Indústria, desenvolvimento econômico e desindustrialização: sistematizando o debate no Brasil

Wallace Marcelino Pereira, Silvio Antonio Ferraz Cario

Resumo


A indústria de transformação é considerada o motor do crescimento, com reflexo sobre o desenvolvimento econômico dos países. Entretanto, desde meados da década de 80 o Brasil vem apresentando perda de participação da indústria no PIB, gerando intenso debate acadêmico sobre a possível existência de desindustrialização. Diante deste quadro, o objetivo deste artigo é sistematizar o tratamento analítico sobre a desindustrialização no Brasil, a partir da visão das principais escolas de pensamento existentes no país. O levantamento da literatura apontou a existência de quatro escolas de pensamento: UNICAMP, FGV-SP, PUC-RJ e UFRGS. O estudo aponta a existência de diferentes abordagens e estão presentes: fundamentos estruturalista da CEPAL, macroeconomia estruturalista do desenvolvimento, ortodoxia econômica e histórico-institucionalista-schumpeteriana. A distinção de análise sobre a desindustrialização contempla, por seu turno, propostas diferenciadas de solução, mostrando, assim, leque de opções rico em termos de política de econômica.


Palavras-chave


Desindustrialização; Desenvolvimento econômico; Indústria no Brasil

Texto completo:

PDF

Referências


AREND, M. 50 anos de industrialização do Brasil (1955-2005): uma análise evolucionária. 2009. 251 f. Tese (Doutorado em Economia) – Universidade Federal do Rio Grande do Sul, Porto Alegre, 2009.

AREND, Marcelo. A industrialização do Brasil ante a nova divisão internacional do trabalho. Texto para Discussão, Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (IPEA), 2015. Disponível em . Acesso em: 20 agosto 2015.

AREND, M.; FONSECA, P. C. D. Brasil (1955-2005): 25 anos de catching up, 25 anos de falling behind. Revista de Economia Política, v. 32, n. 1, p. 33-54, 2012. Disponível em: . Acesso em: 23 março 2015.

BASTOS, P. P. Z. A economia política do novo-desenvolvimentismo e do social desenvolvimentismo. Economia e Sociedade, v. 21, n. especial, p. 779-810, 2012. Disponível em: . Acesso em: 15 agosto 2015.

BACHA, E. L.; DE BOLLE, M. B. O futuro da indústria no Brasil: desindustrialização em debate. Rio de Janeiro: Civilização Brasileira, 2013.

BACHA, E. L.; BONELLI, R. Uma interpretação das causas da desaceleração econômica do Brasil. Revista de economia política, v. 25, n. 3, p. 163-189, 2005. Disponível em: < http://www.scielo.br/pdf/rep/v25n3/a01v25n3.pdf>. Acesso em:15 agosto 2015.

BARROS, O.; PEREIRA, R. R. Desmistificando a tese de desindustrialização: reestruturação da indústria brasileira em uma época de transformações globais. In:

BARROS, O.; GIAMBIAGI, F. (Org.). Brasil globalizado: o Brasil em um mundo surpreendente. Rio de Janeiro: Elsevier, 2008, p. 299-330.

BERRIEL, T.; BONOMO, M.; CARVALHO, C. Diversificação da economia e desindustrialização. In: BACHA, E.; BALLE, M. B. (orgs.) O futuro da indústria no Brasil: desindustrialização em debate. Rio de Janeiro: Civilização Brasileira, 2013, p.315-330.

BIELSCHOWSKY, R. Anotações sobre a estratégia de crescimento pelo mercado interno de consumo popular e o programa do PT para 2003-2006. São Paulo: Instituto da Cidadania, 2001.

BONELLI, R.; PINHEIRO, A. C. Competitividade e desempenho industrial: mais que só câmbio. In: XXIV FÓRUM NACIONAL RUMO AO BRASIL DESENVOLVIDO, 2012, Rio de Janeiro. Estudos e Pesquisas... Rio de Janeiro: INAE, 2012. Disponível em: . Acesso em:15 agosto 2015.

