A " bater" quilombos: a Guarda Nacional Rio-Grandense na Defesa da Ordem Escravista do Imperiio do Brasil

André Fertig

Resumo


Este artigo aborda a Guarda Nacional rio-grandense enquanto instrumento importante do estado imperail brasileiro na copnservação da ordem social escravista. Milícia criada pelo Império em 1831 e composta por todos os homens brasileiros entre 21 e 60 anos de idade, que tivessem condiçoes de ser cidadões ou filhos de cidadões que pudessem votar nas eleições primárias, a Guarda Nacional tornou-se, principalmente entre 1850 e 1873, um dos pilares político-institucionais de sustentação do estado imperial. Portanto, pretendemos demonstrar nesse artigo, empiricamente, algumas situações em que a milícia atuou na Província do Rio Grande do Sul  na defesa da política imperial acerca da escravidão.

Palavras-chave


Guarda Nacional; Estado Imperial;Escravismo

Texto completo:

PDF




 

Revista Sociais e Humanas (ISSN online 2317-1758)

Universidade Federal de Santa Maria | Centro de Ciências Sociais e Humanas

Santa Maria, Rio Grande do Sul, Brasil.

E-mail: revistaccsh@gmail.com | Telefone: (55) 32208522


Licença Creative Commons
Este obra está licenciado com uma Licença Creative Commons Atribuição-NãoComercial-CompartilhaIgual 4.0 Internacional.