A midiatização do ativismo e os elementos constitutivos e de análise do conceito de coletivo midiático

Maria Clara Jobst de Aquino Bittencourt, Christian Gonzatti, Tainá Nunes Rios

Resumo


O texto apresenta o conceito de coletivo midiático, central no projeto de pesquisa que identifica transformações, elementos e continuidades do jornalismo digital. Os passos relatados no artigo mapeiam grupos e esboçam critérios iniciais de análise das fases posteriores da pesquisa, como um exercício de reconhecimento do campo.
Palavras-chave: jornalismo digital; midiatização do ativismo; coletivos midiáticos.

 

La mediatización del activismo y los elementos constitutivos y de análisis del concepto de colectivo de meio

Resumen: El texto presenta el concepto de colectivo mediático, central en el proyecto de investigación que identifica transformaciones, elementos y continuidades del periodismo digital. Los pasos relatados en el artículo asignan grupos y esbozan criterios iniciales de análisis de las fases posteriores de la investigación, como un ejercicio de reconocimiento del campo.
Palabras clave: periodismo digital; mediatización del activismo; colectivos de medios

 

The mediatization of activism and the constitutive elements and analysis of the concept of media collective

Abstract: This text presents the concept of media collective, central to the research project that identifies transformations, elements and continuities of digital journalism. The steps reported in the paper map groups and sketch initial criteria for analysis of the later phases of the research, as an exercise of field recognition.
Keywords: digital journalism; activism mediatization; collective media.


Texto completo:

PDF

Referências


ANTOUN, H.; MALINI, F. (2010) Ontologia da liberdade na rede: a guerra das narrativas na internet e a luta social na democracia. Revista FAMECOS (Impresso), v. 17, p. 286-294.

AQUINO BITTENCOURT, M.C. (2012) Convergência entre televisão e web: proposta de categorização analítica. Tese de Doutorado. Programa de Pós-Graduação em Comunicação e Informação. Universidade Federal do Rio Grande do Sul. Disponível: http://goo.gl/bbzhJ6 Acesso: 13/01/16.

AQUINO BITTENCOURT, M.C. ARQUILLA, J.; RONFELDT, D. (2001) Networks and Netwars: The Future of Terror, Crime, and Militancy. Rand Corporation. Disponível: http://goo.gl/I6RGil Acesso: 19/01/16

BELTRÃO, L. (1972). Sociedade de massa: comunicação e literatura. Editora Vozes: Petrópolis.

BRADSHAW, P. (2008) News Distribution in a new media world. Online Journalism Blogs, 2 jan. Disponível: http://goo.gl/9DL5xD. Acesso: 19/01/16

BRAGA, J. L. (2012) Uma teoria tentativa. Revista da Rev.Cad.Comun. Santa Maria, v.22, n.1, art 3, p.77 de 78, jan/abr.2018 cadernos de comunicação UNIVERSIDADE FEDERAL DE SANTA MARIA

HJARVARD, S. (2014). A midiatização da cultura e da sociedade. São Leopoldo : Editora Unisinos.

JENKINS, H. (2006). Convergence Culture: Where Old and New Media Collide. NYU: Press.

JENKINS, H.; FORD, S.; GREEN, J. (2013) Spreadable media: creating value and meaning in a networked culture. New York University.

MALINI, F.; ANTOUN, H. (2013) @internet e #rua: ciberativismo e mobilização nas redes sociais. Editora Sulina: Porto Alegre.

PARISER, Eli. O Filtro Invisível: o que a internet está escondendo de você. Rio de Janeiro: Zahar, 2012.

RECUERO, R. (2009) Redes sociais na Internet, difusão de informação e jornalismo: elementos para discussão. In: SOSTER, D.A.;SILVA, F.F. (Orgs.). Metamorfoses jorna- lísticas 2: a reconfiguração da forma. Santa Cruz do Sul: EDUNISC, p. 37 55.Disponível: http://goo.gl/XGqHWp Acesso: 13/01/16

SCHERER-WARREN, I. (2006). Das mobilizações às redes de movimentos sociais. In: Sociedade e Estado. Brasília. V. 21. N. 1. P. 190-130. Jan/abr. Disponível: http://goo.gl/ XTL5bj Acesso: 13/01/16

TORET, J. (2012) Una mirada tecnopolítica sobre los primeros dias del #15M. In: Comunicación y Sociedad Civil. 2012. http://civilsc.net/node/14 Acesso: 13/01/16

TUFTE, T.(2013). O renascimento da Comunicação para a transformação social – Redefinindo a disciplina e a prática depois da ‘Primavera Árabe’. In: Intercom – RBCC. São Paulo, v.36, n.2, p. 61-90, jul./dez.

ZAGO, G. (2009). Informações jornalísticas no Twitter: redes sociais e filtros de infor- mações. In: III Simpósio da ABCiber, São Paulo. Anais.

ZAGO, G. ( 2010). Circulação jornalística no Twitter: apontamentos para discussão. VIII Encontro Nacional de Pesquisadores em Jornalismo. Universidade Federal do Maranhão, São Luís.




DOI: http://dx.doi.org/10.5902/2316882X26515



Universidade Federal de Santa Maria - UFSM

Programa de Pós-Graduação em Comunicação

Departamento de Ciências da Comunicação

Cadernos de Comunicação

Av. Roraima, 1000 - Camobi  - Santa Maria - RS

Prédio 21, sala 5129 - Laboratório PUBLICA.

E-mail: cadernos@ufsm.br

ISSN Impresso: 1677-9061

ISSN Eletrônico: 2316-882X

Classificação Qualis-CAPES 2013-2016:

B4 - Comunicação e Informação

B2 - Linguística e Literatura

B2 - Educação

B2 - Planejamento Urbano e Regional / Demografia

B4 - Adminitração Pública de Empresas, Ciências Contáveis e Turismo

B4 - Direito

B4 - Sociologia

B4 - Ensino

B4 - Interdisciplinar

B5 - Geografia

Indexados em: Redib; Latindex; DOAJ; Sumários.org; Portcom;

e Diadorim;

DOI: HTTP://dx.doi.org/10.5902/

 

Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada com uma Licença Creative Commons Atribuição-NãoComercial-CompartilhaIgual 4.0 Internacional.