BONELLI, R.; PESSÔA, S. A. Desindustrialização no Brasil: um resumo da evidência. Rio de Janeiro: Instituto Brasileiro de Economia / FGV (Texto para discussão n. 7), 2010. Disponível em:. Acesso em:10 abril 2015.

BONELLI, R.; PESSOA, S. A.; MATOS, S. Desindustrialização no Brasil: fatos e interpretação. In: BACHA, E.; BALLE, M. B. (orgs.) O futuro da indústria no Brasil: desindustrialização em debate. Rio de Janeiro: Civilização Brasileira, 2013, p. 201-225.

BRESSER-PEREIRA, L. C. Maldição dos recursos naturais. Folha de S. Paulo, São Paulo, 06 jun. 2005. Folha Mercado, Opinião Econômica. Disponível em: . Acesso em: 05 junho 2015.

BRESSER-PEREIRA, L. C. Uma escola de pensamento keynesiano-estruturalista no Brasil? Revista de Economia Política, v. 31, nº. 2, p. 305-314, 2011. Disponível em: < http://www.scielo.br/pdf/rep/v31n2/08.pdf>. Acesso em: 07 março 2015.

BRESSER-PEREIRA, L. C. The value of the exchange rate and the Dutch disease. Revista de Economia Política, v. 33, n. 3, p. 371-387, 2013. Disponível em: . Acesso em: 07 março 2015.

BRESSER-PEREIRA, L. C.; GALA, P. Crítica do crescimento com poupança externa. São Paulo: Ede Economia de São Paulo / FGV, (Texto para Discussão n. 145),

Disponível em: . Acesso em: 07 março 2015.

BRESSER-PEREIRA, L. C.; GALA, P. Macroeconomia estruturalista do desenvolvimento. Revista de Economia Política, v. 30, n. 4, p. 663-686, 2010. Disponível em: < http://www.scielo.br/pdf/rep/v30n4/v30n4a07.pdf >. Acesso em: 09 março 2015.

BRESSER-PEREIRA, L. C.; MARCONI, N. Existe Doença Holandesa no Brasil? In: IV FÓRUM DE ECONOMIA DA FUNDAÇÃO GETÚLIO VARGAS, 2008, São Paulo.

Trabalho Apresentado... São Paulo: FGV, 2008. Disponível em: . Acesso em: 09 março 2015.

BRESSER-PEREIRA, L. C.; MARCONI, N. Doença holandesa e desindustrialização. Valor Econômico, São Paulo, 25 nov. 2009. Caderno Mercado.

Disponível em:. Acesso em: 10 março 2015.

BRESSER-PEREIRA, L. C.; MARCONI, N.; OREIRO, J. L. A doença holandesa. Globalização e competição: por que alguns países emergentes têm sucesso e outros não. Rio de Janeiro: Elsevier, p. 141-171, 2009.

BRESSER-PEREIRA, L. C.; MARCONI, N.; OREIRO, J. L. A theoretical framework for a structuralist development macroeconomics. São Paulo: Escola de Economia de São Paulo / FGV (texto para discussão n. 317), 2012. Disponível em . Acesso em: 03 maio 2015.

BRESSER-PEREIRA, L. C.; NAKANO, Y. Crescimento econômico com poupança externa? Revista de economia política, v. 23, n. 2, p. 3-27, 2003. Disponível em: . Acesso em: 06 maio 2015.

CAMPOLINA DINIZ, C.; CAMPOLINA, B. A região metropolitana de São Paulo: reestruturação, re-espacialização e novas funções. Revista EURE, v. 33, n. 98, p. 27-43, 2007. Disponível em: . Acesso em: 03 novembro 2015.

CANO, W. Industrialização, desindustrialização e políticas de desenvolvimento. Revista Faac, v. 1, n. 2, p. 155-164, 2011. Disponível em: . Acesso em: 10 setembro 2015.

CANO, W. A desindustrialização no Brasil. Campinas: Instituto de Economia/Unicamp, (Texto para discussão n. 200), 2012.

CANO, W. Industrialização e (sub) desenvolvimento. Campinas: Instituto de Economia/Unicamp, (Texto para discussão n. 244), 2014. Disponível em: . Acesso em: 28 junho 2015.

