DIFERENCIAIS SALARIAIS: EVIDÊNCIAS PARA OS EMIGRANTES DO AGRESTE PERNAMBUCANO

Marina Monteiro, Roberta Moraes Rocha

Resumo


A reorganização espacial das atividades produtivas, sobretudo no interior dos estados brasileiros, faz crescer continuamente os questionamentos sobre como os fluxos migratórios podem acentuar ou atenuar as disparidades de renda e promover uma melhora no padrão de vida do trabalhador. Em vista de tal fato, o presente estudo objetiva analisar a relação entre duas variáveis – migração e diferenciais salariais – considerando aqueles trabalhadores que emigraram do Agreste de Pernambuco, mesorregião que constitui atualmente um importante APL têxtil e de confecções do Norte/Nordeste. Para tanto, foram estimadas equações mincerianas, por MQO e Efeitos Fixos, a partir da base de dados longitudinais da RAISMIGRA-Mte para o intervalo de1995 a2008. Os resultados apontaram que os trabalhadores que emigraram do Agreste Pernambucano obtiveram ganhos salariais, contudo tais ganhos se reduzem quando se incluem no modelo as características observáveis e não observáveis do trabalhador.


Palavras-chave


migração, diferenciais salariais, desenvolvimento regional

Texto completo:

PDF


DOI: http://dx.doi.org/10.5902/1414650925546