REPRESENTAÇÕES DA ESCRAVIDÃO NOS LIVROS DIDÁTICOS DE HISTÓRIA DO BRASIL

André Fertig, Jefferson Teles Martins

Resumo


Pretendemos através deste artigo analisar como alguns livros didáticos utilizados nas aulas de história do Brasil do Ensino Médio têm representado a temática da escravidão. Para tal, procederemos ao estudo dos livros em dois contextos. O primeiro se refere as obras didáticas produzidas antes da década de 1970, para relacioná-los à chamada história tradicional. O segundo contexto diz respeito aos livros editados a partir da década de 1970. Nas obras deste período percebemos dois aspectos importantes: a ênfase no materialismo histórico e nas análises estruturais e, principalmente, a partir dos anos 1980, a influência da pesquisa histórica sobre a escravidão brasileira oriunda das Universidades. Entre nossos objetivos estão caracterizar o tipo de abordagem realizada pelo livro, se mais analítica ou narrativa, bem como identificar as inspirações teóricas e conceitos privilegiados pelos autores. Organizamos a exposição em duas partes: primeiramente, enfocaremos como os livros didáticos explicam a introdução dos escravos africanos no Brasil colonial. Posteriormente analisaremos como os manuais didáticos caracterizaram a escravidão no Brasil, sempre atentos em avaliar em que medida os textos didáticos mais recentes dialogam com a pesquisa histórica sobre escravidão produzida nos programas de pós-graduação em história e pelos historiadores acadêmicos que trabalham com a temática.

Palavras-chave


História do Brasil; Livros didáticos; Escravidão.

Texto completo:

PDF




 

Revista Sociais e Humanas (ISSN online 2317-1758)

Universidade Federal de Santa Maria | Centro de Ciências Sociais e Humanas

Santa Maria, Rio Grande do Sul, Brasil.

E-mail: revistaccsh@gmail.com | Telefone: (55) 32208522


Licença Creative Commons
Este obra está licenciado com uma Licença Creative Commons Atribuição-NãoComercial-CompartilhaIgual 4.0 Internacional.