Estresse e Síndrome de Burnout: quando a saúde do trabalhador pede socorro

Fabiana Meneghetti Dallacosta

Resumo


Este estudo analisou o nível global de estresse, as principais fontes estressoras, e a presença da Síndrome de Burnout em profissionais de saúde da Estratégia Saúde da Família de um município de Santa Catarina. Os profissionais foram entrevistados durante o horário de trabalho, respondendo a dois questionários para avaliação do estresse e do burnout. Participaram 38 profissionais, 34% encontram-se muito estressados, 61% com estresse moderado e 5% com pouco estresse. A carreira e remuneração foram os estressores mais relevantes, seguida de lidar com clientes. O favoritismo e/ou discriminação no trabalho foi considerada por 84% dos profissionais a fonte de estresse geradora de maior pressão. A Síndrome de burnout foi detectada em 34,2% e 8% estão com estresse elevado. Considerando o número de profissionais acometidos pelo estresse e burnout, ressalta-se a importância da implantação de atividades preventivas, que melhorem o bem estar no trabalho e reforça-se a necessidade de acompanhamento psicológico para aqueles profissionais mais acometidos pela síndrome.


Palavras-chave


Saúde do Trabalhador; Estresse ocupacional; Esgotamento profissional.

Texto completo:

PDF

Referências


Dias FM, Santos JFC, Abelha L, Lovisi GM. O estresse ocupacional e a síndrome do esgotamento profissional

(burnout) em trabalhadores da indústria do petróleo: uma revisão sistemática. Rev Bras Saude Ocup. 2016; 41

(e11).

Sousa VFS, Araujo TCCF. Estresse Ocupacional e Resiliência entre Profissionais de Saúde. Psicol. cienc. prof.

; 35(3): 900-915.

Rios IC. Humanização e Ambiente de Trabalho na Visão de Profissionais da Saúde. Saúde soc. 2008; 17 (4):151-

Ferreira JS, Ribeiro KV, Caramuru PS, Hanzelmann RS, Velasco AR, Passos JP. Estresse e estratégias de

enfrentamento em trabalhadores de enfermagem de uma unidade de saúde da família. J. res.: fundam. care.

Online. 2017: 9(3): 818-823.

Campos EP, et al. Equipes do programa saúde da família: estresse profissional e dinâmica de trabalho Rev. APS.

; 13 (1): 46-54.

Oliveira AH. “Profissão estresse”: a síndrome de burnout na enfermagem. Rev Letrando. 2013; 3.

Ferrari R, França FM, Magalhães, J. Avaliação da síndrome de burnout em profissionais de saúde. Rev Elet

Gestão & Saúde. 2012; 3 (3): 1150-165.

Ferrari R, et al. Estresse crônico ocupacional em profissionais da estratégia de saúde da família. Em Extensão.

: 12 (2): 83-92.

Lentine EC, Sonoda TK, Biazin DT. Estresse de profissionais de saúde das unidades básicas do município de

Londrina. Rev Terra e Cult. 2003; 37: 103-112.

Camelo SHH, Angerami ELS. Sintomas de estresse nos trabalhadores atuantes em cinco núcleos de saúde da

família. Rev. Latino-Am. Enfermagem. 2004; 12 (1): 14-21.

Barbosa A. Implicações dos baixos salários para o trabalho dos professores brasileiros. Rev Educ e Políticas em

Debate. 2012; 2 (2).

Saúde (Santa Maria), Vol. 45, n. 2, p. 1-8, maio/agosto, 2019

Estresse e Síndrome de Burnout: quando a saúde do trabalhador pede socorro

Schmidt DRC, Dantas RAS. Qualidade de vida no trabalho de profissionais de enfermagem, atuantes em

unidades do bloco cirúrgico, sob a ótica da satisfação. Rev. Latino-Am. Enfermagem. 2006; 14 (1): 54-60.

Suehiro ACB, et al. Vulnerabilidade ao estresse e satisfação no trabalho em profissionais do Programa de Saúde

da Família. Bol. Psicol. 2008; 58 (129): 205- 218.

Kovács MJ. Sofrimento da equipe de saúde no contexto hospitalar: cuidando do cuidador profissional. O Mundo

da Saúde. 2010; 34 (4): 420-429.

Martins MCA. Situações Indutoras de Stress no Trabalho dos Enfermeiros em ambiente hospitalar. Millenium –

Rev ISPU. 2003; 28.

Seemann S, Garcez EMS. O adoecimento psíquico em profissionais da enfermagem. Rev Saúde Públ SC. 2012;

(2): 46-71.

Trindade LL, et al. Estresse e síndrome de burnout entre trabalhadores da equipe de Saúde da Família. Acta

paul. enferm. 2010; 23 (5): 684-689.

Martins LF, et al. Esgotamento entre profissionais da Atenção Primária à Saúde. Ciênc. saúde coletiva. 2014; 19

(12): 4739-4750.




DOI: https://doi.org/10.5902/2236583438240

Direitos autorais 2019 Saúde (Santa Maria)

______________________________________________________________

Peridiocidade: Fluxo Contínuo.


Qualis:


Interdisciplinar e Educação Física - B3

Ciências Ambientais, Enfermagem, Odontologia e Saúde Coletiva - B4

Medicina Veterinária - B5

Biotecnologia e Ciências Biológias II - C

  

 Licença Creative Commons 

Saúde (Santa Maria) ∴ revistasaude.ufsm@gmail.com

eISSN 2236-5834 ∴ DOI 10592/22365834

 

Acessos desde 08/08/2013.