço de fluxos e redes urbanas: uma análise no Aeroporto Hugo Cantergiani – Caxias do Sul (RS). Rio Grande do Sul: Universidade de Caxias do Sul, 2012.

LOHMANN, Guilherme; FRAGA, Carla; CASTRO, Rafael. Transportes e destinos turísticos: planejamento e gestão. Rio de Janeiro: Elsevier, 2013. 256 p.

MOREIRA, J. C. Geoturismo e interpretação ambiental. 1ª ed. rev. atual. Ponta Grossa: Editora UEPG, 2014 157p.

OMT. Organização Mundial do Turismo. Guia de desenvolvimento do turismo sustentável. Tradução de: Sandra Netz. Porto Alegre: Bookman, 2003.

PALHARES, G. L. Transportes Turísticos. São Paulo: Aleph, 2005.

PAOLILLO, A. M; REJOWSKI, M. Transportes. São Paulo: Aleph, 2002.

PREFEITURA MUNICIPAL DE FORTALEZA. Página institucional. Disponível em: Acesso em: 17 abr. 2018.

RUSCHMANN, Doris. Turismo e Planejamento Sustentável: a proteção do meio ambiente. Campinas, SP: Papirus, 1997.

SANTOS, Milton. A Natureza do Espaço. Técnica e Tempo. Razão e Emoção. Hucitec, São Paulo, 1996.

SANTOS, Milton. Metamorfose do Espaço Habitado. São Paulo: Hucitec, 1988.

SANTOS, Milton. O Brasil: território e sociedade no início do século XXI (em colaboração com Maria Laura Silveira), Record, Rio de Janeiro, 2001.

TEIXEIRA, Sérgio Henrique de Oliveira. CORPORATE PLANNING AND AIRPORT CONCESSION IN BRAZIL. Mercator, Fortaleza, v. 17, jan. 2018.

URRY, John. O olhar do turista: lazer e viagens nas sociedades contemporâneas. 3ª ed. – São Paulo: Studio Nobel: SESC, 2001.

VASCONCELOS, L. F. S. O aeroporto como integrante de um projeto de desenvolvimento regional: a experiência brasileira. Dissertação de mestrado em Transportes, Publicação T.DM – 008A/2007, Departamento de Engenharia Civil e Ambiental, Universidade de Brasília, Brasília, DF 149 p.




DOI: https://doi.org/10.5902/2236499445343

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição - Não comercial - Compartilhar igual 4.0 Internacional.

Indexações e Bases Bibliográficas