CARNEIRO, R. Desenvolvimento em crise: a economia brasileira no último quarto do século XX. São Paulo: Unesp, 2002.

CARNEIRO, R. M. Dinâmica de crescimento da economia brasileira: uma visão de longo prazo. Campinas: Instituto de Economia/Unicamp (Texto para Discussão, n. 130), 2007.

CARNEIRO, R. M. Impasses do desenvolvimento brasileiro: a questão produtiva. Campinas: Instituto de Economia/Unicamp (Textos para Discussão n. 153), 2008.

CARNEIRO, R. M. Velhos e novos desenvolvimentismos. Economia e Sociedade, v. 21, nº. esp., p. 749-778, 2012. Disponível em: . Acesso em: 09 julho 2015.

CARNEIRO, R. M. Crise, ajustamento e estagnação, a economia brasileira do período de 1974-89. Economia e Sociedade, v. 2, nº. 1, p. 145-169, 2016. Disponível em: . Acesso em: 10 julho 2015.

COMIN, A. A desindustrialização truncada: perspectivas do desenvolvimento econômico brasileiro. 2009. 257 f. Tese (Doutorado em Ciências Econômicas) - Instituto de Economia, Unicamp, Campinas, 2009.

COUTINHO, L. A especialização regressiva: um balanço do desempenho industrial pósestabilização. In: VELLOSO, J. P. R (coord.) et. al. Brasil: desafios de um país em

transformação. Rio de Janeiro: José Olympio, 1997, p. 84-115.

CUNHA, A. M.; LÉLIS, M. T. C.; BICHARA, J. S. Brazil as a mirror of China: new trends after the global financial crisis. Revista de Economia Contemporânea, v. 16, nº. 2, p. 208-236, 2012. Disponível em: . Acesso em: 20 maio 2015.

CUNHA, A. M.; LÉLIS, M. T. C.; FLIGENSPAN, F. B. Desindustrialização e comércio exterior: evidências recentes para o Brasil. Revista de Economia Política, v. 33, n°. 3, p. 463-485, 2013. Disponível em: . Acesso em: 02 julho 2015.

DA ROCHA LOURES, R. C.; OREIRO, J. L.; PASSOS, C. A. K. Desindustrialização: a crônica da servidão consentida. Economia & Tecnologia, 2006.

FEIJÓ, C. A.; CARVALHO, P. G. M; ALMEIDA, J. S. G. Ocorreu uma desindustrialização no Brasil. São Paulo: IEDI, 2005. Disponível em:. Acesso

em: 15 março 2015.

FEIJÓ, C. A.; OLIVEIRA, D. Mudanças estruturais na economia brasileira e seus impactos sobre a evolução da produtividade na indústria de transformação pós- 1990. In:

AZEVEDO, A. F.; FEIJÓ, C. A.; CORONEL, D. A. (orgs.). A desindustrialização brasileira. São Leopoldo: Editora Unisinos, 2013, p. 221-248.

FERRAZ, J. C.; KUPFER, D.; HAGUENAUER, L. Made in Brazil: desafios competitivos para a indústria. Rio de janeiro: Campus, 1995.

FISHLOWFISHLOW, A. Origens e consequências da substituição de importações: 40 anos depois. In: BACHA, E.; BALLE, M. B. (orgs.) O futuro da indústria no Brasil: desindustrialização em debate. Rio de Janeiro: Civilização Brasileira, 2013, p. 23-44.

FURTADO, C. Desenvolvimento e subdesenvolvimento. Rio de Janeiro: Fundo de Cultura, 1961.

KALDOR, N. Causes of the slow rate of economic growth of the United Kingdom. London: Cambridge University Press, 1966.

LAMONICA, M. T.; FEIJÓ, C. A. Mudança da estrutura industrial e desenvolvimento econômico: as lições de Kaldor para a indústria brasileira. Rio de Janeiro: Universidade Federal Fluminense. (Texto para discussão n. 265), 2010. Disponível em: . Acesso em: 10 julho 2015.

