Abordagem sobre cooperativismo entre médicos anestesiologistas: um estudo em uma cooperativa de saúde

Maria Oliveira dos Santos, André Pacelli Bezerra Viana, Marília Augusta Raulino Jácome, Ana Laís Oliveira dos Santos

Resumo


O presente estudo objetivou avaliar o conhecimento de médicos anestesiologistas da cidade de João Pessoa – Paraíba sobre o cooperativismo, além de suas expectativas quanto à sua cooperativa. Para isso, realizou-se uma pesquisa com abordagem exploratória, envolvendo 78 médicos cooperados com exercício profissional na Cooperativa dos Anestesiologistas da Paraíba (Coopanest-PB). Os dados foram coletados mediante entrevista semiestruturada e analisados qualitativamente, por meio da técnica de análise de conteúdo. Após a análise dos dados coletados, emergiram três categorias temáticas a respeito da compreensão sobre o cooperativismo: união de pessoas com interesses comum;  melhores resultados econômicos e  progresso coletivo para uma valorização profissional. Em relação à expectativa quanto a cooperativa, obteve-se a classificação em três categorias:  respeito aos direitos dos cooperados; sustentabilidade e gestão transparente com prestação de contas. Os resultados deste estudo contribuem para reflexão dos médicos cooperados acerca dos princípios cooperativistas como agregadores deste modelo organizacional, promovendo a disseminação do cooperativismo para novos cooperados.

Palavras-chave


cooperativismo; sustentabilidade; cooperativas de saúde

Texto completo:

PDF

Referências


AMORIM, K. et al. A influência da educação financeira na inserção dos investidores no mercado de capitais brasileiro: um estudo com discentes da área de negócios. RACE - Revista de Administração, Contabilidade e Economia, v. 17, n. 2, p. 567-590, 28 ago. 2018.

ANDRADE, Mônica V.; MAIA, Ana C.; Diferenciais de utilização do cuidado de saúde no sistema suplementar brasileiro. Revista de Estudos Econômicos, ISSN: 0101-4161, Universidade de São Paulo (USP), São Paulo, v. 39, n. 01, pp. 7-38, jan./mar. 2009. Disponível em: http://www.scielo.br/pdf/ee/v39n1/v39n1a01.pdf. Acesso em: 09 de jun. 2019.

ANS – Agência Nacional de Saúde Suplementar. 2019. Disponível em: www.ans.gov.br. Acesso em: 04 abr. 2019. Caderno de Informação de Saúde Suplementar. Rio de Janeiro: dez. 2017.

ANTONIALLI, Luiz Marcelo. Influência da mudança de gestão nas estratégias de uma cooperativa agropecuária. Rev. adm. contemp., Curitiba, v. 4, n. 1, p. 135-159, abr. 2000.

ARAUJO, Ângelo A. da S.; SILVA, José R. S. Análise de tendência da sinistralidade e impacto na diminuição do número de operadoras de saúde suplementar no Brasil. Ciência saúde coletiva, Rio de Janeiro, v. 23, n. 8, p. 2763-2770, ago. 2018. Disponível em: http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S141381232018000802763&lng=pt&nrm=iso. Acesso em: 18 jun. 2019.

BARBIERI, J. C. et al. Inovação e Sustentabilidade: Novos Modelos e Proposições. RAE-Revista de Administração de Empresas, v. 50, n. 2, p.146-154, abr./jun. 2010.

BARDIN, L. Análise de conteúdo. 5. ed. Lisboa: Edições 70, 2010.

BENECKE, Dieter W. Cooperação e desenvolvimento: O papel das cooperativas no processo de desenvolvimento econômico nos países de terceiro mundo. Porto Alegre: Coojornal; Recife: Assocene, 1980.

BIALOSKORKI NETO, S. Cooperativas: economia, crescimento e estrutura de capital. São Paulo: OCESP/SESCOOP-SP, 2001.

