Educação ambiental: relação entre a produção científica, as políticas nacionais e evolução da consciência ambiental na UFSM

Marilia Camotti Bastos, Fabiana de Medeiros Silveira, Simone Stefanello, Mariele de Almeida Lanes, Gilmar Luiz Schaefer, Karla Marques da Rocha

Resumo


O objetivo do trabalho foi relacionar a produção científica nos últimos quinze anos com a evolução das políticas nacionais e a consciência ambiental na UFSM. Foram selecionadas revistas do campo da Educação e Ensino, nas quais foram pesquisadas quantas vezes as palavras: meio ambiente, ambiental, solo, ar, água, poluição, florestas, fauna, flora, efeito estufa e lixo eram citadas como assunto principal em cada periódico. Ainda, avaliou-se a evolução da consciência ambiental através da aplicação de questionário com alunos de diferentes cursos da Universidade Federal Santa Maria. Os resultados revelam que a produção cientifica possui relação direta com o crescimento das políticas nacionais e que a evolução da consciência ambiental cresceu juntamente com essa evolução.


Palavras-chave


Consciência; Meio ambiente; Recursos naturais

Texto completo:

PDF

Referências


BEREND, I. An Economic History of Twentieth - Century Europe. Cambridge University Press: University Printing House, 2006

BRASIL. Lei n° 9.795, de 27 de abril de 1999. Dispõe sobre a Educação. Ambiental, institui a Política da Educação Ambiental e dá outras providências. Disponível em: http://www.lei.adv.br/9795-99.html. Acesso em: 02 jul. 2016

BRASIL. Secretaria de Educação Continuada, Alfabetização e Diversidade. Educação Ambiental: Aprendizes de sustentabilidade. Brasília, 2007.

CARVALHO, I. C. M. O “Ambiental” como valor substantivo: uma reflexão sobre a identidade da EA. Disponível em: www.mma.gov.br/port/sdi/ea/deds/arqs/ isabcarv.pdf. Acesso em: 02 jul. 2016

CRUZ, C. A.; MELO, I. B. N.; MARQUES,S. C. M. “A educação ambiental brasileira: história e adjetivações” Revista Brasileira de Educação Ambiental, v.11, n.1, p: 183- 195, mar. 2016

GLAUSIUZ, J. Can a Maligned Pesticide Save Lives? Disponível em: http://discovermagazine.com/2007/nov/can-a-maligned-pesticide-save-lives/. Acesso em: 02 jun. 2016

GUIMARÃES, M. A formação de educadores ambientais. Campinas: Papirus, 2007.

INEP (Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais). Aumenta número de escolas com educação ambiental. Disponível em: http://portal.inep.gov.br/c/journal/view_article_content?groupId=10157&articleId=11284&version=1.1 . Acesso em: 28 out 016.

JACOBI, P. R. Educação Ambiental: o desafio da construção de um pensamento crítico, complexo e reflexivo. Educação e Pesquisa, São Paulo, v. 31, n. 2, p. 233- 250, maio/ago. 2005

LEITE, A. L. T. A.; MININNI-MEDINA, N. Educação ambiental: curso básico à distância: questões ambientais: conceitos, história, problemas e alternativas. Ministério do Meio Ambiente: Brasília, 2000.

LIMA, G. F. C. Educação Ambiental no Brasil: Formação, identidades e desafios. 1a edição. Campinas: Papirus, 2011.

LIMA, G. F. C. Educação ambiental: repensando o espaço da cidadania: Crise ambiental, educação e cidadania: os desafios da sustentabilidade emancipatória. 3a edição. São Paulo: Cortez, 2005

MALACARNE, V.; STRIEDER, D. M. O desvelar da ciência nos anos iniciais do ensino fundamental: um olhar pelo viés da experimentação. Vivências, n.7, v.5, p.75-85, Mai. 2009

REIGOTA, M. Meio ambiente e representação social. 8 ed. São Paulo: Cortez Editora, 2010.

SORRENTINO, M.; TRAIBER, R.; MENDONÇA, P.; JUNIOR, L. A. F. Educação ambiental como política pública. Educação e Pesquisa, São Paulo, v. 31, n. 2, p. 285-299, maio/ago. 2005

TRISTÃO, M. Educação Ambiental na formação de professores: redes de saberes. 1 ed. São Paulo: Annablume, 2004.




DOI: http://dx.doi.org/10.5902/2236499424653

Apontamentos

  • Não há apontamentos.




Indexações e Bases Bibliográficas