Avaliação da capacidade funcional em pacientes portadores de sequelas de AVC participantes do projeto de hidrocinesioterapia aplicada às patologias neurológicas do idoso

Danize Aparecida Rizzetti, Claudia Morais Trevisan

Resumo


Os comprometimentos funcionais decorrentes do AVC prejudicam o desempenho das Atividades Básicas de Vida Diária (ABVD's) e das Atividades Instrumentais de Vida Diária (AIVD), predispondo o indivíduo à incapacitância funcional. O objetivo desta pesquisa foi avaliar o nível de capacidade funcional na realização das ABVD's e AIVD's nos idosos portadores de seqüelas de AVC que participam de um projeto acadêmico de extensão. Para a coleta de dados foi utilizada a Avaliação Funcional das escalas de Kats e Lawton, apud Netto (1996), aplicada através de um questionário aos participantes. Em relação às ABVD's, todos os participantes (n=10) levantam-se da cama, tomam banho, realizam os cuidados de higiene e controlam seu intestino sem ajuda. Em relação às AIVD's, 40% (n=4) dos participantes conseguem preparar, planejar e servir suas refeições sem auxílio. Conclui-se que a maioria dos pacientes é independente para a realização de ABVD's e as maiores limitações encontram-se nas AIVD's.


Palavras-chave


Acidente vascular cerebral; Capacidade funcional; Atividades básicas e instrumentais de vida diária.

Texto completo:

PDF

Referências


Gagliardi RJ, Raffin CN, Fábio SRC. Tratamento da Fase Aguda do Acidente Vascular Cerebral. Associação Médica brasileira e Conselho

Federal de Medicina 2001;

Ramos LR. Fatores determinantes do envelhecimento saudável em idosos residentes em centro urbano: Projeto Epidoso, São Paulo.

Cadernos de Saúde Pública 2003; maio-junho; 19(3): 793-798;

Falcão IV. Acidente Vascular Cerebral Precoce: implicações para adultos em idade produtiva atendidos pelo Sistema Único de Saúde. Revista Brasileira de Saúde Materno Infantil 2004; janeiro/março; 1(4): 95-102;

Costa AM, Duarte E. Atividade física e a relação com a qualidade de vida de pessoas com seqüelas de acidente vascular cerebral isquêmico (AVCI). Revista Brasileira de Ciência e Movimento 2002; janeiro; 10(1): 47-54;

Rabelo DF, Néri AL. Bem-estar subjetivo e senso de ajustamento psicológico em idosos que sofreram Acidente Vascular Cerebral: uma revisão. Estudos de Psicologia 2005; maio-agosto; 11(2): 169-177;

Caldas CP. Envelhecimento com dependência: responsabilidades e demandas da família. Cadernos de Saúde Pública 2003; maio-junho; 19(3): 773-781;

Rabelo DF, Néri AL. Recursos psicológicos e ajustamento pessoal frente à incapacidade funcional na velhice. Psicologia em Estudo 2005; setembro-dezembro; 10(3): 403-412;

Rosa TEC, Benicio MHA, Latorre MRDO. Fatores determinantes da capacidade funcional entre idosos. Revista de Saúde Pública 2003; fevereiro; 37(1): 40-48;

Karsch UM. Idosos dependentes: famílias e cuidadores. Cadernos de Saúde Pública 2003; maio-junho; 19(3): 861-866;

Chagas NR, Monteiro ARM. Educação em saúde e família: o cuidado ao paciente, vítima de acidente vascular cerebral. Maringá 2004; janeiro; 26(1): 193-204;

Paixão CMJ, Reichenheim ME. Uma revisão sobre instrumentos de avaliação do estado funcional do idoso. Cadernos de Saúde Pública 2005; janeiro-fevereiro; 21(1): 7-19.




DOI: https://doi.org/10.5902/223658346494

Direitos autorais

______________________________________________________________

Peridiocidade: Fluxo Contínuo.


Qualis:


Interdisciplinar e Educação Física - B3

Ciências Ambientais, Enfermagem, Odontologia e Saúde Coletiva - B4

Medicina Veterinária - B5

Biotecnologia e Ciências Biológias II - C

  

 Licença Creative Commons 

Saúde (Santa Maria) ∴ revistasaude.ufsm@gmail.com

eISSN 2236-5834 ∴ DOI 10592/22365834

 

Acessos desde 08/08/2013.