As transformações urbanas e a sazonalidade: produtores do conforto térmico do centro da cidade de Sobral-CE

Francisco Gerson Lima Muniz, Isorlanda Caracristi

Resumo


A presente pesquisa tem como objetivo demonstrar a relação entre a urbanização e as alterações microclimáticas na cidade de Sobral (CE) e como o processo atual de crescimento da cidade, num contexto ambiental de semiaridez, pode interferir no conforto térmico. A metodologia utilizada na pesquisa fundamentou-se no “Sistema de Clima Urbano” (SCU), de Carlos Augusto Monteiro (2003), na perspectiva do canal I, termodinâmico. A coleta de dados foi realizada em dois experimentos de períodos sazonais contrastantes, com medições simultâneas realizadas nos horários de 6, 9, 12, 15 e 18 horas. Os resultados encontrados evidenciam que os elementos paisagísticos urbanos favorecem para a formação de atributos microclimáticos desfavorávies ao conforto térmico, sobretudo no período seco da cidade.


Texto completo:

PDF

Referências


AYOADE, J. O. Introdução à Climatologia para os Trópicos. 12ª ed. Rio de Janeiro: Bertrand Brasil, 2007.

CARACRISTI, Isorlanda - A Climatologia: Domínios e Métodos - Jornal Espaço -Tempo. Ano 1, nº 1 - Casa da Geografia de Sobral/UVA – Sobral/CE, 1996.

CARACRISTI, Isorlanda - Estudo Integrado do Clima da Região do Médio Curso do Rio Acaraú: uma análise geográfica do clima local - Revista Essentia. Ano 1. nº 01- UVA – Sobral/CE, 2000.

FREITAS, Ruskin. Entre Mitos e Limites: As possibilidades do adensamento construtivo face à qualidade de vida no ambiente Urbano. Tese (Curso de Doutorado do Programa de Pós-Graduação e Pesquisa em Arquitetura – Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRS), Porto Alegre, 2005. Disponivel em: http://www.lume.ufrgs.br/handle/10183/6771. Acesso em 15 de Jun. 2015.

FROTA, A.B; SCHIFFER,S.R. Manual do conforto térmico. São Paulo: Nobel, 1988.

HOLANDA, V.C.C. AMORA, Z.B. (Organizadoras). Leituras e saberes sobre o urbano: Cidades do Ceará e Mossoró no Rio Grande do Norte. Fortaleza: Expressão Gráfica. 2010.

HOLANDA, V. C. C. de. Modernizações e espaços seletivos no Nordeste brasileiro. Sobral: Conexão Lugar/Mundo. Tese de Doutorado. Programa de Pós Graduação em Geografia Humana, Universidade de São Paulo. São Paulo, 2005

Tecnologia. Fortaleza, 2011. 126 f.

MENDONÇA, F; DANNI-OLIVEIRA, I. M. Climatologia: noções básicas e climas do Brasil. São Paulo: Oficina de Texto, 2007

MENDONÇA, F. Clima e Planejamento Urbano em Londrina: proposição metodológica e de intervenção urbana a partir do estudo do campotermo-higrométrico. In: MONTEIRO, C. A. F; MENDONÇA, F (Org). Clima urbano. São Paulo: Contexto, 2003.

MONTEIRO, C. A. de F. Teoria e Clima Urbano. Série Teses e Monografias nº25. São Paulo: Instituto de Geografia/USP, 1976.

MONTEIRO, C. A. de F. A cidade como processo derivador ambiental e a geração de um clima urbano: estratégias na abordagem geográfica. Revista Geosul, v. 9, Florianópolis, 1990a. Disponível em: https://periodicos.ufsc.br/index.php/geosul/issue/view/1222. Acesso em 22 Out de 2014.

MONTEIRO, C. A. de F.Adentrar a cidade para tomar-lhe a temperatura. Revista Geosul, v.9, Florianópolis, 1990b. Disponível em: https://periodicos.ufsc.br/index.php/geosul/issue/view/1222. Acesso em 22 Out de 2014.

MONTEIRO, C.A. F; MENDONÇA, F (Orgs). Clima Urbano. São Paulo: Contexto, 2003.

SANT’ANNA NETO, J. L. Clima e organização do espaço. Boletim de Geografia-Universidade Estadual de Maringá. Depto.de Geografia, 1998.

SORRE, M. Objeto e método da Climatologia. Tradução de José Bueno Conti. Revista do departamento de Geografia, São Paulo, n. 18, p. 89-94, 2006. Universidade de São Paulo. Disponível em: http://www.geografia.fflch.usp.br/publicacoes/rdg/RDG_18/RDG18_089_o94.pdf Acesso em: 15 Nov. 2012




DOI: http://dx.doi.org/10.5902/2236499427312

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Indexações e Bases Bibliográficas