FELIPPE D’OLIVEIRA E AS AÇÕES CONSPIRATÓRIAS DA REVOLUÇÃO DE 1930

Lucas da Cunha Zamberlan, Pedro Brum Santos

Resumo


O poeta Felippe D’Oliveira foi uma figura marcante na sociedade fluminense do início do século XX. Além de atleta versátil e diretor da Laboratórios Daudt, Oliveira & Cia, Felippe transitou pelos diferentes círculos da cultura local e, nesse tempo, publicou dois livros: Vida Extinta, de 1911 e, Lanterna Verde, de 1926. No entanto, a despeito de seu entusiasmo pela literatura, o poeta não se distanciou das causas sociais e políticas de seu tempo. Entre os anos de 1928 e 1930, o poeta atuou nas ações de cunho articulatório que culminaram com a tomada do poder pelos parlamentares integrantes da Aliança Liberal, liderados por Getúlio Vargas. O grupo conspiratório, autodenominado Tríade Indissolúvel, era formado por Felippe e seu irmão João Daudt e pelo deputado federal João Neves da Fontoura. O círculo manteve contato frequente, via cartas, durante o período e se concentrou, também, em estabelecer uma comunicação efetiva com outros membros da aliança. Desse modo, este trabalho, circunscrito à pesquisa de pós-doutorado, da linha de pesquisa Literatura, Comparativismo e Crítica Social, visa apresentar a natureza teórica e epistemológica da pesquisa em andamento, ressaltando: a) o papel desempenhado por Felippe D’Oliveira na Revolução de 1930 e b) de que forma o tema político se relaciona com a sua obra. Para tanto, lançaremos mão de teóricos oriundos da sociologia e da história, como Sevcenko, Hobsbauwn e Le Goff, para a análise desses documentos e do material artístico do autor.

Palavras-chave


Felippe D'Oliveira; Revolução de 1930

Texto completo:

PDF

Referências


BLOM, Philipp. Os anos vertiginosos: mudança e cultura no Ocidente, 1900-1914. Tradução Clóvis Marques. Rio de Janeiro: Record, 2015.

BOSI, Alfredo. História concisa da literatura brasileira. São Paulo: Cultrix, 2006.

BOURDIEU, Pierre. As regras da arte: gênese e estrutura do campo literário. Tradução Maria Lúcia Machado. São Paulo: Companhia das Letras, 1996.

CARVALHAL, Tania Franco. O próprio e o alheio: Ensaios de literatura comparada. São Leopoldo: Unisinos, 2003.

COSTA, Lígia Militz. Felippe D’Oliveira: vida e obra. In: OLIVEIRA, Felipe D’; COSTA, Lígia Militz da (org.); MOREIRA, Eunice (org.); SANTOS, Pedro Brum (org.). Obra completa. Porto Alegre: Instituto Estadual do Livro; Santa Maria: UFSM, 1990.

COUTINHO, Afrânio. Introdução à literatura no Brasil. Rio de Janeiro: Editora Bertrand Brasil S. A., 1976.

FILHO, Rodrigo Otávio. Sincretismo e transição: o penumbrismo. In: COUTINHO, Afrânio; COUTINHO, Eduardo de Faria (orgs.). A literatura no Brasil. Rio de Janeiro: José Olympio; Niterói: UFF-Universidade Federal Fluminense, 1996.

HOBSBAUWN, Eric. Era dos extremos: o breve século XX: 1914-1918. Tradução de Marcos Santarrita. São Paulo: Companhia das Letras, 2015.

LE GOFF, Jacques. História e memória. Tradução Bernardo Leitão. São Paulo: Ed. Unicamp, 1996.

MARTINS, Wilson. História da inteligência brasileira: volume 6: 1915-1933. Ponta Grossa: Editora UEPG, 2010.

OLIVEIRA, Felipe D’; COSTA, Lígia Militz da (org.); MOREIRA, Eunice (org.); SANTOS, Pedro Brum (org.). Obra completa. Porto Alegre: Instituto Estadual do Livro; Santa Maria: UFSM, 1990.

REMAK, Henry H. H. Literatura Comparada: definição e função. IN: COUTINHO, E.F. & CARVALHAL, T.F. Literatura Comparada: textos fundadores. Rio de Janeiro: Rocco, 1994. Tradução de Monique Balbuena.

SEVCENKO, Nicolau. Literatura como missão: tensões sociais e criação cultural na Primeira República. São Paulo: Companhia das Letras, 2014.

SILVA, João Pinto de. História literária do Rio Grande do Sul. Porto Alegre: Instituto Estadual do Livro, 2013.




DOI: https://doi.org/10.5902/1516849239060

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Indexadores da revista L&C:

                                                                                          


Órgãos aos quais a revista L&C pertence:

 

                              

 

E-ISSN 2674-6921. Revista Qualis B3, área de Letras e Linguística, Classificações de Periódicos Quadriênio 2017-2020 (CAPES).