A LIVRE ADESÃO NAS COOPERATIVAS DE CRÉDITO: ESTAMOS CAPTANDO COOPERADOS OU CORRENTISTAS?

Maria Iolanda Santos Souza, Anderson Roberto Pires e Silva, Cássia Marcelle Dias Pinho

Resumo


A presente pesquisa objetivou propor uma discursão referente à adoção do princípio da adesão voluntária e livre com os possíveis impactos financeiros e educacionais nas cooperativas de crédito de Belém, a partir da percepção dos seus gestores, buscando conhecer os objetivos dessa estratégia de capitação de novos sócios. Fez-se uso da técnica de pesquisa análise de conteúdo pela qual foram desenvolvidas duas categorias de análise, 1ª) Quem são nossos cooperados? 2ª) Vantagens e Desvantagens da Livre Adesão. Os resultados evidenciam que a adoção ao princípio da adesão voluntária e livre apresentou impactos positivos sobre o aspecto financeiros observado pelo aumento do quadro social e do capital social com a integralização das cotas partes. Evidenciou-se também que algumas cooperativas estão preocupadas com a educação cooperativa desses novos sócios, pois deve-se ter cuidado em preservar a essência do cooperativismo e cuidar para que as cooperativas não se transformem em bancos comerciais.

Palavras-chave


Cooperativas de crédito. Adesão voluntária e livre. Cooperativismo.

Texto completo:

PDF

Referências


ALIANÇA COOPERATIVA INTERNACIONAL (Bélgica). Co-operative identity, values & principles. Disponível em: https://www.ica.coop/en/cooperatives/cooperative-identity. Acesso em: 06 abr. 2019.

BANCO CENTRAL DO BRASIL (BACEN). Panorama do Sistema Nacional de Crédito Cooperativo 2016. Disponível em: https://www.bcb.gov.br/pre/microFinancas/coopcar/pdf/panorama_de_cooperativas.pdf. Acesso em: 10 mar. 2019.

BANCO CENTRAL DO BRASIL (BACEN). O que é cooperativa de crédito?. Disponível em: https://www.bcb.gov.br/estabilidadefinanceira/cooperativacredito. Acesso em: 11 mar.2019.

BARDIN, L. Análise de conteúdo. Edições 70. Lisboa. Portugal, 2011.

BERTUOL, R.; CANÇADO, A. C.; SOUZA, M. F. A. A prática dos princípios cooperativistas: um estudo de caso no Tocantins. Amazônia, Organizações e Sustentabilidade, Belém, v. 2, n. 1, p.7-18, ago. 2012.

BONI, V.; QUARESMA, S. J. Aprendendo a entrevistar: como fazer entrevistas em Ciências Sociais. Em Tese, v. 2, n. 1, p. 68-80, 2005.

BRASIL. Lei nº 5.764, de 16 de dez. de 1971.Diário Oficial (da República Federativa doBrasil), Brasília, DF, 16 de dez. 1971.

BRASIL. Resolução Nº 3.106 (2003). Funcionamento de cooperativas de crédito. Disponível em: https://www.bcb.gov.br/pre/normativos/busca/downloadNormativo.asp?arquivo=/Lists/Normativos/Attachments/46578/Res_3106_v5_P.pdf. Acesso em: 06 jun. 2019.

BRASIL. Resolução Nº 4.434 (2015). Funcionamento de cooperativas de crédito. Disponível em: https://www.bcb.gov.br/pre/normativos/busca/downloadNormativo.asp?arquivo=/Lists/Normativos/Attachments/48507/Res_4434_v3_P.pdf. Acesso em: 06 jun. 2019.

CANÇADO, A. C.; SOUZA, M. F. A.; PEREIRA, J. R. Os princípios cooperativistas e a identidade do movimento cooperativista em xeque. Revista de Gestão e Organizações Cooperativas, v. 1, n. 2, p. 51-62, 2014.

CANÇADO, A. C.; GONTIJO, M. C. H. Princípios cooperativistas: origem, evolução e influência na legislação brasileira. Encontro de Investigadores Latino-Americanos de Cooperativismo, v. 3, 2005.

CARMO, H.; FERREIRA, M. Metodologia da Investigação–Guia para Auto-aprendizagem (2ª edição). Lisboa: Universidade Aberta, p. 001-89, 2008.

CHARTERINA, A. M. Los valores y los principios cooperativos. REVESCO: revista de estudios cooperativos, n. 61, p. 35-46, 1995.

