DOM QUIXOTE E SUA SAGA EDITORIAL: UMA ANÁLISE COMPARADA DE ADAPTAÇÕES GALEGAS E BRASILEIRAS PARA O PÚBLICO INFANTIL

Autores

DOI:

https://doi.org/10.5902/2179219463727

Palavras-chave:

Adaptações, Dom Quixote, Análise Comparada, Galícia, Brasil.

Resumo

Resumo: A análise de adaptações literárias, como parte das produções que constituem hoje o campo literário, pode lançar luz sobre os discursos sobre a leitura e sobre os leitores de um determinado segmento, discursos que circulam e que determinam o que em geral se diz sobre essa prática, assim como delimitam os modos adequados de exercê-la. Nosso objetivo, neste artigo é o de analisar algumas das representações discursivas do leitor infantil, que se podem identificar em adaptações do clássico Dom Quixote, a saber: O Cavaleiro do Sonho, de Ana Maria Machado e a coleção Don Quixote e Breogán, de Anxo Fariña.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Luzmara CURCINO, Universidade Federal de São Carlos

Luzmara Curcino é Professora no Departamento de Letras e no Programa de Pós-Graduação em Linguística da UFSCar e coordenadora do Laboratório de Estudos da Leitura (LIRE-CNPq). Dedica-se, em suas pesquisas, à análise dos discursos sobre a leitura na atualidade. Traduziu, entre outras obras, Inscrever e apagar: Cultura escrita e Literatura (séculos XI-XVIII) (Editora UNESP, 2006) e O que é um autor? Revisão de uma Genealogia (EdUFSCar, 2012), ambas de Roger Chartier. Além de autora de vários capítulos de livros e de artigos, é organizadora de obras coletivas, tais como Discurso, Semiologia e História (Editora Claraluz, 2011), Presenças de Foucault na Análise do discurso (EdUFSCar, 2014) e (In)Subordinações Contemporâneas: Consensos e resistências nos discursos (EdUFSCar, 2016).

Jéssica de OLIVEIRA, Universidade Federal de São Carlos

Jéssica de Oliveira Graduada em Letras (Licenciatura Plena em Português e Espanhol) pela Universidade Federal de São Carlos (2014), mestre (2017) na área de Linguística pela mesma instituição. Participa como pesquisadora do Laboratório Interdisciplinar de Estudos das Representações do leitor brasileiro contemporâneo (LIRE) desde 2012, o qual é coordenado pela Profa. Dra. Luzmara Curcino Ferreira. Atualmente desenvolve a pesquisa de doutorado "D. Quixote no Brasil: um século de adaptações da obra de Cervantes para crianças e jovens" (FAPESP/ Processo 2018/04533-7)

Marta Neira RODRÍGUEZ, Universidad de Santiago de Compostela

Marta Neira Rodríguez desde fevereiro de 2014 até a atualidade é professora interina da Faculdade de Ciências da Educação da Universidade de Santiago de Compostela, possui doutorado em Filoloxía Galega e também atua na Escuela de Magisterio da Universidade de Vigo. Possui muitas publicações em galego e em espanhol entre elas os livros “La Guerra civil española en la narrativa infantil y juvenil (1936-2008)” publicado em 2012 e ”As mulleres na LIX galega do século XXI em 2018.  É membro atuando no grupo “Red Temática de Investigación“Las Literaturas Infantiles y Juveniles del Marco Ibérico e Iberoamericano”, coordenado pelo professora e pesquisadora Dr. Blanca-Ana Roig Rechou.

Referências

ANTUNES, B.; CECCANTINI, J. L. Os clássicos: entre a sacralização e a banalização. In: PEREIRA, R. F.; BENITES, S. A. L. (orgs.). À roda da leitura: língua e literatura no jornal Proleitura. São Paulo: Cultura Acadêmica, 2004. p. 73-89.

BAKHTIN, M. Os gêneros do discurso. In: ______. Estética da criação verbal. São Paulo: Martins Fontes, 2000, p. 277-326.

BOURDIEU, P. As Regras da Arte: Gênese e Estrutura do Campo Literário. Trad. Maria Lúcia Machado. São Paulo: Companhia das Letras, 1996.

CANDIDO, A. O direito à literatura. In: ______. Vários escritos. Rio de Janeiro: Ouro sobre Azul, 2011. Disponível em: <https://culturaemarxismo.files.wordpress.com/2011/10/candido-antonio-o-direitoc3a0-literatura-in-vc3a1rios-escritos.pdf>. Acesso em: 20 outubro de 2020.

CECCANTINI, J. L.; VALENTE, T. A bela loucura da imaginação: ou porque nunca abandonamos Dom Quixote à beira do caminho. In: VAZ, A. E. A.; MARTINS, C. M.; PIVA, M. L. (orgs.). Práticas de ensino de literatura: do cânone ao contemporâneo. Vinhedo: Editora Horizonte, 2017. p. 105-121.