LAPLANE, M.; SARTI, F. Prometeu Acorrentado: o Brasil na indústria mundial no início do século XXI. Política Econômica em Foco, n. 7, nov.2005/abr.2006, p. 271-291,

Disponível em: . Acesso em: 20 maio 2015.

LAZZARINI, S. G.; JANK, M. S.; INOUE, C. F. K. Commodities no Brasil: maldição ou bênção. In: BACHA, E.; BALLE, M. B. (orgs.) O futuro da indústria no Brasil: desindustrialização em debate. Rio de Janeiro: Civilização Brasileira, 2013, p. 201-225.

MALAN, P. Prefácio. In: BACHA, E.; BALLE, M. B. (orgs.) O futuro da indústria no Brasil: desindustrialização em debate. Rio de Janeiro: Civilização Brasileira, 2013, p. 7-11.

DE MELLO, E. B. A nova política externa independente: o Governo Lula e a inserção externa brasileira no século XXI. 2009. 253 p. (Tese de Doutorado) – Programa de PósGraduação em Economia, Universidade Federal do Rio Grande do Sul. 2009.

NASSIF, A.; FEIJÓ, C.; ARAÚJO, E. O debate sobre a desindustrialização precoce no Brasil: estamos avançando ou regredindo em relação aos países desenvolvidos. In:

AZEVEDO, A. F. Z.; FEIJÓ, C.; CORONEL, D. A. (coords.) A desindustrialização brasileira. São Leopoldo: Editora Unisinos, 2013, p. 25-70.

OOREIRO, J. L. C. Novo-desenvolvimentismo, crescimento econômico e regimes de política macroeconômica. Estudos Avançados/USP, v. 26, n. 75, p. 29-40, 2012. Disponível em: . Acesso em:11 julho 2015.

OREIRO, J. L. C.; FEIJÓ, C. A. Desindustrialização: conceituação, causas, efeitos e o caso brasileiro. Revista de economia política, v. 30, n. 2, p. 219-232, 2010. Disponível em:. Acesso em: 13 maio 2015.

OREIRO, J. L. C. Novo-desenvolvimentismo, crescimento econômico e regimes de política macroeconômica. Estudos avançados, v. 26, n. 75, p. 29-40, 2012. Disponível em: . Acesso em:16 março 2015

OREIRO, J. L. C. Muito Além do Tripé: proposta de um novo regime de política macroeconômica para dobrar a renda per-capita em 20 anos. In: SEMINÁRIO INDÚSTRIA E DESENVOLVIMENTO PRODUTIVO DO BRASIL, 2014, São Paulo. Artigo... São Paulo: Escola de Economia de São Paulo/FGV, 2014. Disponível em: . Acesso em: 25 abril 2015.

OREIRO, J. L. C. Desenvolvimentismo sem consistência. Valor Econômico, São Paulo,18 jun. 2013. Caderno Opinião. Disponível em: . Acesso em:16 seembro 2015.

PALMA, J. G. Quatro fontes de “desindustrialização” e um novo conceito de “doença holandesa”. In: CONFERÊNCIA DE INDUSTRIALIZAÇÃO,

DESINDUSTRIALIZAÇÃO E DESENVOLVIMENTO, 2005, São Paulo. Trabalho Apresentado... São Paulo: FIESP / IEDI, 2005. Disponível em: . Acesso em: 01 julho 2015.

PALMA, J. G. “De-industrialization”, “premature” de-industrialization and the Dutch Disease. In: DURLAUF, S. N.; BLUME, L. E. (org.) The new palgrave dictionary of economics. 2º ed., United Kingdom: Palgrave Macmillan, 2008.

PASTORE, A.; GAZZANO, M.; PINOTTI. Por que a produção industrial não cresce desde 2010. In: BACHA, E.; BALLE, M. B. (orgs.) O futuro da indústria no Brasil: desindustrialização em debate. Rio de Janeiro: Civilização Brasileira, 2013, p.121- 156.

PÉREZ, C. Revoluciones tecnológicas y capital financiero: la dinámica de las grandes burbujas financieras y las épocas de bonanza. México: Siglo XXI, 2004.