BRASIL. Lei nº 5.764, de 16 de dezembro de 1971. Institui o regime jurídico das sociedades cooperativas. Disponível em: http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/leis/5764.htm. Acesso em: 02 mar. 2019.

BRASIL. Presidência da República. Casa Civil. Lei nº 5764, de 16 de dezembro de 1971. Diário Oficial da República Federativa do Brasil, Brasília, DF, 16 dez. 1971.

BÜTTENBENDER, Pedro Luís. Importância dos supermercados em cooperativas de produção: um estudo comparativo em seis cooperativas no Rio Grande do Sul. In: BÜTTENBENDER, Pedro Luís. Cooperativismo na Região Nordeste do Rio Grande do Sul: experiências de gestão cooperativa e de promoção do desenvolvimento. Porto Alegre/RS: Editora Sescoop/RS, 2010. p. 49-72.

CARVALHO, R. R. P.; FORTES, P. A. de C.; GARRAFA, V. A saúde suplementar em perspectiva bioética. Rev. Assoc. Med. Bras., São Paulo, n. 59, v. 6, dez. 2013.

CENZI, Neiri Luiz. Cooperativismo: desde as origens ao projeto de lei da reforma ao sistema cooperativo brasileiro. 1. ed. Curitiba: Juruá, 2012.

CHADDAD, F. R.; COOK, E. M. L. Entendendo Novos Modelos Cooperativos: Uma Propriedade - Tipologia dos Direitos de Controle. Revisão de Economia Agrícola, v. 26, ed. 3, p. 348-360, 2004.

DEBOÇÃ, L. P.; HOCAYEN-DA-SILVA, A. J. Aspectos de estruturação organizacional em cooperativas agropecuárias: um estudo de caso. Revista de Economia e Administração, v. 8, n. 4, p. 391-408, out./dez. 2009.

ELKINGTON, J. Towards the suitable corporation: win-win-win business strategies for sustainable development. California Management Review, v. 36, n. 2, p. 90-100, 1994.

FRANTZ, W. Caminhos para o desenvolvimento pelo cooperativismo. Ijuí: Ed. UNIJUÍ, 2003.

GASPARATOS, A.; EL-HARAM, M.; HORNER, M. A critical review of reductionist approaches for assessing the progress towards sustainability. Environmental Impact Assessment Review, v. 8, n. 4-5, p. 286-311, 2008.

GOVERNO DO BRASIL. População brasileira ultrapassa 208 milhões de pessoas. IBGE, 2018. Disponível em:http://www.brasil.gov.br/noticias/cidadania-e-inclusao/2018/08/populacao-brasileira ultrapassa-208-milhoes-de-pessoas-revela-ibge. Acesso em: 25 de maio de 2019.

GUIMARÃES, André L. de S.; ALVES, Washington O. Prevendo a insolvência de operadoras de planos de saúde. Revista de Administração de Empresas (RAE), ISSN: 0034-7590, Fundação Getúlio Vargas, Escola de Administração de Empresas de São Paulo, v. 49, n. 4, pp. 459–471, out./dez., 2009. Disponível em: http://www.scielo.br/pdf/rae/v49n4/v49n4a09.pdf. Acesso em: 12 jun. 2019.

IBGC - Instituto Brasileiro de Governança Corporativa. Código das Melhores Práticas de Governança Corporativa. 4. ed. São Paulo, SP: IBGC, 2009.

JÁCOME, Marilia A. R.; PAIVA, Simone B. A regulação como propulsora de práticas de controle interno na saúde suplementar. Revista Contemporânea de Contabilidade, Florianópolis, v. 16, n. 39, p. 134-155, out. 2019. ISSN 2175-8069. Disponível em: https://periodicos.ufsc.br/index.php/contabilidade/article/view/21758069.2019v16n39p134/42741. Acesso em: 09 abr. 2020. doi: https://doi.org/10.5007/2175-8069.2019v16n39p134

JÁCOME, Marilia A. R.; PAIVA, Simone B. Guia das melhores práticas de governança para as cooperativas. São Paulo: IBGC, 2015. p. 15-16.

