COLETA SELETIVA: REALIDADE E UTOPIA NA CIDADE DE BOA VISTA – RR

Marcos de Lima Gomes, Silvia Ribeiro Silva Farizel, Antônio Carlos Ribeiro Araújo Júnior

Resumo


O município de Boa Vista - RR teve um crescimento demográfico de cerca de 222% considerando os últimos três censos demográficos do IBGE, com isso, elevando a capacidade de suporte do “aterro sanitário”. Para tanto, a prefeitura municipal implantou um plano/sistema de coleta de resíduos sólidos em logradouros da cidade desde ano 2014, em praças reformadas, revitalizadas e avenidas. O objetivo desse trabalho é avaliar a real finalidade desse sistema na tentativa de elucidar o quanto este fomentará políticas públicas voltadas para o meio ambiente. Por meio de análise documental e trabalhos de campo pode-se constatar que o plano de coleta seletiva na cidade torna-se inviável, caracterizando, conceitualmente, uma utopia, pois, os coletores seletivos disponíveis tornam-se adornos paisagísticos na cidade.


Texto completo:

PDF

Referências


AVANZI, M. R. Ecopedagogia. In: In: LAYRARQUES, P. P. (Coord.). Identidades da Educação Ambiental Brasileira. Brasília: Ministério do Meio Ambiente, 2004. p. 35-50.

BRASIL. Senado Federal. Constituição Federal do Brasil. Brasília, 1998.

_______. Senado Federal. Lei 12.305, de 02/08/2010. Institui a Política Nacional de Resíduos sólidos.; Brasília, 2010.

_______.Senado Federal.Lei 9.795, de 27 de abril de 1999.Institui a Política Nacional de Educação Ambiental. Brasília, 2010.

_______. Plano Nacional de Saneamento Básico (PLANSAB) http://www.mma.gov.br/cidades-sustentaveis/residuos-solidos/catadores-de-materiais-reciclaveis/reciclagem-e-reaproveitamento. Acessado em agosto de 2016.

______. IBGE. Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística. http://www.cidades.ibge.gov.br/painel/populacao.php?lang=&codmun=140010&search=%7Cboa-vista. em agosto de 2016.

______. IBGE. Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística.http://www.ibge.gov.br/home/estatistica/populacao/censo2010/tabelas_pdf/total_populacao_roraima.pdf. em agosto de 2016.

BOA VISTA. Diário Oficial do Município de Boa Vista. Lei nº 482, de 03 de dezembro de 1999. Institui o código Sanitário do Município de Boa Vista. 1999.

FELIPE, S. T. O Conceito de Utopia na proposta Paulofreireana". PUC/RS. 1979.

G1.Senado aprova prorrogação do prazo para extinção de lixões. Política de Resíduos Sólidos determinava a extinção até agosto de 2014. Acessado em agosto de 2016.

G1/RR. Prefeitura de Boa Vista instala lixeiras e alerta sobre multa de R$ 222. http://g1.globo.com/rr/roraima/noticia/2014/07/prefeitura-de-boa-vista-instala-lixeiras-e-alerta-sobre-multa-de-r-222.html. Acessando em agosto de 2016.

LOUREIRO, C. F. B. Educação Ambiental Transformadora. In: LAYRARQUES, P. P. (Coord.). Identidades da Educação Ambiental Brasileira. Brasília: Ministério do Meio Ambiente, 2004. p. 65-84.

PONTES, J. Boa Vista não possui coleta seletiva de lixo doméstico. Disponível em:. Acessado em ago. 2016.

QUINTAS, J. M. Educação no processo de gestão ambiental: uma proposta de Educação Ambiental Transformadora e Emancipatória. In: LAYRARQUES, P. P. (Coord.). Identidades da Educação Ambiental Brasileira. Brasília: Ministério do Meio Ambiente, 2004. p. 113-140.

ROTH, C. G.; GARCIAS, C. A influência dos padrões de consumo na geração de resíduos sólidos dentro do sistema urbano sólidos dentro do sistema urbano. REDES, Santa Cruz do Sul, v. 13, n. 3, p. 5 -13, set/dez. 2008.

SCACABAROSSI, H.; PÉRICO, E. Perspectivas e Desafios da Coleta Seletiva na Cidade de Boa Vista - RR, no Contexto da Política Nacional de Resíduos Sólidos, Lei Federal nº 12.305/2010. Geografia (Londrina) v. 23, n.2. p.49-69, jul/dez, 2014

SILVA, P. R. F. Boa Vista: gênese espontânea e gênese induzida. Se induzida. Revista Acta geográfica, ano III, no 5. p. 73.71. jan/jun. 2009.

ZANETI, I. C. B. B. et. al. A educação ambiental como instrumento de mudança na concepção da gestão de resíduos sólidos domiciliares e na preservação do meio ambiente. In: ANPAS, 2002.




DOI: http://dx.doi.org/10.5902/2236499424491

Apontamentos

  • Não há apontamentos.




Indexações e Bases Bibliográficas