CRÚZIO, H. O. Como organizar e administrar uma cooperativa. Rio de Janeiro: Editora FGV, 2005.

DEWANGAN, A.; DIXIT, A. A Review of Problems and Challenges of Cooperative Societies. Clear International Journal of Research in Commerce & Management, 2018, 9.8.

GERIZ, S. D. As cooperativas de crédito no arcabouço institucional do sistema financeiro nacional. Prim@ Facie-Direito, História e Política, v. 3, n. 4, p. 82-110, 2004.

GIL, A. C. Métodos e técnicas de pesquisa social. 6. ed. Ediitora Atlas SA, 2008.

HÖFFLING, A. R. O impacto da livre admissão de associados sobre o desenvolvimento das cooperativas de crédito. 2013. Dissertação (Mestrado em Direito) - Universidade Católica de Brasília, Brasília, Brasil. 2013.

MACEDO, V. S.; FREIRE, D. C. Desenvolvimento do cooperativismo de crédito, com ênfase na cooperativa Credisis RolimCredi. Revista FAROL, v. 5, n. 5, p. 208-235, 2017.

MACHADO, P. A. Comentários à lei do cooperativismo. Editoras unidas, 1975.

MARIČIĆ, G.; ŠKORIĆ, S.; RADENKOVIĆ, D. Application of the principles of corporate governance in agriculture cooperatives. Economics of Agriculture, 2018, 65.2: 827-841.

MEINEN, Ê.; PORT, M. O cooperativismo de crédito ontem, hoje e amanhã. Brasília: Confebras, 2012.

MORAES, Roque. Análise de conteúdo. Revista Educação, Porto Alegre, v. 22, n. 37, p. 7-32, 1999.

ORGANIZAÇÃO DAS COOPERATIVAS BRASILEIRAS- PARÁ. Ramo Crédito. Disponível em: http://paracooperativo.coop.br/cooperativismo/ramos-do-cooperativismo/8-credito. Acesso em: 10 dez. 2018.

ORGANIZAÇÃO DAS COOPERATIVAS BRASILEIRAS. A força do cooperativismo de crédito. Disponível em: https:// www.ocb.org.br/noticia/21255/a-forca-do-cooperativismo-de-credito. Acesso em: 15 dez. 2018.

ORGANIZAÇÃO DAS COOPERATIVAS BRASILEIRAS. O que é Cooperativismo. Disponível em: https://www.ocb.org.br/o-que-e-cooperativismo. Acesso em: 15 dez. 2018.

PAREDES, D.; LOVERIDGE, S. Rural electric cooperatives and economic development. Energy policy, 2018, 117: 49-57.

PEREIRA, J. R. et al. As Organização da sociedade através das cooperativas de trabalho: abordagem dos problemas e perspectivas. Viçosa, UFV, 2002.

PINHO, D. B. O cooperativismo no Brasil: da vertente pioneira à vertente solidária. Saraiva, 2004.

PORTAL DO COOPERATIVISMO FINANCEIRO. Cooperativas de Livre Admissão: 15 anos. Disponível em: https://cooperativismodecredito.coop.br/2019/01/cooperativas-de-livre-admissao-15- anos/. Acesso em: 06 jan. 2019.

PORTAL DO COOPERATIVISMO FINANCEIRO. Os 7 princípios do cooperativismo. Disponível em: https://cooperativismodecredito.coop.br/cooperativismo/historia-do-cooperativismo/os-7-principios-do-cooperativismo/. Acesso em: 06 jun. 2019.

SCHNEIDER, J. O. Democracia, participação e autonomia cooperativa. Editora Unisinos, 1999.

SCHNEIDER, J. O. A doutrina do cooperativismo: análise do alcance, do sentido e da atualidade dos seus valores, princípios e normas nos tempos atuais. Cadernos Gestão Social, v. 3, n. 2, p. 251-273, 2012.

SILVA, P.; SANTOS, R. A.; OLIVEIRA, A. C.; Doutrina e Princípios Cooperativista: Um Estudo de Caso na Cooperativa Maxi Mundi. Revista Científica do ITPAC. Araguaína, Tocantins, 2012.

SINGER, P. Introdução à economia solidária. Fundação Perseu Abramo, 2002.




DOI: https://doi.org/10.5902/2359043241193

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Este obra está licenciado com uma Licença Creative Commons Atribuição-NãoComercial-SemDerivações 4.0 Internacional. 

     

   

   

 

ISSN Eletrônico: 2359-0432

ISSN Impresso: 2446-7103