GEOTECNOLOGIAS COMO SUBSÍDIO A PRÁTICAS DE ENSINO EM GEOGRAFIA PARA ALUNOS DE BAIXA VISÃO DO ENSINO FUNDAMENTAL DO INSTITUTO BENJAMIN CONSTANT (IBC)

Robson Lopes de Freitas Junior, Vivian Castilho da Costa

Resumo


O presente artigo busca demonstrar como as ferramentas de Geotecnologias podem contribuir no ensino de Geografia para alunos que apresentam baixa visão. Para tal, foram realizados procedimentos metodológicos importantes tais como: práticas com os alunos na utilização de ferramentas acessíveis na internet, elaboração de mapas texturizados e em relevo que foram testados pelos alunos e, por fim, a realização de correções das atividades em que se buscou aperfeiçoar o ensino de Geografia para este público. Como resultados, o material aplicado com tal metodologia será implantado, definitivamente, nas atividades acadêmicas dos alunos na disciplina de Geografia do Instituto Benjamin Constant (RJ). 


Texto completo:

PDF

Referências


ALMEIDA, Rosangela Doin de. “Do Desenho ao Mapa: iniciação cartográfica na escola”. São Paulo: Contexto, 2001.

DI MAIO, Angélica Carvalho. “Geotecnologias Digitais no Ensino Médio: avaliação prática de seu potencial”. 2004. Tese (Doutorado em Geografia) - Programa de Pós-Graduação em Geografia, UNESP, Rio Claro - SP.

FIGUEIREDO, João Ricardo Mello. “O presente pelo passado: variação verbal em narrativas de deficientes visuais”. 2012. Tese (Doutorado em linguística) - Programa de Pós-Graduação em Linguística, UFRJ, Rio de Janeiro – RJ.

KENSKI, Vani Moreira. “A profissão do professor em um mundo em rede: exigências de hoje, tendências e construção do amanhã: professores, o futuro é hoje”. 1998, Associação Brasileira de Tecnologia Educacional (ABT), v. 26, n. 143, out./dez.

SENA, Carla Cristina Reinaldo Gimenes; CARMO, Waldirene Ribeiro do. “Uso de Maquetes no Ensino de Conceitos de Geografia Física para Deficientes Visuais”. In: XI Simpósio Brasileiro de Geografia Física Aplicada. 2005, Anais de resumo, São Paulo, v.1.

VASCONCELLOS, Regina. “A cartografia tátil e o deficiente visual: uma avaliação das etapas de produção e uso do mapa”. 1993. Tese (Doutorado em Geografia) - Programa de Pós-Graduação em Geografia, USP, São Paulo - SP.

VENTORINI, Silvia Elena. “A Experiência como fator determinante na representação espacial do deficiente visual”. 2007. Dissertação (Mestrado em Geografia). Programa de Pós-Graduação em Geografia, UNESP, Rio Claro – SP.

ZUCHERATO, Bruno; FREITAS, Maria Isabel Castreghini de. “A construção de gráficos táteis para alunos deficientes visuais”. Ciência em Extensão, v.7, n.1, p. 24-41. Disponível em: http://ojs.unesp.br/index.php/revista_proex/article/view/343/403. Acesso em: dezembro de 2016.




DOI: http://dx.doi.org/10.5902/2236499425952

Apontamentos

  • Não há apontamentos.




Indexações e Bases Bibliográficas