Desenvolvimento do Pensamento Computacional através da Criação de Aplicativos

Karine Cunha Costa Mariquito, Guilherme Quirino Andrade, Túlio Santos Resende, Érica Gomes Fernandes, Raphael Fidélis Guerson, Gabriella Costa Dalpra, Lindolpho Oliveira de Araújo Júnior

Resumo


Este trabalho apresenta os processos para a construção do curso de desenvolvimento de aplicativos para dispositivos móveis, utilizando o MIT App Inventor. O objetivo do curso foi introduzir o pensamento computacional nos alunos envolvidos de forma criativa, utilizando o próprio celular para o desenvolvimento de aplicações, estimulando-os, com os conteúdos abordados, a resolver problemas de seu cotidiano. Este artigo apresenta toda a fundamentação teórica utilizada para a construção, metodologia de ensino e avaliação aplicados no curso, o trabalho  apresenta também os desafios enfrentados no ensino devido à pandemia de Covid-19 e, por fim, discute os resultados obtidos pelo curso, através do formulário de autoavaliação aplicado aos estudantes.


Palavras-chave


MIT App Inventor; Pensamento Computacional;

Texto completo:

PDF

Referências


Barcelos, Thiago Schumacher e Silveira, I. F. (2012). Pensamento computacional e edu-cação matemática: Relações para o ensino de computação na educação básica. InXX Workshop sobre Educação em Computação, Curitiba. Anais do XXXII CSBC, vo-lume 2, page 23.

BRASSCOM (2012). Índice brasscom de convergência digital.https://brasscom.org.br/wp-content/uploads/2017/08/ibcd_2012.pdf, Acesso em27/09/2020.

Finizola, A. B., Raposo, E. H. S., Pereira, M. B. P. N., Gomes, W. S., de Araújo, A. L.S. O., and Souza, F. V. C. (2014). O ensino de programação para dispositivos móveisutilizando o mit-app inventor com alunos do ensino médio. InAnais do Workshop deInformática na Escola, volume 20, page 337.

França, Rozelma e Tedesco, P. (2015). Desafios e oportunidades ao ensino do pensamentocomputacional na educação básica no brasil. InAnais dos Workshops do CongressoBrasileiro de Informática na Educação, volume 4, page 1464.

Freire, P. (2002).Peregrinações: os Garros. letos em Ijuí.

Gomes, T. C. and de Melo, J. C. (2013). App inventor for android: Uma nova possibili-dade para o ensino de lógica de programação. InAnais dos Workshops do CongressoBrasileiro de Informática na Educação, volume 2.

Pinto, S. C. C. d. S. and Mattos, M. S. (2019). A programaçao de jogos como um instru-mento motivador da aprendizagem.Revista Espaço Pedagógico, 26(2):370–394.

SBC (2018).Diretrizes para ensino de Computação na Educação Básica. Disponívelem:https://www.sbc.org.br/educacao/diretrizes-para-ensino-de-computacao-na-educacao-basica.Acesso em: 28 de setembro de 2020.

Silvano, J. (2018).MAKERFÓLIO: Uma proposta para registros de experiências makerpara acompanhamento avaliativo.Universidade do Vale do Itajaí (UNIVALI).

Wing, J. M. (2006). Computational thinking.Communications of the ACM, 49(3):33–35.

Wing, J. M. (2011). Research notebook: Computational thinking—what and why.Thelink magazine, 6.




DOI: https://doi.org/10.5902/2448190462022

Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição - Não comercial - Compartilhar igual 4.0 Internacional.