Parques Urbanos contemporâneos: uma análise dos imaginários socioespaciais na cidade de Montes Claros/MG

Autores

DOI:

https://doi.org/10.5902/2236499443562

Palavras-chave:

Espaços Públicos, Imaginários socioespaciais, Parques Urbanos, Percepção ambiental.

Resumo

Propomos nesse estudo[i] análises dos parques urbanos na cidade contemporânea através da construção dos imaginários socioespaciais, da experiência e percepção dos seus usuários. A partir dos estudos de três parques urbanos da cidade de Montes Claros/MG, em realidades sociais, econômicas e culturais distintas, buscou-se por meio da técnica de Associação Livre de Palavras (T.A.L.P.) analisar de que maneira esses imaginários se manifestam e têm relação com os usos e apropriações dos espaços. Apesar dos valores atribuídos aos lugares serem de cunho individual e estarem imbuídos de simbologia e afetividade, notou-se uma construção social de imaginários socioespaciais dos parques urbanos analisados, marcados por grupos que possuem o mesmo habitus perceptível por seu estilo de vida, em espaços simbólicos (campos). Dessa forma, para cada objeto em estudo, verificou-se um imaginário espacial característico conforme as necessidades, interesses, valores e estilos de vida distintos. Nos parques Milton Prates e Mangueiras os seus usuários relacionam o espaço como local de vivências do lazer, sendo o lugar do convívio e do encontro. Já o parque Sagarana, embora também seja um espaço do lazer, se faz presente no imaginário como local para prática de atividades físicas em contato com a natureza.


[i]Esse trabalho é resultado parcial da reflexão iniciada na dissertação de Rocha (2020), intitulada: Usos e significados dos espaços públicos contemporâneos: uma análise dos parques urbanos em Montes Claros/MG,  defendida pelo Programa de Pós-Graduação em Geografia da Universidade Estadual de Montes Claros (UNIMONTES).

Biografia do Autor

Maria Vitória Xavier Dias Rocha, Universidade Estadual de Montes Claros

Mestre em Geografia pelo Programa de Pós Graduação em Geografia da Universidade Estadual de Montes Claros

Carlos Alexandre de Bortolo, Universidade Estadual de Montes Claros - Unimontes

Doutor em Geografia pelo Programa de Pós-Graduação em Geografia da Universidade Estadual de Maringá (UEM). Professor do Programa de Pós-Graduação em Geografia da Universidade Estadual de Montes Claros - Unimontes.

Anete Marília Pereira, Universidade Estadual de Montes Claros - Unimontes

Doutora em Geografia pela Universidade Federal de Uberlândia. Professora do Programa de Pós-Graduação em Geografia da Universidade Estadual de Montes Claros - Unimontes.

Referências

ASCOM, Assessoria de comunicação de Montes Claros. Festa do Trabalhador leva multidão para o Parque Municipal Milton Prates. Prefeitura Municipal de Montes Claros, maio de 2019. Disponível em http://www.montesclaros.mg.gov.br, acesso em julho de 2019

______. Parque das Mangueiras: Prefeitura entregará a nova área verde no início de julho. Prefeitura Municipal de Montes Claros, julho de 2012. Disponível em: http://www.montesclaros.mg.gov.br/, acesso em jul. 2019

BOURDIEU, P. Questões de sociologia. Rio de Janeiro: Marco Zero, 2003.

______. Sociologia. (Organizado por Renato Ortiz). São Paulo: Ática, 1983.

CARLOS, A.F. A. A condição espacial. São Paulo: Contexto, 2011.

CERTEAU, M. A Invenção do Cotidiano: Artes de Fazer. Petrópolis, Editora Vozes.3 ed. 1998.

COUTINHO, M.da P. de L. A TÉCNICA DE ASSOCIAÇÃO LIVRE DE PALAVRAS SOBRE O PRISMA DO SOFTWARE TRI-DEUX-MOTS (VERSION 5.2). Revista Campo do Saber. Vol. 3 N.1 jan./jun. 2017

FELIPPE, M. L.; KUHNEN, A. O apego ao lugar no contexto dos estudos pessoa-ambiente: práticas de pesquisa. Revista Estudos de Psicologia. 29(4) 609-617, Campinas. Out. Dez. 2012.

FRANÇA, I. S.de. A cidade média e suas centralidades: o exemplo de Montes Claros no Norte de Minas Gerais. Dissertação de Mestrado. Instituto de Geografia. UFU. Uberlândia. 2007.

______. Cidade e região: deslocamentos para estudo e trabalho direcionados à cidade média de Montes Claros no Norte de Minas Gerais. In: OLIVEIRA, Hélio Carlos Miranda de; CALIXTO, Maria José Martinelli Silva; SOARES, Beatriz Ribeiro (Org.). Cidades Médias e Região. 1 ed.São Paulo: Cultura Acadêmica Editora, 2017, v. 1, p. 1-352.

GOMES, M. A.S. Os parques e a produção do espaço urbano. Jundiaí, Paco Editorial, 2013.

GOMES, P. C.da C. Considerações acerca dos espaços públicos e suas variações no tempo e no espaço.In: Geografia urbana: desafios teóricos contemporâneos. (Orgs.) SERPA, Ângelo; CARLOS, Ana Fani Alessandri. Salvador, EDUFBA, 2018.

LEFEBVRE, H. A produção do espaço. Trad. Doralice Barros Pereira e Sérgio Martins (do original: La production de l’espace. 4e éd. Paris: ÉditionsAnthropos, 2000). Primeira versão, 2006.

