O conhecimento de professoras de educação infantil sobre o papel do fonoaudiólogo na escola.

Denise Maria Zaratini Fernandes, Camila Lima Nascimento, Maria Cecília Marconi Pinheiro Lima, Ivani Rodrigues Silva

Resumo


Objetivo: Compreender o conhecimento de professoras de educação infantil sobre o trabalho do fonoaudiólogo escolar. Métodos: Com base em um roteiro com três questões abertas foram realizadas entrevistas com sete professoras de educação infantil, a fim de conhecer a visão de tais profissionais sobre a atuação fonoaudiológica na escola. O estudo foi aplicado em uma instituição de educação infantil de um município do interior do estado de São Paulo. Todas as entrevistas foram registradas em áudio, transcritas na íntegra e os dados trabalhados por meio da Análise de Conteúdo. Resultados: Os resultados obtidos sugerem que, na visão desse grupo de professoras, as possibilidades de atuação fonoaudiológica dentro do ambiente escolar são restritas aos cuidados vocais dos próprios professores e a ações de correção de problemas de fala nas crianças em sala de aula. Conclusão: Para este grupo de professoras, o fonoaudiólogo é visto como um profissional exclusivo da área da saúde que ao atuar dentro da escola irá trabalhar prioritariamente com as questões vocais do professor e em ações isoladas com os alunos, indicando uma visão restrita das possibilidades de atuação deste profissional no âmbito escolar.

 


Palavras-chave


Fonoaudiologia; Educação infantil; Capacitação de Professores

Texto completo:

PDF

Referências


Cardoso JL. Dialogismo e Fonoaudiologia: a intersubjetividade na clínica. [Tese de Mestrado]. Rio Grande do Sul- UFRG, Programa de Pós-Graduação em Letras; 2002.

Cavalheiro MTP. Trajetória e possibilidades de atuação do fonoaudiólogo na escola. In: Lagrotta MGM, César CPHAR. A fonoaudiologia nas instituições. São Paulo: Editora Lovise; 1997. p. 81-87.

Conselho Federal de Fonoaudiologia Resolução 387 de 18 de Setembro de 2010 [Internet] [citado em 14 de Outubro de 2016]. Disponível em: http://www.valorjuridico.com.br/legislacao/resolucaocffa387_2010.htm.

Oliveira JP, Schier AC. Suportes para a atuação em fonoaudiologia educacional. Rev. CEFAC [Internet]. 2013 June [cited 2018 May 12]; 15(3): 726-730. Available from: http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1516-8462013000300026&lng=en. http://dx.doi.org/10.1590/S1516-18462013000300026.

Celeste LC, Zanoni G, Queiroga B, Alves LM. Mapeamento da Fonoaudiologia Educacional no Brasil: formação, trabalho e experiência profissional. CoDAS [Internet]. 2017 [cited 2018 May 11]; 29(1): e20160029. Available from: http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S2317-17822017000100309&lng=en.Epub Mar 09, 2017. http://dx.doi.org/10.1590/2317-1782/20172016029.

Carlino FC, Denari FE, Costa MPR. Programa de orientação fonoaudiológica para professores de educação infantil. Distúrb Comum [Internet]. 2011. [cited 2018 May 18]; 23(1):15. Available from: https://revistas.pucsp.br/index.php/dic/article/viewFile/8039/5902

Simões M. A Voz do Professor - Histórico da Produção Científicas de Fonoaudiólogos Brasileiros sobre o Uso da Voz nessa Categoria Profissional. In: Ferreira LP, Oliveira SMRP. Voz Profissional: produção cientifica da fonoaudiologia brasileira. São Paulo: Ed Roca; 2004.p.1-9.

Bardin, L. Análise de conteúdo. São Paulo: Edições 70; 2011.p.229.

Câmara RH. Análise de conteúdo: da teoria à prática em pesquisas sociais aplicadas às organizações. Gerais, Rev. Interinst. Psicol. [Internet]. 2013 Jul [cited 2018 May 24]; 6(2):179-191. Available from://pepsic.bvsalud.org/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1983-82202013000200003&lng=pt.

Ribeiro ANR. Atuação Fonoaudiológica em escolas [Internet]. Monte Carmelo: FUCAMP; 2002. (Cadernos FUCAMP; 1). [cited 2018 May 22]. Disponível em: http://www.fucamp.edu.br/wp-content/uploads/2010/10/8-Atua%23U00c3%23U00a7%23U00c3%23U00a3ofonoaudiol%23U00c3%23U00b3gica-em-escolas-Adriana.pdf11.

