Rastreamento dos programas de saúde voltados para a criança elaborados pelas três esferas de governo

Danize Aparecida Rizzetti, Claudia Morais Trevisan

Resumo


As políticas públicas de saúde constituem-se como resposta do Estado às necessidades da população. Aquelas voltadas para criança promovem tanto o seu desenvolvimento integral, como também o da sociedade. Os objetivos do estudo foram verificar os programas de saúde voltados para a criança elaborados a nível Federal, Estadual e Municipal; identificar quais estão implantados no Município e os que atuam nas escolas. A pesquisa foi descritiva exploratória, cujos dados foram coletados através de entrevista semi-estruturada aplicada aos responsáveis pela área infantil das Secretarias Municipal de Educação e de Saúde de Santa Maria entre os meses de junho a agosto de 2006. Foram encontrados 30 programas, sendo 13 a nível Federal, 10 a nível Estadual e sete a nível Municipal. No município estão implantados 25 programas, oito deles atuando nas escolas. Conclui-se que ainda existem poucas políticas públicas de saúde destinadas à criança, principalmente as que visam atuação no ambiente educacional.


Palavras-chave


Políticas de saúde; Criança; Níveis Federal, Estadual e Municipal.

Texto completo:

PDF

Referências


Silva EM, Nozawa MR, Silva JC, Carmona SAMLD. Práticas das enfermeiras e políticas de saúde pública em Campinas, São Paulo, Brasil. Cadernos de Saúde Pública 2001; julho-agosto; 17(4): 989-998;

Rossetti-Ferreira MC, Ramon F, Silva APS. Políticas de atendimento à criança pequena nos países em desenvolvimento. Cadernos de Pesquisa 2002; março; n. 115: 65-100;

Néri M, Costa Dr. O Tempo das Crianças. Revista Ensaios Econômicos da EPGE 2002; dezembro; n. 468;

Gomes FZ, Adorno RCF. Crescimento e desenvolvimento na prática dos serviços de saúde. Revisão histórica do conceito de criança. Revista de Saúde Pública 1990; março; 24(3): 204-211;

Casate JC, Corrêa AK. Humanização do atendimento em saúde:

conhecimento veiculado na literatura brasileira de enfermagem.

Revista Latino-americana de Enfermagem 2005; janeirofevereiro; 13(1): 105-111;

Rizzini I, Barker G, Cassaniga N. Políticas sociais em transformação: crianças e adolescentes na era dos direitos. Educar em Revista 1999;

Amorim KS, Yazlle C, Rossetti-Ferreira MC. Saúde e doença em ambientes coletivos de educação da criança de 0 a 6 anos. Reunião Anual da ANPEd, 1999. Disponível em http//:www.ced.ufsc.br . Acesso em 28 de setembro de 2007;

Miranda MIF. Em busca da definição de pautas atuais para o delineamento de estudos sobre a saúde da criança e do adolescente

em idade escolar. Revista Latino-Americana de Enfermagem 2000; dezembro; 8(6): 83-90;

Rizzetti DA, Fabbrin APA, Trevisan CM. Prevenção de Distúrbios Neuropsicomotores e Estimulação Essencial em Crianças nas Creches Assistenciais do Município de Santa Maria. Anais da 21ª Jornada Acadêmica Integrada da Universidade Federal de Santa Maria 2006; novembro 28 - 30; Santa Maria, Rio Grande do Sul, Brasil;

Fernandes MH, Rocha VM, Souza DB. A concepção sobre saúde do escolar entre professores do ensino fundamental (1ª a 4ª séries). Revista História, Ciências e Saúde 2005; maio-agosto; 12(2): 283-291.




DOI: https://doi.org/10.5902/223658346493

Direitos autorais

______________________________________________________________

Peridiocidade: Fluxo Contínuo.


Qualis:


Interdisciplinar e Educação Física - B3

Ciências Ambientais, Enfermagem, Odontologia e Saúde Coletiva - B4

Medicina Veterinária - B5

Biotecnologia e Ciências Biológias II - C

  

 Licença Creative Commons 

Saúde (Santa Maria) ∴ revistasaude.ufsm@gmail.com

eISSN 2236-5834 ∴ DOI 10592/22365834

 

Acessos desde 08/08/2013.