LEITE, M. E.; PEREIRA, A.M. Metamorfose do espaço intra-urbano de Montes Claros-MG. Montes Claros, MG: Unimontes, 2008. 208 p.

LEITE, R. P. Contra-usos da cidade: lugares e espaço público na experiência urbana contemporânea. Campinas: UNICAMP; Aracajú: UFS, 2ª ed., 2007, 375p.

LOBODA, C. R. Espaço público e periferia na cidade contemporânea: entre as necessidades e as possibilidades. Raega - O Espaço Geográfico em Análise, [S.l.], v. 37, p. 37 - 64, ago. 2016. ISSN 2177-2738. Disponível em: <https://revistas.ufpr.br/raega/article/view/40382>. Acesso em dezembro de 2019.

MACEDO, S.S.; SAKATA, F.G. Parques urbanos no Brasil. 3. ed. São Paulo: EDUSP, 2010.

MACEDO, S. S.et al. Os sistemas de espaços livres e a constituição da esfera pública contemporânea no Brasil. São Paulo: Editora da Universidade de São Paulo, 2018.

MARCELLINO, N. C. Estudos do lazer: uma introdução. Campinas, SP: Autores Associados. 1996.

MONTES CLAROS, Câmara Municipal. Lei nº 4.198 de Dezembro de 2009 que dispõe sobre o Uso e Ocupação do Solo e Zoneamento no município de Montes Claros. Montes Claros, 2009. Disponível em: http://www.montesclaros.mg.gov.br/planodiretor/LEIS/Lei%20Uso%20e%20Ocupa%C3%A7%C3%A3o%20do%20Solol%20no.%204198-2009.pdf, acesso em jun. 2019

______. Prefeitura Municipal. Lei 5.077, de 21 de Agosto de 2018. Dispõe sobre a criação de Parques Municipais. Montes Claros, 2018. Disponível em: https://portal.montesclaros.mg.gov.br/lei/lei-5077-de-21-de-agosto-de-2018, acesso em jun. 2019

______. Prefeitura Municipal. Prefeitura credencia ambulantes para vender brinquedos, bebidas e alimentos nos parques de Montes Claros. Montes Claros, 25 de novembro 2019. https://portal.montesclaros.mg.gov.br/noticia/meio-ambiente/prefeitura-credencia-ambulantes-para-vender-brinquedos-bebidas-e-alimentos-nos-parques-de-montes-claros. Acesso em dez. 2019

ROCHA, M. V. Usos e significados dos espaços públicos contemporâneos: uma análise dos parques urbanos em Montes Claros/MG. 2020. 198f. Dissertação (Mestrado em Geografia) – Programa de Pós-Graduação em Geografia, Universidade Estadual de Montes Claros, Minas Gerais. 2020

SAKATA, F. Parques Urbanos no Brasil – 2000 a 2017. 2018. 348 f. Tese (Doutorado - Arquitetura e Urbanismo) -- Universidade de São Paulo, Faculdade de Arquitetura e Urbanismo, 2018.

SANTOS, M. O espaço do cidadão. São Paulo: Edusp, 7 ed., 2007.

SAVI, A. E. A realidade e a percepção ambiental. Site: Arquitetura História e Patrimônio. Disponível em: <https://arquiteturahistoriaepatrimonio.wordpress.com/2016/10/22/a-realidade-e-a-percepcao-ambiental/> acesso Nov. 2018

SERPA, Â. O espaço público na cidade contemporânea. São Paulo: Contexto, 2007.

______. Patrimônios e periferias frente ao turismo. Geosaberes – V. 1, n. 1, p. 16-26. Maio/2010

______. Microterritórios e segregação no espaço público da cidade contemporânea. Cidades Vol. 10 N. 17, agosto/2013.

SILVA JÚNIOR, O. F. da. Por uma Geografia do Imaginário: percorrendo o labirínticomundo do imaginário em uma perspectiva geográfica cultural. Revista Eletrônica do Centro de Estudos do Imaginário - UNIR, Ano I nº. 3 –Out.- Dez. 2001.Disponível em: http://www.cei.unir.br/artigo31.html. Acesso em: Nov. 2019

SILVEIRA. J. Toninho Rebello. Crônicas do portal Montes Claros, publicado 7 de maio de 2015.Disponível em: https://montesclaros.com/mural/cronistas.asp?cronista=Jorge%20Silveira, acesso em jun., de 2019

SOBARZO MIÑO, O.A. Os espaços da sociabilidade segmentada: a produção do espaço público em Presidente Prudente. Tese (Doutorado em Geografia) – UNESP – Faculdade de Ciências e Tecnologia, Presidente Prudente-SP, 2004.

TUAN, Y. Topofilia: um estudo da percepção, atitudes e valores do meio ambiente. SP:DIFEL, 1980.

______. Espaço e lugar: a perspectiva da experiência. São Paulo: Difel, 1983.

Downloads

Publicado

2021-08-31

Como Citar

Rocha, M. V. X. D., de Bortolo, C. A., & Pereira, A. M. (2021). Parques Urbanos contemporâneos: uma análise dos imaginários socioespaciais na cidade de Montes Claros/MG. Geografia Ensino & Pesquisa, 25, e19. https://doi.org/10.5902/2236499443562

Edição

Seção

Produção do Espaço e Dinâmica Regional