IBGE - Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística. Dados Infográficos. 2019. Acesso em: 04 fev. 2019.

MACIEL, Ana Paula Blanke et al. Governança em Cooperativas: Aplicação em uma Cooperativa Agropecuária. Artigos Tecnológicos: Governança em Cooperativas, Rio de Janeiro, v. 22, n. 4, p. 600-619, jul./ago. 2018.

MALTA, Deborah C.; MERHY, Emerson E. Buscando novas modelagens em saúde: as contribuições do Projeto Vida e do Acolhimento para a mudança do processo de trabalho na rede pública de Belo Horizonte, 1993-1996. Revista Eletrônica do DMPS, Unicamp, 01 dez. 2001. Disponível em: http://www.uff.br/saudecoletiva/professores/merhy/artigos-02.pdf. Acesso em: 18 jun. 2019.

MAZZA, Vera Maria de Souza. Cooperativismo e Sustentabilidade: Um Estudo Sobre a Produção Científica na Base Web of Science. Revista de Gestão e Organizações Cooperativas, [S.l.], v. 1, n. 1, p. 12-22, nov. 2014.

MEINEN, Ê.; PORT, M. O cooperativismo de crédito: ontem, hoje e amanhã. Brasília, DF: CONFEBRAS, 2012.

OCB - Organização das Cooperativas Brasileiras. 2014. Disponível em: . Acesso em: 19 mar. 2019.

OCERGS - Organização das Cooperativas do Rio Grande do Sul. Expressão do Cooperativismo Gaúcho, 2015. Brasília: OCERGS, 2017.

OCERGS - Organização das Cooperativas do Rio Grande do Sul. Resolução Sescoop/RS. 02/2006. Aprova o Programa UNI_SESCOOP/RS e fixa as diretrizes e as normas para a concessão de bolsas de estudo. Disponível em: http://www.ocergs.com.br. Acesso em: 28 mar. 2019.

OLIVEIRA, Djalma de Pinho Rebouças de. Manual de gestão das cooperativas: uma abordagem prática. 6. ed. São Paulo: Atlas, 2012.

PIVOTO, Dieisson. Governança Cooperativa: uma análise dos problemas dos direitos de propriedades difusos nas cooperativas agropecuárias do Rio Grande do Sul. Porto Alegre: Sescoop/RS, 2013. 130p.

SALES, J. E. Cooperativismo: Origens e Evolução. Revista Brasileira de Gestão e Engenharia, Centro de Ensino Superior de São Gotardo, n. I, jan./jun. 2010.

SALVATORI, Rachel T.; VENTURA, Carla A. A. A agência nacional de saúde suplementar - ANS: onze anos de regulação dos planos de saúde. Organizações & Sociedade (O&S), Universidade Federal da Bahia (UFBA), Salvador, ISSN: 1984-9230, v. 19, n. 62, pp. 471-487, jul./set. 2012. Disponível em: https://portalseer.ufba.br/index.php/revistaoes/article/view/11208/8117. Acesso em: 12 jun. 2019.

SERIGATI, F. C.; AZEVEDO, P. F. Comprometimento, características da cooperativa e desempenho financeiro: uma análise em painel com as cooperativas agrícolas paulistas. Revista de Administração, v. 48, n. 2, p. 222-238, 2013.

SESCOOP - Serviço Nacional de Aprendizagem do Cooperativismo. Manuais para Capacitação – Módulo I – Curso de Formação Conselheiros Fiscais, 2017.

WEBERING, Susana Iglesias. Autogestão e Cooperação em uma perspectiva cooperativista e sistêmica: o contexto cooperativo espanhol e brasileiro. Rio de Janeiro: UFRJ/COPPE, 2014.




DOI: https://doi.org/10.5902/2359043241871

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Este obra está licenciado com uma Licença Creative Commons Atribuição-NãoComercial-SemDerivações 4.0 Internacional. 

     

   

   

 

ISSN Eletrônico: 2359-0432

ISSN Impresso: 2446-7103