PESSOTI, B. C; PESSOTI, G. C. A indissociável relação entre indústria, desenvolvimento econômico e políticas indústrias no Brasil. Revista de Desenvolvimento Econômico, v. 11, n. 19, p. 27-44, 2009. Disponível em: . Acesso em: 25 abril 2015.

PRATES, D. M. A inserção externa da economia brasileira no governo Lula. Política Econômica em Foco, n. 7, seção IV, nov.2005/abr.2006. Disponível em: . Acesso em: 27 maio 2015.

PUGA, F. P. Aumento das importações não gerou desindustrialização. Brasília: BNDES / Visão do Desenvolvimento, n. 26, 2007. Disponível em: . Acesso em: 27 março 2015.

ROWTHORN, R.; COUTTS, K. Commentary: De-industrialisation and the balance of payments in advanced economies. Cambridge Journal of Economics. v. 28, n. 5, p. 767-790, 2004.

RROWTHORN, R.; RAMASWAMY, R. Deindustrialization: causes and implications. International Monetary Fund, 1997, p. 7-22. Disponível em:. Acesso em: 02 junho 2015.

ROWTHORN, R.; RAMASWAMY, R. Growth, trade, and deindustrialization. International Monetary Fund, 1999, p. 18-34. Disponível em: . Acesso em: 12 julho 2015.

SAMPAIO, D. P, Desindustrialização e estruturas produtivas regionais no Brasil. 2015.256 f. (Tese de Doutorado) – Programa de Pós-Graduação em Economia, Instituto de Economia, Universidade Estadual de Campinas, Campinas, 2015.

SARTI, F.; HIRATUKA, C. Desenvolvimento industrial no Brasil: oportunidades e desafios futuros. Campinas: Instituto de Economia/Unicamp, (Texto para discussão n.187), 2011.

SCHAPIRO, M. G. Ativismo estatal e industrialismo defensivo: instrumentos e capacidades na política industrial brasileira. Rio de janeiro: Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (Texto para discussão), 2013. Disponível em . Acesso em: 16 abril 2015.

SILVA, H. C. O processo de desindustrialização: Uma avaliação sob a perspectiva da economia brasileira (1990–2010). 2012. 155 p. Dissertação (Mestrado em Economia), Programa de Pós-Graduação em Economia, Universidade Federal de Santa Catarina, Florianópolis. 2012.

SOARES, C.; TEIXEIRA, A; OREIRO, J. L. Uma Análise Empírica dos Determinantes da Desindustrialização no Caso Brasileiro. In: AZEVEDO, A. F.; FEIJÓ, C. A.;

CORONEL, D. A. (orgs.). A desindustrialização brasileira. São Leopoldo: Ed.Unisinos, 2013, p. 105-145.

SONAGLIO, C. M. Evidências de desindustrialização no Brasil: uma análise com dados em painel. In: AZEVEDO, A. F.; FEIJÓ, C. A.; CORONEL, D. A. (orgs.). A desindustrialização Brasileira. São Leopoldo: Editora Unisinos, 2013, p. 71-104.

SOUZA, N. J. Desenvolvimento econômico. 4°. ed. São Paulo: Editora Atlas, 1999, p.242-243. 1999.

THIRWALL, A. P. The nature of economic growth: an alternative framework for understanding the performance of nations. Northampton: Edward Elgar. 2002.

TTREGENNA, F. Characterising deindustrialisation: an analysis of changes in manufacturing employment and output internationally. Cambridge Journal of Economics, v. 33, n. 3, p. 433-466, 2009.

UNCTAD. World Development Report. Genebra, 2003. Disponível em: . Acesso em: 11 agosto 2015.

UNIDO. Industrial Development Report. Vienna: UNIDO, 2013. Disponível em:. Acesso em: 11 agosto 2015.




DOI: http://dx.doi.org/10.5902/1414650924690

Licença Creative Commons
Este obra está licenciado com uma Licença Creative Commons Atribuição-NãoComercial-CompartilhaIgual 4.0 Internacional.

Creative Commons License
This work is licensed under a Creative Commons Attribution-NonCommercial-ShareAlike 4.0 International License.