Sobre memória, identidade e territorialidade – reflexões a partir da Geografia

Jaime Bernardo Neto

Resumo


O presente artigo consiste em uma reflexão teórica sobre as inter-relações entre identidade, memória coletiva e territorialidade. Partindo da premissa de que a forma como pensamos o tempo tem reflexos sobre a maneira como imaginamos o espaço e vice-versa, como bem demonstram autores como Massey (2013) e Wallerstein (2006), tem-se por corolário que os aspectos temporal e espacial das identidades coletivas também se influenciam mutuamente. Neste sentido, procura-se demonstrar que o território é um dos principais conjuntos de signos que atuam na reprodução/disseminação da memória coletiva de um grupo social e, simultaneamente, essa mesma memória coletiva é um elemento capital da territorialidade do grupo, estando ambos amalgamados em seus processos identitários, por meio da qual são mutuamente/reciprocamente influenciáveis.


Palavras-chave


memória coletiva; territorialidade; identidade.

Texto completo:

PDF

Referências


ANDERSON, Benedict. Comunidades imaginadas: reflexões sobre a origem e difusão do nacionalismo. São Paulo: Companhia das Letras, 2008.

BARTH, Fredrik. O guru, o iniciador a outras variações antropológicas. Rio de Janeiro: Contra Capa Livraria, 2000.

BOURDIEU, Pierre. O poder simbólico. Rio de Janeiro, Bertrand Brasil, 2012. 16ª Edição.

CASTORIADIS, Cornelius. A instituição imaginária da sociedade. 2ª Edição. Rio de Janeiro: Paz e Terra, 1986 [1982].

CLAVAL, Paul. Espaço e Poder. Rio de Janeiro: Zahar Editores, 1979 [1978].

CLAVAL, Paul. Epistemologia da Geografia. Florianópolis: Editora UFSC, 2012.

DE CERTEAU, Michel. A invenção do cotidiano. Petrópolis, Editora Vozes: 1998. 3a Edição.

FERREIRA, Simone Raquel Batista. “Donos do Lugar”: a territorialidade quilombola do Sapê do Norte-ES. 2009. 526p. Tese (Doutorado em Geografia) - Universidade Federal Fluminense, Niterói-RJ.

FOUCAULT, Michel. Microfísica do poder. 20ª Edição. Rio de Janeiro: Edições Graal, 2004.

FOUCAULT, Michel. A ordem do discurso. São Paulo: Edições Loyola, 2014.

GOTTMANN, Jean. The signifcance of territory. Charlottesville: The university Press of Virginia, 1973.

HAESBAERT, Rogério. O mito da desterritorialização. Rio de Janeiro: Bertrand Brasil, 2012 [2004]. 7ª Ed.

HALBWACHS, Maurice. A memória coletiva. São Paulo: Centauro, 2003.

HALL, Stuart; CERNICCHIARO, Ana Carolina (trad.). Etnicidade: identidade e diferença. Crítica cultural – Critic, Palhoça, SC, v.11, n.2, p.317-327, jul./dez.2016.

HOBSBAWN, Eric. Era do Capital (1848-1875). São Paulo: Editora Paz e Terra, 2015.

HOBSBAWN, Eric. A invenção das tradições. São Paulo: Paz e Terra, 2016.

HOBSBAWN, Eric. Nações e nacionalismos: desde 1870. São Paulo: Paz e Terra, 2002.

LE GOFF, Jacques. História e Memória. Campinas: Editora Unicamp, 2003, 5ª Edição.

LITTLE, Paul E. Territórios sociais e povos tradicionais no Brasil: por uma antropologia da territorialidade. Série Antropológica, n.322, Brasília: UNB, 2002. Disponível em http://vsites.unb.br/ics/dan/Serie322empdf.pdf

LOWENTHAL, David. Como conhecemos o passado. Revista Projeto História, São Paulo, PUC-SP, n. 17, nov. 1998, p. 63-201.

MASSEY, Doreen. Pelo Espaço. Uma nova política da espacialidade. 4a ed. Rio de Janeiro: Bertrand Brasil, 2013.

MEMMI, Albert. Retrato do colonizado precedido de Retrato do Colonizador. Rio de Janeiro: Civilização Brasileira, 2007.

MORAES, Antônio Carlos Robert. Território e História no Brasil. São Paulo: Annablume, 2005. 2a Edição.

MOREIRA, Vânia Maria Losada. A produção histórica dos vazios demográficos: guerra e chacinas no vale do rio Doce (1800-1830). Revista de História (UFES), Vitória, ES, v. 9, n. 9, p. 99-123, 2001.

NORA, Pierre. Entre memória e história. A problemática dos lugares. Proj. História, São Paulo, n.10, dez, 1993.

OLIVEIRA, Roberto Cardoso de. Identidade, Etnia e Estrutura Social. São Paulo: Livraria Pioneira Editora, 1976.

POLLACK, Michael. Memória, Esquecimento, Silêncio. Revista Estudos Históricos, Rio de Janeiro, vol. 2, n. 3, 1989. p. 3-15.

POLLACK, Michael. Memória e Identidade Social. Revista Estudos Históricos, Rio de Janeiro, vol. 5, n. 10, 1992, p. 200-212.

RAFFESTIN, Claude. Por uma Geografia do Poder. São Paulo: Editora Ática, 1993 [1980].

SACK, Robert David. Human Territoriality: its theory and history. Cambridge: Cambridge University Press, 1986.

SILVA, Sandro José da. Luta política e identidade quilombola no Espírito Santo. 2012. 342p. Tese (Doutorado em Antropologia). Universidade Federal Fluminense, Niterói.

SOUZA, Marcelo José Lopes de. O território: sobre espaço, poder, autonomia e desenvolvimento. In: Castro, Iná Elias, Gomes, Paula Cesar da Cosa, e Corrêa, Roberto Lobato. Geografia: conceitos e temas. Rio de Janeiro: Bertrand Brasil, 2013.

SPOSITO, Eliseu Savperio. Geografia e filosofia: contribuição para o ensino do pensamento geográfico. São Paulo: UNESP, 2004.

TUAN, Yi Fu. Topofilia. Um estudo da percepção, atitudes e valores do meio ambiente. Londrina: Eduel, 2012.

TUAN, Yi Fu. Espaço e Lugar. São Paulo: Difel, 1983.

YOUNG, Iris. Five Faces of Oppression. In: HELDKE, Lisa, e O´CONNOR, Peg. Opression, Privilege and Resistance. Boston: Mcgraw Hill, 2004.

WALLERSTEIN, Immanuel. Impensar a Ciência Social. Os limites dos paradigmas do século XIX. Aparecida, SP: Idéias & Letras, 2006.




DOI: https://doi.org/10.5902/2236499445258

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição - Não comercial - Compartilhar igual 4.0 Internacional.

Indexações e Bases Bibliográficas