Ferreira LP, Martz MLW. Distúrbio de voz relacionado ao trabalho: a experiência dos Cerest. Bepa [Internet]. 2010 [cited 2018 May 22]; 7(76):13-19. Available from: http://www.pucsp.br/laborvox/dicas_pesquisa/downloads/disturbio_voz_cerest.pdf

Guidini RF, Bertoncello F, Zanchetta S, Dragone MLS. Correlações entre ruído ambiental em sala de aula e voz do professor. Rev. soc. bras. fonoaudiol. [Internet] 2012 Dec [cited 2018 May 24]; 17(4): 398-404. Available from: http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1516-80342012000400006&lng=en.

Behlau M, Dragone ML, Nagano L. A voz que ensina: o professor e a comunicação oral em sala de aula. Rio de Janeiro: Revinter; 2004.

Servilha EAM, Roccon PF. Relação entre voz e qualidade de vida em professores universitários. Rev. CEFAC [Internet]. 2009 Sep [cited 2018 May 24]; 11(3): 440-448. Available from: http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1516-18462009000300011&lng=en.

Simões M, Latorre MRDO. Prevalência de alteração vocal em educadoras e sua relação com a auto-percepção. Rev Saúde Pública [Internet]. 2006 Dec [cited 2018 May 24]; 40(6):1013-8. Disponível em: http://www.scielosp.org/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0034-89102006000700008&lng=en

Souza MT. Distúrbio de voz relacionado ao trabalho. 14º Seminário de voz da PUC-SP; 2004 Nov. 05; São Paulo, São Paulo. p. 21.

Santana PCCM, Goulart GNB, Chiari MB. Distúrbios da voz em docentes: revisão crítica da literatura sobre a prática da vigilância em saúde do trabalhador. J. Soc. Bras. Fonoaudiol.[Internet]. 2012 [cited 2018 May 24]; 24(3): 288-95. Disponível em: http://www.scielo.br/pdf/jsbf/v24n3/v24n3a16.pdf

Alves LA, Robazzi MLCC, Marziale MHP, Felippe ACN, Romano CC. Alterações da saúde e a voz do professor, uma questão de saúde do trabalhador. Rev. Latino-Am. Enfermagem [Internet]. 2009 Aug [cited 2018 May 22] ; 17( 4 ): 566-572. Available from: http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0104-1692009000400020&lng=en. 19. Distúrbios da voz em docentes: revisão crítica da literatura sobre a prática da vigilância em saúde do trabalhador. . Rev. soc. bras. fonoaudiol. [Internet]. 2012 [cited 2018 May 22]; 24(3):288-95. Available from: http://www.scielo.br/pdf/jsbf/v24n3/v24n3a16.pdf

Luchesi FK, Mourão FL, Kitamura S. Ações de promoção e prevenção à saúde vocal de professores: uma questão de saúde coletiva. Rev. CEFAC. [Internet]. 2010 [cited 2016 Out 14]; 12(6): 945-953. Available from: http://www.scielo.br/pdf/rcefac/v12n6/197-09.pdf

Silva TT. Documentos de identidade; uma introdução às teorias do currículo. 3ª ed. Belo Horizonte: Autêntica; 2010.

Pimentel AGL, Lopes- Herrera SA, Duarte TF. Conhecimento que acompanhantes de pacientes de uma clínica-escola de Fonoaudiologia tem sobre a atuação fonoaudiológica. Rev. soc. bras. fonoaudiol. [Internet]. 2010 [cited 2018 May 22];15(1):40-6. Available from: http://www.scielo.br/pdf/rsbf/v15n1/09.pdf

Fernandes GB, Crenitte PAP. O conhecimento de professores de 1ª a 4ª série quanto aos distúrbios da leitura e escrita. Rev CEFAC. [Internet]. 2008 [cited 2018 2017 Nov 10];10(2):182-190. Available from: http://www.scielo.br/pdf/rcefac/v10n2/a07v10n2.pdf

Penteado RZ. Escolas promotoras de saúde: implicações para a ação fonoaudiológica. Rev Fonoaudiol Brasil. 2002; 2(1): 28-37.

Oliveira JP, Schier AC. Suportes para atuação em fonoaudiologia educacional. Rev. CEFAC. [Internet].2013 [cited 2018 May 22]; 15(3):726-730. Available from: http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1516-18462013000300026&lng=en.




DOI: http://dx.doi.org/10.5902/2236583432746

Direitos autorais 2019 Saúde (Santa Maria)

Acessos desde 08/08/2013.

   

 

Saúde (Santa Maria) ∴ revistasaude.ufsm@gmail.com

ISSN 0103-4499 ∴ eISSN 2236-5834 ∴ DOI 10592/22365834

Licença Creative Commons