QUESTÕES SOBRE UMA LEITURA PÓS-HUMANISTA DE “SEMIOLOGIA DA LÍNGUA”

Renata Trindade SEVERO, Nathalia Muller CAMOZZATO

Resumo


Desde sua publicação em 1969, “Semiologia da língua” tem sido objeto de variadas análises devido ao seu potencial de revolucionar os estudos do sentido. Analisa-se aqui uma leitura desse artigo de Émile Benveniste operada pela socióloga Vicky Kirby a fim de evidenciar os conceitos de signo e sistema de significação que estão em jogo tanto na perspectiva pós-humanista de Kirby quanto na perspectiva linguística que privilegia o sentido de Benveniste. Após explorar alguns pontos de divergência com a autora, propõe-se, ao final do texto, a inserção de um conceito estranho à semiologia benvenisteana como exercício de autorreflexão teórica.


Palavras-chave


Enunciação; Novos Materialismos; Feminismos; Signo; Sistemas de significação.

Texto completo:

PDF

Referências


AGAMBEN, Giorgio. Infância e história. Belo Horizonte: Editora da UFMG, 2012.

BARAD, Karen. Performatividade pós-humanista: para entender como a matéria chega à matéria. Trad. Thereza Rocha. Vazantes. v.1, n.1, [2003] 2017.

BENNETT, Jane. Vibrant Matter ‒ A Political Ecology of Things. Londres: Duke University Press, 2010.

BENVENISTE, Émile. Problemas de Linguística Geral I. Campinas, SP: Pontes, 2005.

BENVENISTE, Émile. Problèmes de Linguistique Générale II. Paris: Gallimard, 1974.

BENVENISTE, Émile. Problemas de Linguística Geral II. Campinas, SP: Pontes, [1969] 2006.

BENVENISTE, Émile. Dernières Leçons. Paris: Seuil/ Gallimard, 2012.

BENVENISTE, Émile. Últimas aulas no Collège de France 1968 e 1969. Tradução

de Daniel Costa da Silva [et al.]. São Paulo: Editora Unesp, 2014.

BUZATO, Marcelo El Khouri. O pós-humano é agora ‒ uma apresentação. Trabalhos em Linguística Aplicada. v. 52, n. 2. p. 478-495. maio/ago. 2019. Disponível em: https://periodicos.sbu.unicamp.br/ojs/index.php/tla/issue/view/1590. Acesso em: 16 jul. 2020

DERRIDA, Jacques. Le supplément de copule. La philosophie devant la linguistique . In: Langages, 6ᵉ année, n° 24, 1971. Épistémologie de la linguistique [Hommage à E. Benveniste] sous la direction de Julia Kristeva . pp. 14-39. Disponível em www.persee.fr/doc/lgge_0458-726x_1971_num_6_24_2604. Acesso em 11 set. 2020.

DERRIDA, Jacques. Gramatologia. 2. ed. São Paulo: Perspectiva, 2017 [1967].

DUFOUR, Dany-Robert. Os mistérios da trindade. Rio de Janeiro: Companhia de Freud, 2010.

FERRANDO, Francesca. Pós-Humanismo, Transumanismo, Anti-Humanismo, Meta-Humanismo e novos materialismo ‒ Diferenças e Relações. Rev. Filos. Aurora, v.31, n.54, p. 958-971, set./dez. 2019. Disponível em: https://periodicos.pucpr.br/index.php/ aurora/article/view/24707. Acesso em: 15 jul. 2020

FLORES, Valdir do Nascimento. O que há para ultrapassar na noção saussuriana de signo? De Saussure a Benveniste. Gragoatá, [S.l.], v. 22, n. 44, p. 1005-1026, dec. 2017a. Disponível em: https://periodicos.uff.br/gragoata/article/view/33546. Acesso em: 17 jul. 2020.

FLORES, Valdir do Nascimento. Saussure e Benveniste no Brasil: quatro aulas na École Normale Supérieure. São Paulo: Parábola, 2017b.

KIRBY, Vicki. Telling flesh: The Substance of the Corporeal. New York: Routledge, 1997.

KIRBY, Vicki. “Telling flesh ‒ the body as the scene of writing”. Figurationen. Vol 19, Issue 2, p. 64–62. Dec 2018. Disponível em: https://www.vr-elibrary.de/doi/abs/10.7788/figu.2018.19.2.64. Acesso em 08 jul. 2020.

METZ, Christian. Language and Cinema. Trans. Donna Jean Umiker-Sebeok. The Hague: Mouton Press, 1974. French Orig.: Langage et Cinéma. Paris: Larousse, 1971.

METZ, Christian. Film Language: A Semiotics of the Cinema. Trans. Michael Taylor. New York: Oxford UP, 1974. French Orig.: Essais sur la signification au cinéma. Paris: Klincksieck, 1968.

PENNYCOOK, Alastair. Posthumanist Applied Linguistics. London/New York: Routledge, 2018.

SAUSSURE, Ferdinand de. Curso de Linguística Geral. São Paulo: Cultrix, [1916] 2004.

SEVERO, Renata T.. Língua e corpo: enunciação e afetividade. In: 4º Simpósio Nacional Discurso, Identidade e Sociedade 2º Simpósio Internacional Discurso, Identidade e Sociedade, 2015, Fortaleza. Anais... . Fortaleza: Uece/ufc/unilab/fa7, 2015. v. 1, p. 420-432. Disponível em: https://eventos.uece.br/siseventos/processaEvento/evento/exibeDocumentosEvento.jsf?id =163 &contexto=sidis2015. Acesso em: 17 jul. 2020.

SEVERO, Renata T.. Semiologia da linguagem: a enunciação do sagrado e o corpo afrorreligioso. 2016. 156 f. Tese (Doutorado) - Curso de Estudos da Linguagem, Instituto de Letras, Universidade Federal do Rio Grande do Sul, Porto Alegre, 2016. Disponível em: https://lume.ufrgs.br/handle/10183/143595. Acesso em: 17 jul. 2020.

SEVERO, Renata T.. “O corpo como lugar do sentido: uma análise semiológica inspirada em Audre Lorde”. Revista Eletrônica de Divulgação Científica em Língua Portuguesa, Lingüística e Literatura Letra Magna. Ano 16, n. 26, 2º semestre de 2020. [www.letramagna.com]. No prelo.

WALKERDINE, Valerie. O raciocínio em tempos pós-modernos. Educação & Realidade, Porto Alegre, v. 2, n. 20, p. 207-226, jul-dez/ 1995. Semestral.

WOLLEN, Peter. Signs and Meaning in the Cinema. Bloomington: Indiana UP, 1972.




DOI: https://doi.org/10.5902/2179219448252

Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição - NãoComercial 4.0 Internacional.

ISSN Versão Impressa: 1519-9894
ISSN Versão Digital: 2179-2194
DOI 10.5902/21792194
Endereço Eletrônico: www.ufsm.br/fragmentum

Fragmentum possui caráter público e gratuito, dessa forma, NÃO são cobrados custos ou taxas para submissão, processamento, publicação e leitura dos artigos.

Todo o conteúdo do periódico Fragmentum está licenciado com uma Licença Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada com uma Licença Creative Commons Atribuição-NãoComercial 4.0 Internacional.

REDES SOCIAIS
Página da Revista no Facebook