CHARTIER, R. A ordem dos livros: leitores, autores e bibliotecas na Europa entre os séculos XIV e XVIII. Brasília: Editora da UnB, 1998.

COURTINE, Jean-Jacques. Decifrar o corpo: pensar com Foucault. Petrópolis: Vozes, 2013.

CURCINO, L. Princípios de não-homologia entre o verbo e a imagem: breve análise de uma estratégia de escrita da mídia. Estudos Linguísticos, São Paulo, n. 40, vol. 3. set-dez 2011. p. 1398-1407. Disponível em: <https://revistas.gel.org.br/estudos-linguisticos/article/view/1262>. Acesso em: 29 de dezembro de 2020.

______; OLIVEIRA, J. A loucura, entre o riso e a surpresa: representações do leitor infantil e juvenil em adaptações de Dom Quixote. Revelli, v. 12, 2020. Disponível em: < https://www.revista.ueg.br/index.php/revelli/article/view/9480>. Acesso em: 29 de dezembro de 2020.

COBELO, S. Historiografia das traduções do ‘Quixote’ publicadas no Brasil: provérbios de Sancho Pança. 2009. 253 f. Dissertação (Mestrado em Letras) – Departamento de Letras Modernas da Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas, Universidade de São Paulo, São Paulo, 2009. (Disponível em: https://teses.usp.br/teses/disponiveis/8/8145/tde-02022010-140637/en.php>. Acesso em: 17 de outubro de 2019.)

______. Os adaptadores do Quixote mais publicados no Brasil. Tradução em Revista 18, 2015. Disponível em: <https://www.maxwell.vrac.puc-rio.br/24848/24848.PDF> Acesso em: 29 de dezembro de 2020.

DOMÍNGUEZ PERÉZ, M. Os primeiros libros dos nenos. Liquids,1, julho-dez. 2007. Disponível em: https://www.uv.es/liquids/liquids1/articles/monicado07.pdf. Acesso em: 26 de agosto de 2020.

FISH, S. Is there a text in this class?. Revista Alfa, São Paulo, v. 36, p. 189-206, 1992. Disponível em: https://periodicos.fclar.unesp.br/alfa/article/view/3919/3600 . Acesso em: 23 de novembro de 2020.

FOUCAULT, M. A ordem do discurso. São Paulo: Edições Loyola, 1999.HUNT, P. Crítica, Teoria e Literatura Infantil. São Paulo: Cosacnaify, 2010.

LAJOLO, M.; ZILBERMAN, R. Literatura infantil brasileira: história e histórias. São Paulo: Ática, 1987.

______,______. Literatura infantil brasileira: uma nova outra história. Curitiba: PUCPRess, 2017. 152 p.

PÊCHEUX, M. Semântica e Discurso: uma crítica à afirmação do óbvio. Campinas: Editora da UNICAMP, 1995.

ROIG RECHOU, B. A literatura infantil e xuvenil galega no século XXI: Seis chaves para "entendela mellor”. Alicante: Biblioteca Virtual Miguel de Cervantes, 2011. Disponível em: www.cervantesvirtual.com/nd/ark:/59851/bmc7p9j8. Acesso em: 26 de agosto de 2020.

SOARES, M. A escolarização da literatura infantil e juvenil. In: EVANGELISTA, A. A. M.; BRANDÃO, H. M. B.; MACHADO, M. Z. V. (orgs.). Escolarização da leitura literária. Belo Horizonte: Autêntica, 2011. p. 17-48.

TURCHI, M. Z. Tendências atuais da literatura infantil brasileira. In: CONGRESSO INTERNACIONAL DA ABRALIC, XI., 2008, São Paulo, SP. Anais [...]. Disponível em: https://abralic.org.br/eventos/cong2008/AnaisOnline/simposios/pdf/047/MARIA_TURCHI.pdf. Acesso em: 28 jul. 2020.

USHIJIMA, N. Sobre los títulos del Quijote: La función del ingenio. In: COLOQUIO INTERNACAIONAL DE LA ASOCIACIÓN DE CERVANTISTAS, III, 1990. Alcalá de Henares, Espanha. Anais […]. Disponível em: https://cvc.cervantes.es/literatura/cervantistas/coloquios/cl_III/cl_III_30.pdf. Acesso em: 21 de setembro de 2020.

Downloads

Publicado

2021-06-09

Como Citar

CURCINO, L., OLIVEIRA, J. de, & RODRÍGUEZ, M. N. (2021). DOM QUIXOTE E SUA SAGA EDITORIAL: UMA ANÁLISE COMPARADA DE ADAPTAÇÕES GALEGAS E BRASILEIRAS PARA O PÚBLICO INFANTIL. Fragmentum, (57). https://doi.org/10.5902/2179219463727