PARÓDIA E DESLOCAMENTO DE SENTIDOS: A TROPA DE NHOQUE ENTRA EM CENA

Flavio da Rocha Benayon, Romulo Santana Osthues, Suzy Lagazzi

Resumo


A partir da análise de vídeos que documentam atuações das Tropas de Nhoque, procuramos compreender o funcionamento da paródia – em particular, frente aos Aparelhos Repressivos de Estado – como mecanismo que possibilita o deslocamento de sentidos. Os grupos denominados Tropas de Nhoque compõem performances cênicas nas quais são utilizados narizes de palhaço, escudos de papelão (com a inscrição NHOQUE) e armas de brinquedo, entre outros artefatos, satirizando as violentas operações dos batalhões de choque das polícias militares em confrontos com manifestantes. Os episódios analisados ocorreram nas ruas do Rio de Janeiro e de Porto Alegre, em julho e setembro de 2013.

Palavras-chave


Protestos; Paródia; Performance tática; Palhaço; Tropa de Nhoque

Texto completo:

PDF

Referências


BOGAD, Lawrence. Tactical Performance: The Theory and Practice of Serious Play. New York/London: Routledge, 2016.

______. Playing in the Key of Clown – Reflections on the Clandestine Insurgent Rebel Clown Army. Fifth Estate, n. 397, 2017. Disponível em: . Acesso em: 30 jun. 2019.

BOLOGNESI, Mario F. Palhaços e outros cômicos: do sagrado ao profano. In: BRAGA, Bya; TONEZZI, José. (Orgs). O bufão e suas artes: artesania, disfunção e soberania. Jundiaí: Paco, 2017. p. 88-100.

BORDIN, Vanessa. A loucura reveladora dos bufões na Idade Média: Triboulet e Brusquet, bobos ilustres. In: BRAGA, Bya; TONEZZI, José. (Orgs). O bufão e suas artes: artesania, disfunção e soberania. Jundiaí: Paco, 2017. p. 162-183.

FIGUEIRA, Filipo P. Argumentos para uma perspectiva discursiva da paródia a partir da teoria da semântica global. Revista do Seta. XXIII Seminário de Teses em Andamento – IEL/Unicamp (ISSN 1981-9153), Campinas, V. 08, n. 01, jul. 2018. p. 101-112. Disponível em: Acesso em: 30 jun. 2019.

LAGAZZI, Suzy. O recorte significante na memória. In: INDURSKY, Freda; LEANDRO-FERREIRA, Maria Cristina; MITTMAM, Solange (Orgs.). O discurso na contemporaneidade: materialidades e fronteiras. São Carlos: Claraluz, 2009, v. 1. p. 67-78.

______. Paráfrases da imagem e cenas prototípicas: em torno da memória e do equívoco. In: FLORES, Giovanna; NECKEL, Nádia; GALLO, Solange (Orgs.). Análise de discurso em rede: cultura e mídia. Campinas: Pontes, 2015. p. 177-189.

______. Trajetos do Sujeito na Composição Fílmica. In: FLORES, Giovanna; GALLO, Solange; LAGAZZI, Suzy; NECKEL, Nádia; PFEIFFER, Claudia; ZOPPI-FONTANA, Mónica (Orgs.). Análise de discurso em rede: cultura e mídia. 1ª ed. Campinas: Pontes, 2017, v. 3. p. 23-39.

LECOQ, Jacques. O corpo poético – uma pedagogia da criação teatral. São Paulo: Editora Senac São Paulo; Edições Sesc SP, 2010.

MEMORIAL DA DEMOCRACIA. 28 pessoas morrem na sexta-feira sangrenta. Disponível em: . Acesso em: 30 jun. 2019.

ORLANDI, Eni P. Interpretação: autoria, leitura e efeitos do trabalho simbólico. Campinas: Pontes, 1996.

PÊCHEUX, Michel. O discurso: estrutura ou acontecimento. Campinas: Pontes, 1990.

______. Papel da Memória. In: ACHARD, P. et al, Papel da Memória. Campinas: Pontes, 1999.

PROPP, V. Comicidade e riso. São Paulo: Editora Ática, 1992. Trad: Aurora Bernardini e Homero de Andrade.

REIS, Demian M. Caçadores de risos: o maravilhoso mundo da palhaçaria. Salvador: EDUFBA, 2013.

SÁNCHEZ, José A. Prácticas de lo real en la escena contemporánea. Cidade do México: Paso de Gato, 2012.

SILVA, Camila F. da. Inovações nos repertórios de contestação: o confronto em torno do transporte público em Porto Alegre. [Dissertação]. Porto Alegre: Universidade Federal do Rio Grande do Sul, 2016. 184 p. Disponível em: . Acesso em: 30 jun. 2019.

SILVA, Nelson. CD exalta violência de tropa de elite do Rio. Folha de S.Paulo, São Paulo, Cotidiano, versão on-line, 05 de agosto de 2006. Disponível em: . Acesso em: 30 jun. 2019.




DOI: https://doi.org/10.5902/2179219438830

Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição - NãoComercial 4.0 Internacional.

ISSN Versão Impressa: 1519-9894
ISSN Versão Digital: 2179-2194
DOI 10.5902/21792194
Endereço Eletrônico: www.ufsm.br/fragmentum

Fragmentum possui caráter público e gratuito, dessa forma, NÃO são cobrados custos ou taxas para submissão, processamento, publicação e leitura dos artigos.

Todo o conteúdo do periódico Fragmentum está licenciado com uma Licença Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada com uma Licença Creative Commons Atribuição-NãoComercial 4.0 Internacional.

REDES SOCIAIS
Página da Revista no Facebook